12 de setembro de 2018

TAVISTOCK - Continuação


Este ferino instituto, que a toda hora vem interferindo em nossas vidas, faz parte da organização que pretende instalar a Nova Ordem Mundial neste planeta, o Comitê dos 300:
Podemos ver que o TAVISTOCK ocupa posição estratégica.
A propósito, o leitor Marco Antonio, em seu comentário à matéria da semana passada, nos informa que saiu agora edição em português desta obra do intrépido, indomável escritor DANIEL ESTULIN.

Façamos votos de que logo esteja à disposição também aqui no nosso país.
Outro escritor famoso, EDWARD BERNAYS, trabalhou do lado de lá. Como já vimos, pertenceu ao núcleo que estruturou o instituto. Era sobrinho de Sigmund Freud, que depois de 1938 também acabou no staff da organização. Muitos publicitários fizeram do livro PROPAGANDA de Edward Bernays o seu livro de cabeceira. Vejamos um trecho deste livro:
A manipulação consciente e inteligente dos costumes, dos comportamentos e das opiniões das massas é um elemento importante numa sociedade democrática. Aqueles que manipulam estes mecanismos imperceptíveis introduzem um governo invisível e este é o verdadeiro, dominante poder do país.
Nós somos governados, nossa consciência é modelada, nossos gostos são produzidos, nossas ideias criadas – em sua maior parte por homens dos quais nunca ouvimos falar. - Nossos governantes, em muitos casos desconhecem a identidade dos seus companheiros do Conselho Ministerial. (…) Enquanto a civilização vem se tornando mais complexa e a necessidade de um governo oculto se mostrar cada vez mais premente, foram sendo inventados e desenvolvidos os recursos técnicos, através dos quais as opiniões puderam ser disciplinadas e regulamentadas. As gráficas e a imprensa, o telefone, o telégrafo, o rádio e o avião, permitem que as ideias sejam rapidamente propagadas e isso até pela América inteira.
A comunicação em massa, possibilitada depois pela televisão, proporcionou ao manipuladores meios de controle social, nunca dantes sonhados (H.G.Wells). A rede de institutos de pesquisa de opinião que começou a ser criada depois da primeira guerra mundial também passou a ter uma importância significativa.
Patrono de tudo isto, o Comitê dos 300, planeja e ordena suas estratégias a longo prazo. Controla 400 dos 500 maiores cartéis do mundo. Nenhum candidato (exceto Rússia e China) é eleito sem o seu beneplácito e, sem a ajuda do comitê, não chega ao fim do seu mandato. Acredito que não seja um despropósito querer perguntar, se eles têm um favorito para as próximas eleições no Brasil.

Mais um pouco sobre o tema na próxima edição.

4 de setembro de 2018

TAVISTOCK - Cozinha do Diabo


Não, não foi o nosso Ministério da Educação e Cultura, o MEC, quem inventou o “Kit Gay”. Os autores, os que tiveram a ideia, foram outros. Nem são daqui. São os mesmos do “Gender Mainstream’, da Identidade de Gêneros, Violência contra Mulher, dos supremacistas e outros tantos bordões e movimentos, todos com objetivos escusos, os quais perseguem, pretendendo moldar o pensamento das pessoas e a orientação das sociedades. Sugiro que se preste muita atenção à declaração que transcrevo a seguir e que tem um alcance maior do que parece à primeira vista.

Propagando pseudo-atrocidades nos ganhamos a guerra… e é agora que vamos começar com isso de verdade!” - Palavras de Sefton Delmer, ex-propagandista chefe britânico, ditas ao especialista em direito internacional alemão Prof. Grimm, após a rendição alemã em 1945. E Delmer continua: “Vamos prosseguir com essa propaganda aterradora, vamos incrementá-la até que ninguém mais aceite uma boa palavra desses alemães, até que acabe toda simpatia que porventura ainda tenham em outros países e que eles próprios sejam tão confundidos, que não saibam mais o que fazer. Quando isso for alcançado, quando eles começarem a sujar seu próprio ninho, não contra sua vontade, mas solícitos e dispostos a agradar os vencedores, só então a vitória estará completada. Nunca será definitivo, A reeducação precisa ser cultivada cuidadosamente, como gramado inglês. Bastará um momento de negligência, Para que a inerradicável erva daninha da verdade histórica volte a romper à superfície.

