6 de dezembro de 2018

O MELHOR AMIGO


O europeu tradicionalmente ama cachorros. Há países onde você pode levar o seu companheiro de quatro patas a restaurantes e lojas. Já a grande maioria dos "europeus novos" e dos que estão projetados para chegar àquele continente, o consideram IMPURO. Na melhor das hipóteses o toleram como cão de guarda, exercendo a função. Triste perspectiva.

A imagem acima reproduz a homenagem feita por um artista à cachorrinha massacrada a uma semana atrás por um segurança de supermercado em Osasco/SP. A ocorrência possivelmente será motivo, para que o crime de maus tratos a animais venha a ter suas penas aumentadas (UOL-o melhor conteúdo).

2 de dezembro de 2018

SATANÁS ESTÁ GANHANDO

Nesta eterna luta entre o BEM e o MAL, é o Mal que está levando vantagem. Oculto e mentiroso vem ludibriando todo mundo. Poderia ser identificado por suas ações perversas e maléficas, mas as mentes das pessoas foram ocupadas por toda sorte de distrações e entretenimentos. Guerras, destruição e mortes em massa passaram a fazer parte do natural. Não se entende como é que não ocorre um levante geral, que exija respostas a O QUE É QUE ESTÃO FAZENDO? Por quê? O que querem mudar? O que e para quem vai melhorar? Por que estão criando o caos neste nosso mundo?

É difícil até saber a quem perguntar. É preciso olhar atrás da máscara que usam. São eles os promotores do GLOBALISMO, do UM MUNDO SÓ, do GOVERNO MUNDIAL, da RELIGIÃO ÚNICA, da DIVERSIDADE IGUALITÁRIA. São eles os que dizem que genitálias são apenas enfeites, ser homem ou mulher é uma questão de escolha. Fazem tudo para nos DIVIDIR. São eles os que criaram um NÃO-PAPA, ou um segundo Papa, que já se comprometeu com a NOVA ORDEM e faz tudo para enfraquecer a fé dos seus devotos. Eles querem um Mundo sem Fronteiras, mas não dizem o que o mundo vai ganhar com isto e, se não dizem, é porque seus objetivos devem ser tenebrosos. Se não perversos, pergunto a que servem as MIGRAÇÕES atualmente em curso. Isto com todo apoio da ONU e organizadas por instituições duvidosas. São
acompanhadas por suporte mentiroso, ou silêncio tático por parte da mídia cooptada.

MIGRAÇÃO NAS AMÉRICAS
É só prestar atenção para ver como estamos sendo enganados. Os migrantes são todos “pobres necessitados, oprimidos, fugitivos, com mulheres e criancinhas”. Na verdade, o que se tem visto, não é exatamente isto. São na grande e absoluta maioria homens na melhor idade, equipados com smartfones da mais cara categoria e, pasmem, não dependem da ajuda dos moradores das regiões por onde passam, pois vêm munidos de CARTÕES DE DÉBITO, fornecidos pela ONU! Veja a imagem anexa.
Também conseguem o milagre de (a pé?) vencer em trinta e poucos dias (a caravana saiu de Honduras dia 13 de outubro) uma distância de cerca de 3.500 km (em linha reta). Alguns dias atrás a TV anunciou sua chegada a TIJUHANA, junto ao ponto mais ao norte da fronteira do México com os Estados Unidos. Em 19.11.2018 , às 21:07, o JN da Globo completou literalmente: “Depois de caminhar 5 MIL (5.000km) quilômetros em um mês chegaram a Tijuana...”! São cerca de 140km  por dia! É muita mentira.

Mais alguns dias e a telinha nos mostrou confusão na fronteira México – Estados Unidos. Em primeiro plano uma mulher com duas criancinhas chorando copiosamente e ao fundo um corre corre, que teria sido provocado por bombas de gás lacrimogêneo. No site G1, também da Globo, vamos saber que a mulher é Maria Meza, 39 anos, mãe de 9 filhos de 5 a 16 anos. Saiu de Vilanueva em Honduras e foi ao México com cinco deles na caravana de milhares de migrantes. As perguntas que aqui cabem ficam a cargo de cada um…

MIGRAÇÃO NO VELHO MUNDO
Para o que está para acontecer na Europa os leitores deste blog já estão preparados desde 31 de julho, quando foi postado “Propaganda da Nova Ordem”. Ali foi revelado que estava sendo costurado sob patrocínio da ONU,  um PACTO PARA MIGRAÇÃO ORDENADA, a ser assinado por cerca de 190 países. Tal assinatura deverá ocorrer no próximo dia 11 de dezembro em MARRAQUESH no Marrocos. Dali para frente deverá ser um “salve-se quem puder”. Só como exemplo, há uma previsão de que uma Alemanha, hoje com 80 milhões de habitantes, terá a população mais que duplicada a curto prazo. Os países assinantes não se “obrigam”, mas se “comprometem” a receber os migrantes sem restrições ou exigências, a lhes dar toda assistência social, prevista para para a população atual, sem qualquer discriminação etc. etc.

Já anunciaram que não pretendem assinar o pacto: Austrália, Áustria,, Bulgária, Eslováquia, Estados Unidos, Estônia, Hungria, Israel, Polônia, Rep. Tcheca, Suíça, ainda em dúvida Croácia, Eslovênia e Bélgica.

PARA QUE SERVIU A LENDA DO HOLOCAUSTO
O BUNDESTAG (Parlamento) da República Federal da Alemanha endossou nesta semana a assinatura do tal Pacto da Migração Ordenada da ONU com 372 votos a favor, 153 contra e 142 abstenções. O seu ministro do exterior, Heiko Maas, como  bom servidor da Merkel, declarou: “O governo agregou a população em tempo oportuno.”

Agora “de oportuno” se compare:
Dia 11, três semanas atrás, em Varsóvia, Polônia, 250.000 poloneses foram para a rua, marchando e cantando, manifestando-se “por uma Polônia branca e católica”.
Ontem, dia 1, em Berlim, Alemanha, junto ao Portal de Brandenburgo, reuniram-se cerca de 1.500 alemães para protestar contra a assinatura  do Pacto de Migração da ONU.

Deu para entender?

22 de novembro de 2018

SALVINI - HOMEM DE CORAGEM

Há poucos dias MATTEO SALVINI, vice-primeiro ministro e ministro do interior da Itália, fez um pronunciamento no Parlamento da União Europeia de “balançar o coreto” dos deputados. Estes estavam discutindo os meios de acabar com as chamadas FAKEnews. Segue tradução feita da legenda do video (MS=Salvini, P.UE= Presidente do parlamento).

MS - Peço desculpas ao público aqui no recinto e lá fora junto às telas, por essa loucura nesta casa. Vocês não são normais na minha opinião. Temos 20 milhões de desempregados na Europa, temos terrorismo islamista, a migração está fora de controle e com o que é que vocês preocupam o Parlamento nesta tarde de quarta-feira? Com as mordaças para o Facebook, com  Fakenews. Vocês deveriam ser terapiados por um 
médico muito bom. Eu gostaria de saber ...

