11 de setembro de 2020

MILITARES ADVERTEM

Militares franceses afirmam que o Covid-19 é uma guerra total contra a população mundial com o fim de a escravizar,  controlar, esterilizar e reduzir.


Um relatório dos militares franceses adverte que os objetivos "reais" da Covid nada têm a ver com os objetivos "oficiais" que as autoridades corruptas (governos, saúde, etc.) e a mídia nos dizem falsamente.

De acordo com o relatório, os objetivos "reais" da Covid são (entre outros):

1- Controlar a população mundial para escravizá-la completamente (vigilância e rastreamento permanente, abolir o dinheiro físico e impor criptomoedas, restrição de liberdades, etc.)

2- Obter vacinação obrigatória para ter acesso ao interior do corpo humano.

3- As vacinas podem: introduzir microchips de nanotecnologia, outros vírus naturais ou artificiais, substâncias tóxicas, alterar permanentemente o DNA (isso pode deixar as pessoas em estado catatônico, ou com graus variados de autismo, ou acabar com o ser humano como sabemos).

4- Covid-19 está diretamente ligado à tecnologia 5G.

5- A cidade de Wuhan (China) foi uma das primeiras cidades em que o 5G foi instalado em grande escala e lá fizeram uma experiência social e criminosa. Os militares franceses são da opinião que muitas mortes inicialmente em Wuhan foram devido a uma combinação de vírus 5G + + vacinas. Foi um ataque combinado de guerra biológica e ondas eletromagnéticas.

6- Os militares franceses qualificam esta situação como uma guerra total contra a população mundial.

7- A solução é a população mundial se informar, reagir, não consentir com este ataque e agir o mais rápido possível para neutralizar os atacantes (o grupo NWO, Nova Ordem Mundial ou Estado Profundo, governo paralelo, elite, Bilderberg, etc. .)

8- Os militares franceses foram obrigados a classificar este relatório, mas optaram por torná-lo público para alertar a população, ficando assim do lado da Humanidade e não da NWO ou Deep State (o grupo corrupto que está perpetrando este ataque).


Traduzido do espanhol de >alertadigital.com/2020/09< e aqui reblogado por NorbertoToedter 


7 de setembro de 2020

OUVIRAM DO IPIRANGA


Hoje a mídia social está ativa e mexendo com os nossos sentimentos. É um mandando para o outro um áudio do Hino Nacional. Recebi dois, um muito sensibilizante, apresentado num palco da Europa por grande orquestra e interpretado por um jovem cantor italiano. O segundo, também muito lindo, apresentado pelo Trio Amadeus. Não é possível deixar de se emocionar ouvindo, mesmo pelo celular, aquelas palavras e acordes que aprendemos a amar já quando ainda crianças. Coisa que hoje, quer me parecer, não vem mais acontecendo. O hino nacional tem um significado sociocultural extremamente importante para um país. É um carimbo oficial que atesta sua existência. Faz a nação ser para o seu povo o que um lar representa para uma família.
Hoje, 7 de setembro, ilustra a data em que nasceu o lar dos brasileiros. Foi sempre muito comemorada com banda de música e desfiles, mas vem deixando de ser. Pouco se canta hoje o hino nacional. É que pressupõe orgulho e alegria de quem o vai entoar. Mas é o que muita gente hoje não sente e se mostra propenso até a buscar em outras plagas, talvez melhor administradas. Olvidam eles que quem escolhe a administração somos nós. Se um lar é mal cuidado, cheio de goteiras, instalações com defeito, a responsabilidade é dos moradores. Outros culpam o regime político, a corrupção generalizada e querem acabar com a democracia, nome que em grego antigo se traduziria como “governo da escumalha”.
Acho que não depende da denominação que se dê ao regime. Democracia não precisa sempre contar com um enorme número de partidos e um exército de políticos. O número generalizadamente extrapolou. Nunca vi um programa claro e definido que o partido defenda. Soube que os candidatos para uma eleição são escolhidos pelo chefe do partido, que também determina os recursos financeiros dos quais cada um poderá dispor. Ora aí já terminou a democracia antes de começar. Não é de estranhar que por melhor que sejam as intenções de um governo eleito pelo povo, as reformas que pretenda fazer, serão sempre de “meia-boca”, para que sejam aprovadas pelos representantes do mesmo povo”. Temeroso, entretanto, é que os males citados não são exclusivos de um só país. Isto levou água aos moinhos dos que pretendem criar a NOVA ORDEM MUNDIAL, aos globalistas! E se estes levarem a melhor, minha gente, ninguém mais vai cantar, muito menos um HINO NACIONAL.