Mais importante que fabricar bombas, tanques, foguetes - toda aquela tralha - é FABRICAR OPINIÃO. Para tanto não basta só divulgar um conceito. É preciso que o público-alvo deixe de se dar ao trabalho de desenvolver sua opinião própria. Há que distraí-lo, não deixar que pense, que leia, que se instrua. O livro perdeu mercado para o computador e este para a drogazinha do smart. Dá para estudar pelo smart?

COMEÇOU HÀ MAIS DE CEM ANOS
Em 1913 foi instalada na Wellington House em Londres uma organização com uma incumbência inusitada. Ela tinha que criar e propagar receitas publicitárias, que tivessem por objetivo fazer com que a população britânica desenvolvesse uma OPINIÃO PÚBLICA favorável a uma declaração de guerra contra a Alemanha. A direção foi entregue aos lordes Rothmere e Northcliff e o financiamento inicial foi assumido pela Casa Real, passando mais tarde aos Rothschilds, que, por casamento, tinham parentesco com os Northcliffs.

O público-alvo foi logo estendido também aos norte-americanos, onde os responsáveis passaram a ser Walter Lippmann e Edward Bernays, enquanto Toynbee cuidava dos ingleses.

A Wellington House acabou provando que era capaz de realizar um endoutrinamento em massa, vulgarmente chamado de “lavagem cerebral”. Influenciou assim decisivamente os destinos de Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Em 1921, portanto logo após a primeira e antes da segunda guerra mundial, foi transformada em TAVISTOCK INSTITUTE OF HUMAN RELATIONS.

Em 1937 o COMITÊ DOS 300 (já foi assunto deste blog em 17 em 29 de maio de 2017 e pode ser acessado) incumbiu o TAVISTOCK INSTITUTE de desenvolver estratégias para criação de uma NOVA ORDEM MUNDIAL sob um governo único. O financiamento coube à Família Real inglesa, aos Rothschilds, ao Milner Group e às fundações Rockefeller.

Certamente já é possível constatar, que “há muito mais por trás do que se noticia, mais do que supõe a vã filosofia”. Mais sobre TAVISTOCK na próxima edição. Enquanto isso PASSE ADIANTE, COMPARTILHE!


25 de agosto de 2018

PODER OCULTO é PARANORMAL


Acaso? Coincidência? Obra do Capeta?



Acho que quem optou pela terceira opção chegou mais perto da verdade. Estas três mulheres têm muita coisa em comum e não é só a faixa etária. Uma, a da esquerda, acaba de completar 64 anos e as outras duas são cerca de dois anos mais jovens. Vejamos o que as distingue e por que esta foto é reveladora:

A primeira da esquerda para a direita, ANGELA MERKEL: Nasceu em Hamburgo, Alemanha, mas criou-se e cresceu na República Democrática da Alemanha (sob controle soviético) onde frequentou universidades em Leipzig e Berlim.
A do meio, THERESA MAY, nasceu em Eastbourne, Inglaterra. Formou-se pela Universidade de Oxford.
A terceira, DALIA GRYBAUKAITE, nasceu em Vilnius, Lituânia. Formou-se pela universidade de Georgtown, Washington DC .
Apesar de jovens e de tão diferentes origens, alguém, vidente por sinal, as reuniu sob um só teto, onde foi gravada esta imagem e onde, com toda certeza, a elas foi administrada uma doutrinação, que as preparasse para o importante futuro, que estava lhes sendo reservado. A saber:

Uma desde 2005 ocupa o cargo de Chanceler no governo da República Federal da Alemanha. É ela a que vem promovendo a toque de caixa a substituição racial e cultural dos povos europeus

A segunda assumiu em 2016 o cargo de Premier no governo do Reino Unido, aparentemente com o propósito de sabotar o quanto pudesse o BREXIT, decidido em referendo pelo povo inglês. Assim colabora intimamente com o trabalho que vem sendo executado pela primeira. Já desde 2010, quando era ministra do interior, tinha o codinome de “ministra das sombras” (mandava mais que o próprio premier).

A terceira já ocupou o cargo de Comissária Europeia de Programação Financeira e é hoje é presidente do seu país, a Lituânia, o mais meridional dos Países Bálticos. Não sei se já deu prova do que mais lhe foi atribuído, mas também não podemos saber tudo o que acontece por trás do pano.