P.UE - querido, querido Salvini ...

MS - ...obrigado pelos aplausos, mas cuidado, eles botam vocês todos para fora...

P.UE - Caro Salvini, desculpe, o senhor deve me ouvir. Não só tem de respeitar o que esta assembleia decidiu democraticamente sobre esta questão, mas também mostrar respeito pelos seus colegas.

MS - Só estou dizendo que, na minha opinião, vocês não são normais, com total respeito. Posso continuar agora?

P.UE - Presidente Salvini, eu apenas estou lhe comunicando que o senhor deveria ter cuidado com as palavras que vem usando. Obrigado.

MS – Então, sua vaga ameaça não vai me deixar nem frio, nem quente.  Quando o povo europeu se manifesta contra o terrorismo islâmico, significa que é islamofóbico. Quando é contra a homo adoção, é porque é homofóbico, se é a favor do fechamento dos campos de ciganos, ou quer que acabe a invasão de refugiados, significa que é racista. NÃO, isso significa que eles têm bom senso e são pessoas livres.

Vocês estão mal, não conseguem mais comprar a cabeça das pessoas, controlando todos os jornais, noticiários e radioemissoras. A Inglaterra elegeu quem queria, Estados Unidos escolheram quem queriam, Itália elegeu quem queria. Vocês estão endoidando, preocupando-se como o que? Mordaça no Facebook, mordaça na Internet, multas, 5 milhões, 50 milhões. Vocês estão criando o “Ministério da Verdade” de  George Orwell, um Ministério da Propaganda. Só estou esperando que o Parlamento da UE venha a introduzir uma força psico policial para perseguir os não muito fieis, que não seguem o pensamento único vigorante, ligados ao só o que vale. Vocês podem inventar o que quiser, a única coisa que com certeza irão fazer é pegar suas malas e procurar um emprego REAL, porque a verdade não pode ser detida, nem daqui nem de qualquer outro lugar. Obrigado, viva a internet e viva o Facebook.

19 de novembro de 2018

PARA DISTRAIR (?)

Nevou no Rio de Janeiro, pela primeira vez na história!!!

8:00  Eu fiz um boneco de neve.

8:10  Uma feminista passou e me perguntou porque eu não fiz uma boneca de neve.

8:15  Eu fiz uma boneca de neve.

8:17  Minha vizinha feminista reclamou do perfil voluptuoso da boneca de neve dizendo que ela ofende as bonecas da neve em todos os lugares.

8:20  O casal gay que mora nas proximidades teve um ataque de raiva e protestou, porque poderiam ter sido dois bonecos de neve.

8:22  Um transgênero da outra rua me perguntou por que não fazia um boneco com partes removíveis.

8:25  Os veganos no final da rua se queixaram do nariz de cenoura, já que os vegetais são comida e não para decorar bonecos da neve.

8:31  O cavalheiro muçulmano do outro lado da rua exige aos berros que a boneca da neve use uma burca.

8:40  A polícia chega dizendo que há uma denúncia anônima contra mim, de alguém que foi ofendido pelo meu racismo e discriminação, porque os bonecos são brancos.

8:42  A vizinha feminista reclamou novamente que a vassoura da boneca da neve deveria ser removida porque ela representa as mulheres em um papel doméstico de submissão.

8:43  Um promotor chegou e ameaçou me processar se eu não pedisse desculpas públicas pelo maldito boneco de neve.

8:45  A equipe de jornalismo da TV apareceu. Eles me perguntam se eu sei a diferença entre bonecos de neve e bonecas de neve. Eu respondo: as "bolas de neve" e agora elas me chamam de sexista.

9:00  Estou no noticiário como um suspeito, terrorista, racista, delinquente, com tendências homofóbicas, determinado a causar problemas durante o mau tempo. Estou passando por tudo isso por causa dos malditos bonecos de neve!!

9:05  Quem mandou fazer a p... dos bonecos de neve?... Estão me perguntando se eu tenho um cúmplice. Ou se alguma organização me incentivou a fazer os bonecos, nas redes sociais.

9:29  Os manifestantes da extrema esquerda e da extrema direita, ofendidos por tudo, estão marchando pelas ruas exigindo que me decapitem.

9:32  Os neonazistas marcham em frente à minha casa acusando-me de ser comunista.

9:35  As feministas me xingam e pintam a fachada da minha casa com a palavra “machista”.

9:45  Os evangélicos me acusam de querer usurpar o lugar de Deus, por criar um homem e uma mulher de neve, e querem me exorcizar, dizendo que eu realizei um ritual pagão.

9:55  Organizações ambientais me acusam de poluir a neve.

Moral da história: NÃO HÁ.

Pode acontecer para quem não é POLITICAMENTE CORRETO. Só o que não vai acontecer é... neve no Rio de Janeiro.

Autor desconhecido     -     Recebido de Eg Lo

13 de novembro de 2018

O SISTEMA ENGANA TODO MUNDO

Os latinos de Honduras não são bobos. A grande maioria já desistiu de querer enfrentar o Trump lá na fronteira dele. Chegaram ao México, que deve ser melhor do que Honduras, aproveitaram as mordomias e incentivos oferecidos por Soros, ONU e companhia e “deixe estar, p’ra ver como é que fica”.  

Por falar em enganar o mundo: Há poucos dias vivemos aqui no Brasil um período de eleições e o que mais se ouvia eram denúncias e advertências sobre NOTÍCIAS FALSAS. Só que infelizmente se referiam apenas àquelas que trafegassem através das redes sociais e, quanto a essas, as pessoas minimamente esclarecidas têm condições de separar o joio do trigo. A coisa fica mais difícil quando o porta-voz do falseamento passa a ser o sistema estabelecido da mídia, dos órgãos de comunicação. Nestas eleições o sistema foi descaradamente parcial no apoio a uma das correntes e, mesmo assim, a outra venceu. Isso já aconteceu dois anos atrás nas eleições presidenciais nos EUA. Seria um sinal de que o povo está criando anticorpos contra uma mídia que “reza unida”? Talvez não chegue a tanto. Nos dois casos as falsidades plantadas não encontraram solo favorável. 
Na realidade a mentira tornou-se uma arma de alto poder destrutivo, capaz de levar ao extermínio de povos inteiros e catapultar países e suas estruturas de volta à idade da pedra.

José Saramago:
“O tempo das verdades plurais acabou. Vivemos no tempo da mentira universal. Nunca se mentiu tanto. Vivemos na mentira, todos os dias.”

E é preciso sempre lembrar: 
ACUSOU-SE UM POVO ALTAMENTE CIVILIZADO  - UM DOS QUE MAIS CONTRIBUIU PARA A EVOLUÇÃO CULTURAL DO MUNDO -  DE TER PRATICADO A MAIOR DAS CRUELDADES, UM ASSASSINATO PLANEJADO DE 6.000.000 DE PESSOAS, HOMENS, MULHERES E CRIANÇAS. O sistema encarregou-se da divulgação. Esta arma teve tal poder que não só fez o mundo inteiro acreditar, como até mesmo conseguiu que o próprio povo acusado se convencesse de sua pressuposta culpa.

Outro caso:
CRIOU-SE A GUERRA AO TERRORISMO, REDUZINDO A PÓ TRÊS PRÉDIOS DO WORLD TRADE CENTER EM NOVA YORQUE 
Com insustentáveis acusações obteve-se um falso pretexto para destruir nações inteiras no Oriente Médio e criar leis de exceção no ocidente.

O sucesso do sistema propagador se deve principalmente ao fato de não haver questionamento. Seriam simples letargia, comodismo, distração, ou demasiada preocupação com outros problemas os motivos para que não se levante a menor dúvida sobre tudo o que o noticiário da TV, ou a manchete do jornal afirmam. É verdade que tudo vem em dose concentrada e igual em todas as fontes, revelando que a  origem é uma só. 
Fato é que as pessoas não se perguntam onde e como teria sido possível matar 6 milhões de pessoas, cerca de 7 mil por dia. Uma mulher alemã, hoje com 90 anos, há pouco fez de público tal pergunta. Como resposta foi encarcerada e assim provavelmente permanecerá até o fim de sua vida. Seu nome: Ursula Haverbeck. Esta questão seria suficiente para suscitar muitas outras. 

As pessoas também deixam de se perguntar como é que os impactos de dois aviões conseguiram derrubar três enormes prédios. Tampouco ficaram admiradas com a capacidade premonitória de uma equipe de TV que já estava de prontidão, em posição estratégica, com suas câmeras assestadas para os pontos exatos onde os aviões atingiriam os objetivos.
Apesar de tudo a expressão FAKE NEWS foi popularizada.

28 de outubro de 2018

EM MARCHA CONTRA O 1º MUNDO

É a nova maneira de conduzir uma guerra. Alex Jones já a chamou de “Guerra do Século 21”.
Em vez de soldados regulares usam-se exércitos de invasores, as vezes armados, aí são mercenários – vide “primavera árabe”  -  ou caravanas de civis, homens, mulheres e crianças.  Tudo com o intuito de desestabilizar países, nações. Incentivado por corporações multinacionais e ONGs e ainda com o beneplácito da ONU. Um dos principais comandantes é o nosso já fartamente conhecido GEORGE SOROS.
Estão marchando agora contra os Estados Unidos, ou mais precisamente contra o governo do presidente Trump. Querem derrubá-lo aproveitando o fato de no próximo dia 6 de novembro ali serão realizadas eleições de renovação do congresso, no qual até agora Trump mantém tênue maioria. Para tanto fizeram partir de Honduras uma multidão de migrantes destinada a transitar a pé em direção ao norte, atravessando Guatemala, El Salvador,México até chegarem pouco antes do dia 6 à fronteira sul dos Estados Unidos. Ali espera-se que a prometida resistência de Trump forneça as imagens e reportagens necessárias, para lhe infringir acachapante derrota moral e eleitoral. E ele será obrigado a resistir para não decepcionar seus próprios adeptos.
Nesta batalha Trump é só um símbolo, o verdadeiro objetivo é a derrota do Estado Nacional e a expansão do GLOBALISMO. Para isto foram criadas essas ondas migratórias do Terceiro Mundo para o Primeiro. E que não se pense que elas se formam de maneira espontânea. Corre dinheiro, muito dinheiro. E não é só o Soros e sua Open Society, coordenadora e financiadora de centenas de ONGs  mundo afora. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados está ajudando. O custo dessa viagem, que está em curso através do México, é avaliado em 7000.- dólares por pessoa, enquanto a renda anual média em Honduras é de 2400.- dólares.
Trump declarou recentemente em Houston que ele é NACIONALISTA! Querem maior razão para que os globalistas, entre eles os Bush, Obama, Clinton, as grandes corporações, os bancos multinacionais, queiram sua derrubada? Sua esperança é que no entrevero, que acreditam,  vá ter que acontecer nos próximos dias na fronteira sul dos EUA, os jornalistas forneçam novos e suficientes motivos para alcançarem seus objetivos.
Tudo acontece com apoio da ONU. A arregimentação de seres humanos com o propósito de criar confrontos e situações caóticas é uma vergonha para o seu Conselho de Direitos Humanos. Aquele mesmo que já tentou interferir nas eleições que estão acontecendo no Brasil.
A cada dia fica mais claro o objetivo desta Guerra do Século 21 e que pode ser resumido a três palavras: NIVELAR POR BAIXO! Isto facilitará o pretendido DOMÍNIO MUNDIAL dos globalistas.

22 de outubro de 2018

EXTREMA DIREITA

O Brasil está vivendo momentos de decisão. A população está escolhendo como será o seu futuro político-administrativo. Normalmente decisões devem ser tomadas como resultado de muita reflexão, o que nem sempre acontece, ou porque são comandadas por sentimentos, por impulso, ou porque faltam condições de análise a de quem são exigidas. Decidir pode não ser fácil, nem é tarefa para qualquer um.
Em época de eleições sempre vêm à baila as orientações ideológicas dos eleitores, tais como liberalismo, marxismo, fascismo, gramscismo e outros tantos “ismos”, tudo hoje reduzido a ESQUERDA e DIREITA. Ainda há os centro-esquerda, que têm medo de serem confundidos com a direita, porque esta não tem bom trânsito na mídia. 
É perceptível que os veículos de comunicação estão seguindo um curso que pende para a esquerda. Isto confirma a tese, que aqui tem sido defendida, qual seja a de que existe uma central que diz qual a camisa que devem vestir. Ser de  direita, originalmente significava ser conservador, hoje  não é muito confortável, porque logo passa a ser considerado de “extrema-direita” e recebe o epíteto “nazista”. Até mesmo o nosso candidato à presidência já foi assim qualificado. Mas não sabem que nazista ou nazi, empregado como palavrão, já o era a dois mil anos, quando derivava de “nazareno”. Outra origem, que vem sendo citada para a palavra “nazi”, seriam os “asquenazim”, designando judeus do leste (khazares?).
Depois da Segunda Guerra nazi e nazista passaram a se referir ao movimento e partido nacional-socialista, evidentemente com um sentido pejorativo. Passou a ser aplicado para tudo que é contra a esquerda, mas a máscara de criminoso, malfeitor, que lhe foi imposta, não procede. É injusta, é uma obra tenebrosa, certamente originada no Instituto Tavistok. Pelo que vem acontecendo na atualidade se pode reconhecer claramente as razões que levaram a tal artifício. 

Em 31 de agosto de 1946, poucos dias antes de ser executado a mando do falso tribunal de Nurenberg, Alfred Rosenberg, um dos ideólogos do nacional-socialismo e ministro de estado disse: “O nacional-socialismo foi uma resposta europeia à pergunta do século. Foi a ideia mais nobre à qual um alemão podia dedicar as forças de que dispusesse.  Era uma genuína concepção social do mundo e ideal de pureza cultural do sangue. Por isso não posso na hora da angústia abjurar do ideal também da minha vida, do ideal de uma Alemanha socialmente pacificada e de uma Europa consciente dos seus valores e a ele (ideal) me mantenho fiel.” Não me parece exatamente palavra de bandido.