Fica a pergunta, como é que alguém sabia com antecedência de 20 anos, ou mais, que estas três mulheres um dia seriam “eleitas” chefes de estado Consta que a foto acima e portanto a reunião destas três personagens teria acontecido no TAVISTOCK INSTITUTE FOR HUMAN RELATIONS em Londres. Conclusão indiscutível que dela podemos tirar é a de que o famoso PODER OCULTO existe e o seu propósito de transformar o mundo não é “teoria de conspiração”.
Mais Tavistock no próximo post.
NÃO DEIXE DE PASSAR ADIANTE!

14 de agosto de 2018

OS SUPREMACISTAS


Faz um ano desde os tumultos ocorridos em Charlottesville, quando um grupo de pessoas protestou contra a retirada de uma estátua, erigida em memória do general Robert E.Lee. Ele sempre foi considerado um herói da história americana. Foi uma decisão da governança do município que reascendeu desnecessariamente a dissensão entre sulistas e yankees nortistas. Isto foi devidamente aproveitado pela esquerda globalista para mobilizar uma contramanifestação, que não teria passado de costumeiras agressões verbais de lado a lado, não tivesse ocorrido o atropelamento fatal de uma mulher. Claro que a mídia tendenciosa incluiu imediatamente o motorista causador entre os famigerados sulistas , direitistas, racistas, nazistas, passando tudo a ser de responsabilidade dos SUPREMACISTAS BRANCOS! Pronto, ponto para os que querem incentivar o ódio, seja entre origens ou grupos populacionais, plantando brechas na sociedade. Hoje não precisa mais falar em “brancos”, basta dizer “supremacistas” e com isto acontece uma discriminação subliminar dos BRANCOS, o que na verdade é uma incitação ao ódio velada. Não há mais razões para falar de “supremacia”. Nos Estados Unidos a discriminação terminou, se não me engano, nos anos 60 do século passado. Na África do Sul acabou oficialmente em 1994 (há notícias de que agora está virando ao contrário).

O uso, ou o mau uso das palavras passou a ser uma ciência. Outro exemplo temos na história da segunda guerra. A palavra NAZISTAS passou a caracterizar os maus combatentes, os malintencionados. Não foi uma guerra dos anglo-saxões contra os alemães, ambas as partes com seus respectivos aliados, não, foi uma guerra do mundo contra os NAZISTAS. A propósito uma pergunta: Os nazistas, acusados de tantas crueldades, não eram brancos? Fato é que hoje as notícias falam de “nazis” em Charlottesville, ou em qualquer parte do mundo e a OPINIÃO de quem ouve, ou lê, já passa a ser a de que não estão falando de gente boa. Com SUPREMACISTAS acontece a mesma coisa.

É um jogo de palavras, um jogo tétrico. Serve para fabricar opiniões! OPINIÃO DEVE SER FRUTO DE RACIOCÍNIO.

»Recomende a matéria a seus amigos, o Toedter agradece«



31 de julho de 2018

PROPAGANDA DA NOVA ORDEM



Que tal, o que acham desta capa de revista? Não é uma revistinha qualquer, é a NATIONAL GEOGRAFIC! É uma imagem um tanto exótica, diferente, chama a atenção. Já pedi aqui que os promotores da NOVA ORDEM MUNDIAL nos dissessem, divulgassem, o que imaginam, como seria, por o quê tanto se empenham, que benefícios traria para a humanidade essa mudança, mudança que já trouxe tanta desordem e prejuízos ao nosso mundo. Seria essa ilustração de capa de revista uma antevisão do que nos espera?

Vejamos o título: “EVOLUÇÃO EUROPA – Como ondas de imigrantes estão semeando o futuro”. Evolução? Deve ser a substituição da Sonata ao Luar de Beethoven por um alegre concerto de Rap e demonstrações de hip hop gratuitas. Mas atualmente as pessoas lá não estão muito entusiasmadas. Estas fotos de Paris, Cidade Luz não são muito animadoras.

Dois vídeos, que podem ser acessados pelos endereços abaixo, dizem que portugueses e espanhóis também não estão gostando da “evolução” que está se prenunciando.