Mesmo  que modestamente, invoco a minha própria experiência de vida. Quando lá morei e era vigente o regime nacional-socialista, era guerra e medidas de exceção deveriam estar vigorando. Perguntar-se-ia: a população vivia atemorizada? Sim, devido a ameaça constante de bombardeios aéreos contra civis, praticados pelos aliados, mas não por atos de violência praticada pelas autoridades. Claro que se sabia da existência de campos de concentração. Sabia-se também de prisioneiros de guerra, que transitavam em pelotões pelas ruas da cidade, rumo a industrias, onde trabalhavam. Era severamente proibido sintonizar emissoras de rádio estrangeiras, mas sei que meu pai não se importava. Nunca soube de violência praticada pela polícia. Aquilo não era bem o que se imagina ser um regime de força. Por outro lado o progresso e bem estar geral que o regime implantou durante os seis anos de paz,, que lhe foram concedidos, são pouco mencionados, mas não ignotos.
Assim, se alguém é chamado de nazista, ele não necessariamente precisa se sentir ofendido.

6 de outubro de 2018

HITLER JÁ SABIA?

Ele sabia o que estava por acontecer. Foi um visionário:

“A começar pela família, passando por todos os conceitos de honra e liberdade, povo e pátria, cultura e economia, até o eterno fundamento da nossa moral e da nossa fé, nada é poupado por essa ideia que tudo renega, tudo destrói.”

Quando Hitler disse essas palavras, ele estava se referindo ao movimento comuno-socialista, seu maior rival e encarniçado adversário da época. E falou mais, lembrando o período de 1919 a 33, que quatorze anos de marxismo haviam arruinado o país e que mais um ano de bolchevismo exterminaria a Alemanha.

Tudo vem se encaixando. A Internacional Socialista, criada durante as comemorações do centenário da Revolução Francesa, foi o berço do GLOBALISMO de hoje e o objetivo de ambos é a DITADURA MUNDIAL! Que ninguém se iluda com os eufemismos “Nova Ordem Mundial”, ou “Governo Mundial”. Será ditadura mesmo. Maligna! Um regime destruidor e exterminador.

Para chegar aos seus objetivos, os globalistas se servem da perfídia e ardilosamente tecem suas teias, visando enfraquecer e desarmar possíveis antagonistas. Uma delas, talvez a mais importante, é o movimento MIGRATÓRIO, que está abarrotando países, cujos povos têm formação milenar. com populações alienígenas. Como consequência as aborígines perdem totalmente sua identidade e como povo deixam de existir. Ressalvado que antes não tenham se aniquilarem mutuamente. Nos Estados Unidos estão sendo criadas as maiores dificuldades ao presidente Trump, que busca estancar o processo. Mesmo os mais inocentes não podem deixar de perceber que é um movimento induzido artificialmente.

No próximo dia 11 de dezembro (11?) os representantes de 190 países filiados à ONU deverão assinar o Pacto Global pro Migração, sobre o qual já falei na edição de  31/7/2018, quando as negociações estavam em andamento. Parece que Estados Unidos e Hungria não pretendem participar. O pacto tem por finalidade considerar a migração um direito humano. Como na Alemanha de Merkel começava a se delinear uma oposição à imigração desenfreada, a chanceler fez com que o parlamento aprovasse, a toque de caixa, uma lei que afirma, que em vista da falta de mão de obra especializada no país, bastará que o imigrante declare ser especializado, para que tenha seu visto de permanência imediatamente emitido. Lembro que foi essa Merkel, a que abriu as fronteiras do país em 2015. É a mesma que transformou em esquerdistas os partidos conservadores, que constituem hoje a coligação que ela chefia e mais, é a herdeira política do último presidente da República Democrática Alemã, de dependência soviética (veja neste blog em 11.1.2017 – Socialismo e Cabala). 

É preciso ter muito ódio para querer renegar, destruir, acabar com o nosso mundo.

26 de setembro de 2018

COZINHA DO DIABO - Final


O tema TAVISTOK está “na boca do povo”, ou melhor, é atual e está chamando atenção. Ontem (24.9.2018) fiz uma visita ao blog do “HenryMakow phd” e o assunto, sob o título “9-11 as Trauma Brainwashing”, era esse Instituto, que eu chamo de cozinha do diabo. Como subtítulo ele usa os dizeres
Events like the holcaust, Hiroshima, Pearl Harbor and 9-11 are used to trauma brainwash society and change the direction of history
(Eventos como holocausto, Hiroshima, Pearl Harbor e 11 de setembro são usados para submeter a sociedade a uma traumática lavagem cerebral e mudar a direção da história).

Em meio à matéria Makow mostra a capa do livro de Joe Coleman, “Tavistok Institute for Human Relations”.

Como vimos na nossa edição anterior, Tavistock faz parte de uma estrutura ainda maior, do COMITÊ DOS 300, que exerce um controle de todos os países do mundo (exceto Rússia e China). Encontramos neste quadro também o CLUB OF ROME, que, por exemplo, teve a incumbência de estancar o desenvolvimento das economias agrária e industrial, favorecendo o “crescimento zero” mundo a fora. Veio desta área a oposição à energia nuclear, que teria assegurado o suprimento do mundo com energia elétrica pelos próximos 100 anos.

Em uma das reuniões do COMITÊ DOS 300 constavam da pauta os seguintes assuntos:
* Emancipação das mulheres.
* Consciência negra, miscigenação racial, quebra de tabus contra casamentos mistos.
* Rebelião da juventude contra más situações imaginárias.
* Conflito entre gerações.
* Experimentações com novos relacionamentos humanos e novas estruturas familiares. Homossexualismo e lesbianismo devem ser aceitos em todos os níveis da sociedade.
* Promoção de movimentos pró ecologia e meio ambiente tipo “Greenpeace”.
* Direcionamento do interesse para religiões orientais e perspectivas filosóficas.
* Renovação do interesse sobre o assim chamado cristianismo fundamentalista, que passa a ser politizado e instrumentalizado.
* Sindicatos devem privilegiar exigência de qualidade no ambiente de trabalho.
* Incrementação do interesse por meditação e outras disciplinas, tais como Cabala, que deve desalojar a cultura cristã. Pessoas especiais são escolhidas para divulgar e ensinar a Cabala, entre elas Shirley McLean, Roseann Barr, Madonna e Demi Moore.
* Valorização do processo de autorrealização.
* Criação de novas tendências musicais.
* Desenvolvimento de uma nova, rudimentar forma de falar, na qual a língua é tão mutilada, a ponto de se tornar ininteligível.

Ordem do dia de UMA reunião apenas

Essas e outras tantas tendências artificialmente criadas, provocam um clima social irritado e conduzem à perturbação de tudo quanto era estabelecido. Veem-se notícias de vítimas de estupro, que teria acontecido há dezenas de anos, levando somente agora suas acusações à plateia. A igreja se desmantela com a ajuda do seu preceptor mor, lavando roupa suja em público. Uma nova imagem humana passa a se manifestar, provocando radicais transformações da civilização. De forma imperceptível para as massas, os conceitos, opiniões e costumes vão se mudando. Quem pensa que isso é normal, faça parte da evolução, está muito enganado. As mudanças, que a sociedade vem experimentando, obedecem a receitas elaboradas na COZINHA DO DIABO . Talvez não demore para que o mundo venha a ter uma dolorosa indigestão.


12 de setembro de 2018

TAVISTOCK - Continuação


Este ferino instituto, que a toda hora vem interferindo em nossas vidas, faz parte da organização que pretende instalar a Nova Ordem Mundial neste planeta, o Comitê dos 300:
Podemos ver que o TAVISTOCK ocupa posição estratégica.
A propósito, o leitor Marco Antonio, em seu comentário à matéria da semana passada, nos informa que saiu agora edição em português desta obra do intrépido, indomável escritor DANIEL ESTULIN.

Façamos votos de que logo esteja à disposição também aqui no nosso país.
Outro escritor famoso, EDWARD BERNAYS, trabalhou do lado de lá. Como já vimos, pertenceu ao núcleo que estruturou o instituto. Era sobrinho de Sigmund Freud, que depois de 1938 também acabou no staff da organização. Muitos publicitários fizeram do livro PROPAGANDA de Edward Bernays o seu livro de cabeceira. Vejamos um trecho deste livro:
A manipulação consciente e inteligente dos costumes, dos comportamentos e das opiniões das massas é um elemento importante numa sociedade democrática. Aqueles que manipulam estes mecanismos imperceptíveis introduzem um governo invisível e este é o verdadeiro, dominante poder do país.
Nós somos governados, nossa consciência é modelada, nossos gostos são produzidos, nossas ideias criadas – em sua maior parte por homens dos quais nunca ouvimos falar. - Nossos governantes, em muitos casos desconhecem a identidade dos seus companheiros do Conselho Ministerial. (…) Enquanto a civilização vem se tornando mais complexa e a necessidade de um governo oculto se mostrar cada vez mais premente, foram sendo inventados e desenvolvidos os recursos técnicos, através dos quais as opiniões puderam ser disciplinadas e regulamentadas. As gráficas e a imprensa, o telefone, o telégrafo, o rádio e o avião, permitem que as ideias sejam rapidamente propagadas e isso até pela América inteira.
A comunicação em massa, possibilitada depois pela televisão, proporcionou ao manipuladores meios de controle social, nunca dantes sonhados (H.G.Wells). A rede de institutos de pesquisa de opinião que começou a ser criada depois da primeira guerra mundial também passou a ter uma importância significativa.
Patrono de tudo isto, o Comitê dos 300, planeja e ordena suas estratégias a longo prazo. Controla 400 dos 500 maiores cartéis do mundo. Nenhum candidato (exceto Rússia e China) é eleito sem o seu beneplácito e, sem a ajuda do comitê, não chega ao fim do seu mandato. Acredito que não seja um despropósito querer perguntar, se eles têm um favorito para as próximas eleições no Brasil.

Mais um pouco sobre o tema na próxima edição.

4 de setembro de 2018

TAVISTOCK - Cozinha do Diabo


Não, não foi o nosso Ministério da Educação e Cultura, o MEC, quem inventou o “Kit Gay”. Os autores, os que tiveram a ideia, foram outros. Nem são daqui. São os mesmos do “Gender Mainstream’, da Identidade de Gêneros, Violência contra Mulher, dos supremacistas e outros tantos bordões e movimentos, todos com objetivos escusos, os quais perseguem, pretendendo moldar o pensamento das pessoas e a orientação das sociedades. Sugiro que se preste muita atenção à declaração que transcrevo a seguir e que tem um alcance maior do que parece à primeira vista.

Propagando pseudo-atrocidades nos ganhamos a guerra… e é agora que vamos começar com isso de verdade!” - Palavras de Sefton Delmer, ex-propagandista chefe britânico, ditas ao especialista em direito internacional alemão Prof. Grimm, após a rendição alemã em 1945. E Delmer continua: “Vamos prosseguir com essa propaganda aterradora, vamos incrementá-la até que ninguém mais aceite uma boa palavra desses alemães, até que acabe toda simpatia que porventura ainda tenham em outros países e que eles próprios sejam tão confundidos, que não saibam mais o que fazer. Quando isso for alcançado, quando eles começarem a sujar seu próprio ninho, não contra sua vontade, mas solícitos e dispostos a agradar os vencedores, só então a vitória estará completada. Nunca será definitivo, A reeducação precisa ser cultivada cuidadosamente, como gramado inglês. Bastará um momento de negligência, Para que a inerradicável erva daninha da verdade histórica volte a romper à superfície.

Mais importante que fabricar bombas, tanques, foguetes - toda aquela tralha - é FABRICAR OPINIÃO. Para tanto não basta só divulgar um conceito. É preciso que o público-alvo deixe de se dar ao trabalho de desenvolver sua opinião própria. Há que distraí-lo, não deixar que pense, que leia, que se instrua. O livro perdeu mercado para o computador e este para a drogazinha do smart. Dá para estudar pelo smart?

COMEÇOU HÀ MAIS DE CEM ANOS
Em 1913 foi instalada na Wellington House em Londres uma organização com uma incumbência inusitada. Ela tinha que criar e propagar receitas publicitárias, que tivessem por objetivo fazer com que a população britânica desenvolvesse uma OPINIÃO PÚBLICA favorável a uma declaração de guerra contra a Alemanha. A direção foi entregue aos lordes Rothmere e Northcliff e o financiamento inicial foi assumido pela Casa Real, passando mais tarde aos Rothschilds, que, por casamento, tinham parentesco com os Northcliffs.

O público-alvo foi logo estendido também aos norte-americanos, onde os responsáveis passaram a ser Walter Lippmann e Edward Bernays, enquanto Toynbee cuidava dos ingleses.

A Wellington House acabou provando que era capaz de realizar um endoutrinamento em massa, vulgarmente chamado de “lavagem cerebral”. Influenciou assim decisivamente os destinos de Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Em 1921, portanto logo após a primeira e antes da segunda guerra mundial, foi transformada em TAVISTOCK INSTITUTE OF HUMAN RELATIONS.

Em 1937 o COMITÊ DOS 300 (já foi assunto deste blog em 17 em 29 de maio de 2017 e pode ser acessado) incumbiu o TAVISTOCK INSTITUTE de desenvolver estratégias para criação de uma NOVA ORDEM MUNDIAL sob um governo único. O financiamento coube à Família Real inglesa, aos Rothschilds, ao Milner Group e às fundações Rockefeller.

Certamente já é possível constatar, que “há muito mais por trás do que se noticia, mais do que supõe a vã filosofia”. Mais sobre TAVISTOCK na próxima edição. Enquanto isso PASSE ADIANTE, COMPARTILHE!


25 de agosto de 2018

PODER OCULTO é PARANORMAL


Acaso? Coincidência? Obra do Capeta?