Voltando à nossa capa de revista, que não só parece, mas realmente deve ser anúncio de “dias melhores”, pois segue dizendo:
Reformando um continente \ 23
Ganhando a guerra contra o racismo \ 39
Mitos de identidade cultural \ 52
Os benefícios de crianças birraciais \ 67
Entende-se que revista toda é dedicada ao assunto, o que não é de surpreender, pois a criação do NOVO MUNDO pela NOVA ORDEM MUNDIAL é iniciativa de meios oficiais, inclusive da ONU.

Em 2006 os parceiros do Processo de Rabat no esquema da Declaração Conjunta África - União Europeia assumiram compromissos sobre a Migração e o Desenvolvimento, que resultaram:
- a Declaração África - União Europeia de 2014 sobre Migração e Mobilidade,
- a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, adotada pelas Nações Unidas em 2015,
- a Declaração de Nova Iorque sobre Refugiados e Migrantes adotada em 19 de setembro de 2016 pelas Nações Unidas,
- a Declaração das Nações Unidas sobre o Diálogo de Alto Nível sobre Migração Internacional de 2013,
- a Declaração Política da 5ª União Africana - União Europeia de 2017;

A partir de 2 de maio deste ano de 2018 encontraram-se representantes diplomáticos de AUSTRIA, BELGIUM, BENIN, BULGARIA, BURKINA FASO,CABO VERDE, CAMEROON, CENTRAL AFRICAN REPUBLIC, CHAD, CONGO, CÔTE D’IVOIRE, CROATIA, CYPRUS, CZECH REPUBLIC, DEMOCRATIC REPUBLIC OF THE CONGO, DENMARK, EQUATORIAL GUINEA, ESTONIA, FINLAND, FRANCE, GABON, GAMBIA, GERMANY, GHANA, GREECE, GUINEA, GUINEA-BISSAU, IRELAND, ITALY, LATVIA, LIBERIA, LITHUANIA, LUXEMBOURG, MALI, MALTA, MAURITANIA, MOROCCO, NETHERLANDS, NIGER, NIGERIA, NORWAY, POLAND, PORTUGAL, ROMANIA, SÃO TOMÉ AND PRÍNCIPE, SENEGAL, SIERRA LEONE, SLOVAKIA, SLOVENIA, SPAIN, SWEDEN, SWITZERLAND, TOGO, TUNISIA e UNITED KINGDOM em Marrakesh/ Marrocos e tomaram decisões, as quais, para quem se interessar, podem ser acompanhadas pelo seguinte endereço:

Alguém ainda duvida de que a imagem na capa da revista National Geográfic é de fato anúncio patrocinado pela NOVA ORDEM MUNDIAL?

25 de julho de 2018

CROÁCIA DIFERENTE


Esta  foto acaba de cair na minha caixa postal.
Ela dispensa explicações e tradução. (imagem joseginja)

16 de julho de 2018

MUNDO EM TRANSE

Não me lembro de ter vivido, nem de ter tido notícia, de um período tão imperscrutável politicamente, igual ao que vivemos hoje. Tivemos há cerca de oitenta anos a segunda grande guerra mundial, que foi uma espécie de “o pontapé inicial”,que desencadeou uma série de mudanças de posturas, hábitos e acontecimentos que se atropelavam no mundo até os dias atuais. Como toda guerra, esta também teve seus vencedores e derrotados e se diz que são os vencedores  que escrevem a história.

Oficialmente temos como vencedores os Estados Unidos, o Reino Unido, a França e a União Soviética, bem como o então ainda não oficialmente existente Israel. Como derrotado o 3º Reich, constituído por Alemanha e Áustria, correndo a Itália, Japão e outros menos votados, por fora.

Temos ainda a Polônia que aos primeiros serviu de isca para detonar o litígio e, apesar de agredida também por um dos vencedores, acabou premiada e incluída no rol dos laureados. Cabe mencionar também, a título de curiosidade, que o não existente Israel sob o nome de JUDEA já declarara guerra ao Reich Alemão seis anos antes que os demais começassem a fazê-lo, precisamente em março de 1934. Eis então como esteve armado o tabuleiro de xadrez que acabou gerando a situação que hoje vivemos, qual seja a de não conseguir atinar em que direção estamos nos movendo e qual o destino deste nosso mundo. 