Acho que quem optou pela terceira opção chegou mais perto da verdade. Estas três mulheres têm muita coisa em comum e não é só a faixa etária. Uma, a da esquerda, acaba de completar 64 anos e as outras duas são cerca de dois anos mais jovens. Vejamos o que as distingue e por que esta foto é reveladora:

A primeira da esquerda para a direita, ANGELA MERKEL: Nasceu em Hamburgo, Alemanha, mas criou-se e cresceu na República Democrática da Alemanha (sob controle soviético) onde frequentou universidades em Leipzig e Berlim.
A do meio, THERESA MAY, nasceu em Eastbourne, Inglaterra. Formou-se pela Universidade de Oxford.
A terceira, DALIA GRYBAUKAITE, nasceu em Vilnius, Lituânia. Formou-se pela universidade de Georgtown, Washington DC .
Apesar de jovens e de tão diferentes origens, alguém, vidente por sinal, as reuniu sob um só teto, onde foi gravada esta imagem e onde, com toda certeza, a elas foi administrada uma doutrinação, que as preparasse para o importante futuro, que estava lhes sendo reservado. A saber:

Uma desde 2005 ocupa o cargo de Chanceler no governo da República Federal da Alemanha. É ela a que vem promovendo a toque de caixa a substituição racial e cultural dos povos europeus

A segunda assumiu em 2016 o cargo de Premier no governo do Reino Unido, aparentemente com o propósito de sabotar o quanto pudesse o BREXIT, decidido em referendo pelo povo inglês. Assim colabora intimamente com o trabalho que vem sendo executado pela primeira. Já desde 2010, quando era ministra do interior, tinha o codinome de “ministra das sombras” (mandava mais que o próprio premier).

A terceira já ocupou o cargo de Comissária Europeia de Programação Financeira e é hoje é presidente do seu país, a Lituânia, o mais meridional dos Países Bálticos. Não sei se já deu prova do que mais lhe foi atribuído, mas também não podemos saber tudo o que acontece por trás do pano.

Fica a pergunta, como é que alguém sabia com antecedência de 20 anos, ou mais, que estas três mulheres um dia seriam “eleitas” chefes de estado Consta que a foto acima e portanto a reunião destas três personagens teria acontecido no TAVISTOCK INSTITUTE FOR HUMAN RELATIONS em Londres. Conclusão indiscutível que dela podemos tirar é a de que o famoso PODER OCULTO existe e o seu propósito de transformar o mundo não é “teoria de conspiração”.
Mais Tavistock no próximo post.
NÃO DEIXE DE PASSAR ADIANTE!

14 de agosto de 2018

OS SUPREMACISTAS


Faz um ano desde os tumultos ocorridos em Charlottesville, quando um grupo de pessoas protestou contra a retirada de uma estátua, erigida em memória do general Robert E.Lee. Ele sempre foi considerado um herói da história americana. Foi uma decisão da governança do município que reascendeu desnecessariamente a dissensão entre sulistas e yankees nortistas. Isto foi devidamente aproveitado pela esquerda globalista para mobilizar uma contramanifestação, que não teria passado de costumeiras agressões verbais de lado a lado, não tivesse ocorrido o atropelamento fatal de uma mulher. Claro que a mídia tendenciosa incluiu imediatamente o motorista causador entre os famigerados sulistas , direitistas, racistas, nazistas, passando tudo a ser de responsabilidade dos SUPREMACISTAS BRANCOS! Pronto, ponto para os que querem incentivar o ódio, seja entre origens ou grupos populacionais, plantando brechas na sociedade. Hoje não precisa mais falar em “brancos”, basta dizer “supremacistas” e com isto acontece uma discriminação subliminar dos BRANCOS, o que na verdade é uma incitação ao ódio velada. Não há mais razões para falar de “supremacia”. Nos Estados Unidos a discriminação terminou, se não me engano, nos anos 60 do século passado. Na África do Sul acabou oficialmente em 1994 (há notícias de que agora está virando ao contrário).

O uso, ou o mau uso das palavras passou a ser uma ciência. Outro exemplo temos na história da segunda guerra. A palavra NAZISTAS passou a caracterizar os maus combatentes, os malintencionados. Não foi uma guerra dos anglo-saxões contra os alemães, ambas as partes com seus respectivos aliados, não, foi uma guerra do mundo contra os NAZISTAS. A propósito uma pergunta: Os nazistas, acusados de tantas crueldades, não eram brancos? Fato é que hoje as notícias falam de “nazis” em Charlottesville, ou em qualquer parte do mundo e a OPINIÃO de quem ouve, ou lê, já passa a ser a de que não estão falando de gente boa. Com SUPREMACISTAS acontece a mesma coisa.

É um jogo de palavras, um jogo tétrico. Serve para fabricar opiniões! OPINIÃO DEVE SER FRUTO DE RACIOCÍNIO.

»Recomende a matéria a seus amigos, o Toedter agradece«



31 de julho de 2018

PROPAGANDA DA NOVA ORDEM



Que tal, o que acham desta capa de revista? Não é uma revistinha qualquer, é a NATIONAL GEOGRAFIC! É uma imagem um tanto exótica, diferente, chama a atenção. Já pedi aqui que os promotores da NOVA ORDEM MUNDIAL nos dissessem, divulgassem, o que imaginam, como seria, por o quê tanto se empenham, que benefícios traria para a humanidade essa mudança, mudança que já trouxe tanta desordem e prejuízos ao nosso mundo. Seria essa ilustração de capa de revista uma antevisão do que nos espera?

Vejamos o título: “EVOLUÇÃO EUROPA – Como ondas de imigrantes estão semeando o futuro”. Evolução? Deve ser a substituição da Sonata ao Luar de Beethoven por um alegre concerto de Rap e demonstrações de hip hop gratuitas. Mas atualmente as pessoas lá não estão muito entusiasmadas. Estas fotos de Paris, Cidade Luz não são muito animadoras.

Dois vídeos, que podem ser acessados pelos endereços abaixo, dizem que portugueses e espanhóis também não estão gostando da “evolução” que está se prenunciando.

Voltando à nossa capa de revista, que não só parece, mas realmente deve ser anúncio de “dias melhores”, pois segue dizendo:
Reformando um continente \ 23
Ganhando a guerra contra o racismo \ 39
Mitos de identidade cultural \ 52
Os benefícios de crianças birraciais \ 67
Entende-se que revista toda é dedicada ao assunto, o que não é de surpreender, pois a criação do NOVO MUNDO pela NOVA ORDEM MUNDIAL é iniciativa de meios oficiais, inclusive da ONU.

Em 2006 os parceiros do Processo de Rabat no esquema da Declaração Conjunta África - União Europeia assumiram compromissos sobre a Migração e o Desenvolvimento, que resultaram:
- a Declaração África - União Europeia de 2014 sobre Migração e Mobilidade,
- a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, adotada pelas Nações Unidas em 2015,
- a Declaração de Nova Iorque sobre Refugiados e Migrantes adotada em 19 de setembro de 2016 pelas Nações Unidas,
- a Declaração das Nações Unidas sobre o Diálogo de Alto Nível sobre Migração Internacional de 2013,
- a Declaração Política da 5ª União Africana - União Europeia de 2017;

A partir de 2 de maio deste ano de 2018 encontraram-se representantes diplomáticos de AUSTRIA, BELGIUM, BENIN, BULGARIA, BURKINA FASO,CABO VERDE, CAMEROON, CENTRAL AFRICAN REPUBLIC, CHAD, CONGO, CÔTE D’IVOIRE, CROATIA, CYPRUS, CZECH REPUBLIC, DEMOCRATIC REPUBLIC OF THE CONGO, DENMARK, EQUATORIAL GUINEA, ESTONIA, FINLAND, FRANCE, GABON, GAMBIA, GERMANY, GHANA, GREECE, GUINEA, GUINEA-BISSAU, IRELAND, ITALY, LATVIA, LIBERIA, LITHUANIA, LUXEMBOURG, MALI, MALTA, MAURITANIA, MOROCCO, NETHERLANDS, NIGER, NIGERIA, NORWAY, POLAND, PORTUGAL, ROMANIA, SÃO TOMÉ AND PRÍNCIPE, SENEGAL, SIERRA LEONE, SLOVAKIA, SLOVENIA, SPAIN, SWEDEN, SWITZERLAND, TOGO, TUNISIA e UNITED KINGDOM em Marrakesh/ Marrocos e tomaram decisões, as quais, para quem se interessar, podem ser acompanhadas pelo seguinte endereço:

Alguém ainda duvida de que a imagem na capa da revista National Geográfic é de fato anúncio patrocinado pela NOVA ORDEM MUNDIAL?

25 de julho de 2018

CROÁCIA DIFERENTE


Esta  foto acaba de cair na minha caixa postal.
Ela dispensa explicações e tradução. (imagem joseginja)

16 de julho de 2018

MUNDO EM TRANSE

Não me lembro de ter vivido, nem de ter tido notícia, de um período tão imperscrutável politicamente, igual ao que vivemos hoje. Tivemos há cerca de oitenta anos a segunda grande guerra mundial, que foi uma espécie de “o pontapé inicial”,que desencadeou uma série de mudanças de posturas, hábitos e acontecimentos que se atropelavam no mundo até os dias atuais. Como toda guerra, esta também teve seus vencedores e derrotados e se diz que são os vencedores  que escrevem a história.

Oficialmente temos como vencedores os Estados Unidos, o Reino Unido, a França e a União Soviética, bem como o então ainda não oficialmente existente Israel. Como derrotado o 3º Reich, constituído por Alemanha e Áustria, correndo a Itália, Japão e outros menos votados, por fora.

Temos ainda a Polônia que aos primeiros serviu de isca para detonar o litígio e, apesar de agredida também por um dos vencedores, acabou premiada e incluída no rol dos laureados. Cabe mencionar também, a título de curiosidade, que o não existente Israel sob o nome de JUDEA já declarara guerra ao Reich Alemão seis anos antes que os demais começassem a fazê-lo, precisamente em março de 1934. Eis então como esteve armado o tabuleiro de xadrez que acabou gerando a situação que hoje vivemos, qual seja a de não conseguir atinar em que direção estamos nos movendo e qual o destino deste nosso mundo. 

OS MAL-INTENCIONADOS 

Na verdade a tal Guerra Mundial contra o 3º Reich não terminou. O que restou daquela nação está nos noticiários todos os dias, concorrendo com os principais nomes da atualidade. Não deveria, uma vez que não é mais o que era. O território que abrangia teve parte desmembrada e doada à Polônia. A Áustria voltou a ser nação separada. A Alemanha pós-guerra passou a ser uma espécie de S/A, filial dos EUA, ocupada militarmente e controlada pela CIA. Até o presente momento NÃO EXISTE TRATADO DE PAZ. Como se explica a atual notoriedade?

Essa Alemanha S/A  teve implantado um governo, dito republicano e, consequentemente, vários gerentes chamados de chanceleres. Esse cargo vem sendo ocupado desde 2005 por uma senhora chamada ANGELA, que nada tem de celestial. Essa Angela MERKEL não vem se dedicando, como jurou, ao bem do povo que dirige, mas, ao contrário, é ela que está promovendo a extinção étnica dessa gente. Por tabela, é responsável por fazer o mesmo com toda a população branca da União Europeia. É um processo que pode provocar uma guerra civil e botar fogo em todo o continente. MERKEL, verdadeiro anjo do mal, conta com o apoio de Soros, lugar-tenente de ROTHSCHILD, imperador da Wall Street de Londres (onde o dinheiro nunca dorme). Foi ele, Rothschild, que fez seu ex-empregado MACRON ser eleito o atual presidente da França. Talvez até devesse substituir a Merkel , mas ela resiste. São esses os que atualmente mais aparecem na linha de frente dos que buscam criar a NOVA ORDEM MUNDIAL.

MAIS DOIS NOMES EM EVIDÊNCIA

Temos mais dois nomes que estão botando a mão no timão que dirige a humanidade ao seu futuro: Os presidentes TRUMP dos Estados Unidos e PUTIN da Rússia. Ambos geram constantes manchetes. Hoje estarão se encontrando na Finlândia.

TRUMP É O MAIS ODIADO? - Se atentarmos para o que a mídia nos mostra e informa, esta pergunta deve ser respondida afirmativamente. Os noticiários procuram denegrir sua imagem de todas as maneiras e ele ajuda. Faz declarações contraditórias e desafiadoras. Não costuma sair bem na foto e é antagonizado publicamente por manifestações de rua em países que visita. Isto desperta um alerta. O que é que um cidadão francês, belga ou inglês tem a reclamar de TRUMP, que o faça largar seus afazeres, ou seu conforto, confeccionar cartazes de protesto e IR P’RA RUA, manifestar sua desavença com o visitante do seu país? É claro que isto é induzido, organizado com propósitos bem definidos. Afinal, para o que hoje existem ONGs?  São os Globalistas que não gostam de Trump. Ele se definiu e foi eleito como NACIONALISTA, portanto é deles o inimigo número um.

Trump está empenhado em recuperar a economia da nação que preside e evitar a substituição cultural da sua população. Propósitos lógicos que todo dirigente deveria ter. Mas desde que em 1989 George H. W. Bush  assumiu a presidência dos EUA todos os governos que antecederam a Trump foram globalistas. Deixaram um legado, hoje chamado de DEEP STATE, um estado paralelo, infiltrado em todas as áreas governamentais, criando toda sorte de dificuldades para o atual mandatário. Acho que isto explica por que os formadores tendenciosos da opinião pública não gostam dele.

Finalmente temos o seu interlocutor de hoje Vladimir PUTIN, presidente da Rússia, fortemente hostilizado por quase todo o ocidente, incluindo governo e imprensa. Não me perguntem o motivo. Igual à Merkel, Putin se criou sob influência da União Soviética, ele na KGB (Serviço Secreto) e ela em destaque político na antiga Alemanha Oriental, também comunista. Ao contrário dela, acredito que ele, Putin, não guardou veleidades ideológicas. Ele está cuidando bem dos interesses do seu país. Por mais que seja hostilizado, Putin não antagoniza ninguém. Conseguiu boas relações públicas com a organização do campeonato mundial de futebol. Não creio que a conferência entre Putin e Trump, que está em andamento, venha a mostrar resultados relevantes.