OS MAL-INTENCIONADOS 

Na verdade a tal Guerra Mundial contra o 3º Reich não terminou. O que restou daquela nação está nos noticiários todos os dias, concorrendo com os principais nomes da atualidade. Não deveria, uma vez que não é mais o que era. O território que abrangia teve parte desmembrada e doada à Polônia. A Áustria voltou a ser nação separada. A Alemanha pós-guerra passou a ser uma espécie de S/A, filial dos EUA, ocupada militarmente e controlada pela CIA. Até o presente momento NÃO EXISTE TRATADO DE PAZ. Como se explica a atual notoriedade?

Essa Alemanha S/A  teve implantado um governo, dito republicano e, consequentemente, vários gerentes chamados de chanceleres. Esse cargo vem sendo ocupado desde 2005 por uma senhora chamada ANGELA, que nada tem de celestial. Essa Angela MERKEL não vem se dedicando, como jurou, ao bem do povo que dirige, mas, ao contrário, é ela que está promovendo a extinção étnica dessa gente. Por tabela, é responsável por fazer o mesmo com toda a população branca da União Europeia. É um processo que pode provocar uma guerra civil e botar fogo em todo o continente. MERKEL, verdadeiro anjo do mal, conta com o apoio de Soros, lugar-tenente de ROTHSCHILD, imperador da Wall Street de Londres (onde o dinheiro nunca dorme). Foi ele, Rothschild, que fez seu ex-empregado MACRON ser eleito o atual presidente da França. Talvez até devesse substituir a Merkel , mas ela resiste. São esses os que atualmente mais aparecem na linha de frente dos que buscam criar a NOVA ORDEM MUNDIAL.

MAIS DOIS NOMES EM EVIDÊNCIA

Temos mais dois nomes que estão botando a mão no timão que dirige a humanidade ao seu futuro: Os presidentes TRUMP dos Estados Unidos e PUTIN da Rússia. Ambos geram constantes manchetes. Hoje estarão se encontrando na Finlândia.

TRUMP É O MAIS ODIADO? - Se atentarmos para o que a mídia nos mostra e informa, esta pergunta deve ser respondida afirmativamente. Os noticiários procuram denegrir sua imagem de todas as maneiras e ele ajuda. Faz declarações contraditórias e desafiadoras. Não costuma sair bem na foto e é antagonizado publicamente por manifestações de rua em países que visita. Isto desperta um alerta. O que é que um cidadão francês, belga ou inglês tem a reclamar de TRUMP, que o faça largar seus afazeres, ou seu conforto, confeccionar cartazes de protesto e IR P’RA RUA, manifestar sua desavença com o visitante do seu país? É claro que isto é induzido, organizado com propósitos bem definidos. Afinal, para o que hoje existem ONGs?  São os Globalistas que não gostam de Trump. Ele se definiu e foi eleito como NACIONALISTA, portanto é deles o inimigo número um.

Trump está empenhado em recuperar a economia da nação que preside e evitar a substituição cultural da sua população. Propósitos lógicos que todo dirigente deveria ter. Mas desde que em 1989 George H. W. Bush  assumiu a presidência dos EUA todos os governos que antecederam a Trump foram globalistas. Deixaram um legado, hoje chamado de DEEP STATE, um estado paralelo, infiltrado em todas as áreas governamentais, criando toda sorte de dificuldades para o atual mandatário. Acho que isto explica por que os formadores tendenciosos da opinião pública não gostam dele.

Finalmente temos o seu interlocutor de hoje Vladimir PUTIN, presidente da Rússia, fortemente hostilizado por quase todo o ocidente, incluindo governo e imprensa. Não me perguntem o motivo. Igual à Merkel, Putin se criou sob influência da União Soviética, ele na KGB (Serviço Secreto) e ela em destaque político na antiga Alemanha Oriental, também comunista. Ao contrário dela, acredito que ele, Putin, não guardou veleidades ideológicas. Ele está cuidando bem dos interesses do seu país. Por mais que seja hostilizado, Putin não antagoniza ninguém. Conseguiu boas relações públicas com a organização do campeonato mundial de futebol. Não creio que a conferência entre Putin e Trump, que está em andamento, venha a mostrar resultados relevantes.

Bem ao contrário dos primeiros  nomes citados neste post, eu confiaria bem mais nestes dois últimos a tarefa de enfrentar as dificuldades e os problemas que nos esperam.