Bem ao contrário dos primeiros  nomes citados neste post, eu confiaria bem mais nestes dois últimos a tarefa de enfrentar as dificuldades e os problemas que nos esperam.

5 de julho de 2018

VACINAS - PUTIN ESTÁ CERTO

Não é só ele que questiona a liberalidade que tomou conta da saúde pública, com o amplo e indiscriminado uso de vacinas.  Mas o bom é que é um chefe de estado que agora se manifesta. Médicos e cientistas já o fizeram e consta que alguns já pagaram caro por tê-lo feito.

Durante a campanha para a reeleição deste ano Putin prometera (Pravda) que pretendia realizar a primeira e ampla investigação mundial sobre a segurança das substâncias empregadas na imunização das pessoas. Importante notar que isso não vem sendo feito, porque o Congresso dos EU aprovou uma lei que impede que os produtores de fármacos não podem ser responsabilizados judicialmente por danos resultantes de vacinas. Testes de vacinas só acontecem esporadicamente.

Putin afirmou que é notório o fato de vacinas já terem causado sérios danos a muitas pessoas e que é preciso descobrir o porquê. “Temos que descobrir quais as que são seguras e quais as que não. Até hoje não existem pesquisas de longo prazo - meses, anos – que determinem a segurança da vacinação de crianças.” Deu a entender também que a incontrolada expansão da indústria de vacinas possa ter a ver com o aumento dos casos de autismo.

A segurança do povo russo sempre foi uma das preocupações centrais de Putin e ele não confia na indústria de vacinas. Não está só com tais receios. O eugenista Bill Gates tem suas dúvidas. Foi ele que disse que “vacinações são o melhor meio para reduzir a população”. O Presidente Trump já manifestou a ideia de constituir uma comissão, com o fim de analisar os efeitos negativos dos procedimentos de imunização. O ator Robert de Niro tem um filho autista e acredita que o mal é consequência da vacina. Ofereceu 100 mil dólares a quem lhe provasse que o ingrediente Thiomersal (mercúrio) é seguro e inofensivo. Ninguém se candidatou até agora.

Recentes notícias nos dão conta de que o sarampo voltou a se manifestar aqui no Brasil, depois de há muitos anos estar ausente das nossas estatísticas sanitárias. Isto, naturalmente, graças às campanhas de vacinação. Já se cogita em reencetá-las.  Mas seria o sarampo algo tão perigoso? Eu, quando criança, tive sarampo, como então a maioria das crianças. Era considerado normal a criançada passar por uma bateria de determinadas doenças – não me lembro dos nomes – pois quem as tivesse uma vez, não as teria de novo. Também não assustavam, quando adequadamente cuidadas (em casa mesmo) em pouco tempo eram superadas. O bom era que a gente não precisava ir às aulas por uns dias.

Uma coisa fica clara: a vacina tornou-se um negócio dos mais rentáveis, talvez trilhonário. É uma mercadoria de consumo quase obrigatório, paga com dinheiro público. Acho que Putin está certo.

29 de junho de 2018

"HERRENVOLK" (Povo Soberano)

Constantemente se é confrontado com a afirmação de que o alemão acreditava pertencer a uma raça, casta ou etnia superior. Pura lenda. Já abordei aqui este assunto há quase dois anos atrás. Mostrei ali o que o próprio Hitler pensava da (im)pureza racial da nação da qual ele então ainda era um simples político. Sem dúvida foi este seu pensamento a origem para uma série de medidas que adotou após assumir o governo, destinadas a preventivar justamente a miscigenação que estava temendo ou que estaria ocorrendo. Parece que estas medidas incomodavam demais a Franklin D. Roosevelt, que então era presidente dos Estados Unidos e, como se confirma hoje, estava em plena atividade para criar o império mundial americano. Daí a intensa e duradoura campanha de desinformação que deixou o alemão estigmatizado como soberbo, pretensamente superior aos outros povos.
Impõe-se aqui também mencionar o reverso da medalha. Se um queria apurar a genética do seu povo, havia o outro que queria destruí-la.
Wendell Wilkie, encarregado especial de Roosevelt, diz em sem livro “One World” que Roosevelt e Josef Stalin combinaram ter como objetivo primordial da guerra a “Abolição da exclusividade racial” (Abolition of racial exclusiveness) dos alemães, através sua mistura forçada com povos de raças e culturas estranhas. Diz ainda que durante a ocupação pelos aliados deverá ser incentivada a imigração e assentamento de não-germânicos, especialmente de homens. Pois no que restou da Alemanha a população de estrangeiros ou de origem estrangeira hoje já soma 20%.
Se genocídio é extermínio ou desintegração de grupos humanos, o que esses dois chefes de estado projetaram é exatamente isto.
Vivi na Alemanha, sendo três anos sob o regime nacional-socialista. Nunca deparei com qualquer afirmação oficial que buscasse fazer o povo crer ser um “povo eleito” ou ser de raça superior, como a desinformação insiste em divulgar. Mesmo porque teria sido ridicularizada no próprio meio. 
Ainda, para confirmar este meu modo de ver a questão, consultei o texto  do programa do NSDAP, Partido Nacional-socialista dos Trabalhadores Alemães, a fim de ver se ali haveria alguma indicação de presunção de superioridade. Entre os seus 25 Pontos, estabelecidos em 24/2/1920 e que não sofreram alteração até o final, nada encontrei. Ao contrário, em seu Ponto 2 reivindica IGUALDADE do povo alemão em relação às outras nações. Este programa (os nossos partidos têm Programa?) pode ser acessado na internet em traduções não exatamente fiéis. O endereço onde encontrei um no idioma original não existe mais.
Para confundir ainda mais, a desinformação insiste em interligar termos como raça superior e arianos. Estes podem tanto designar castas nobres na antiga Índia e Ásia Menor como agrupamento indo-iraniano da família linguística indo-germânica. Portanto, quando empregada corretamente, a designação deve se referir à segunda interpretação e envolve grande número de povos. Acredite: Herrenvolk é mais uma das mentiras dos marqueteiros de Roosevelt.

Em tempo: Acaba de ser lançado pela Juruá Editora o livro “Os Soldados Alemães de Vargas”. É de autoria do Prof. Dennison de Oliveira, catedrático de História da Universidade Federal do Paraná. Mestre em Ciências Políticas e Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp, o Professor Dennison de Oliveira aborda com competência e objetividade o envolvimento do Brasil com a Segunda Guerra Mundial, como já o fizera em sua obra anterior “Os Soldados Brasileiros de Hitler”.  Trata-se de uma contribuição de peso para o entendimento daquele passado histórico. 

Esta matéria foi divulgada em 11 de outubro de 2008 no antigo blog do Toedter sob 2a.guerra.zip.net/