25 de agosto de 2020

CONTRA CORONA


Marcada a segunda MANIFESTAÇÃO gigante em Berlim para o
sábado vindouro, dia 29, tendo por objetivo protestar contra
as restrições a que vem sendo submetida a população. A
primeira já reuniu mais de um milhão de pessoas no começo
do mês. Tudo mostra que o governo de Angela Merkel
acabou com a paciência do povo alemão.
Ele está vendo desrespeitados sobremaneira os seus  direitos
fundamentais, construindo passo a passo desde 2015 um
estado totalitário. Liberdade, direitos civis, cultura de debate e
codeterminação estão hoje expostos à arbitrariedade dos
governantes, apoiados e aplaudidos por uma imprensa servil.
É considerada chegada a hora de todo cidadão consciente dar
um basta às elites berlinenses e detê-las em sua ação
deletéria, marcando presença na segunda MANIFESTAÇÃO de
protesto.
Com certeza o acontecimento vai merecer a maior atenção
de cidadãos de outros países e que também não conseguem
compreender os motivos para o cerceamento de direitos e
liberdades que lhes vêm sendo imposto.

18 de agosto de 2020

E O MUNDO OBEDECE

 

Quem pensou que já viu tudo, pode se preparar para mais uma surpresa. Vai parecer incrível, como para mim pareceu, mas quanto mais você pensa, analisa, pondera, buscando evitar o preconceito, vai chegar à conclusão de que é isso mesmo o que pode estar acontecendo.

O assunto é essa nossa aventura CORONÁRIA, vista agora sob um ângulo bem diferente. Pergunto se não é estranho, por exemplo, o comportamento político dos nossos homens públicos. Onde ficaram as disputas. Entra ministro, sai ministro, fica tudo igual. Prefeitos, governadores todos leem pela mesma cartilha. Ninguém parece ter opinião própria. O máximo que se viu foi o presidente implicar com a máscara. E não é só aqui, não. De norte a sul, de leste a oeste neste planeta acontece a mesma coisa, só a Suécia parece que não fez o agora famoso lockdown. Alguém teria notícia de alguma guerrinha? Acho que só têm as de rua, as “racistas”, mas isso talvez já faça parte.

Fato é que já vivemos alguns meses na companhia de um hóspede que não convidamos. NÓS não convidamos! Mas foi convidado, sim, em nosso nome. Um vírus respiratório letal foi trazido propositalmente para o nosso meio para matar, criar pânico, quebrar empresas, empobrecer, produzir danos físicos e psíquicos por todos os lados. E isto com que finalidade? Terrivelmente obscura.

Desde há muito este blog vem apontando a inutilidade destes órgãos internacionais tipo ONU e agora OMS, Organização Mundial da Saúde. Pois foram estes os que inventaram e espalharam o CONVID-19 pelo mundo. Proposital e planejadamente como parte de um treinamento ao vivo e exercício simulado, tipo manobra militar. O mundo precisa se preparar contra surtos hediondos que podem vir a nos atacar, conforme documentado em “World at Risk”, relatório anual do Conselho de Monitoramento de 2019 e seu tratado de REGULAMENTAÇÕES SANITÁRIAS INTERNACIONAIS, que foi assinado por 196 países em 2005. Quer dizer, todo mundo assinou e por isso ninguém reclama. Todos obedecem às ordens que vêm de Genebra. Será que já temos um governo mundial? Veja WORLD AT RISK em:

https://apps.who.int/gpmb/assets/annual_report/GPMB_annualreport_2019.pdf

3 de agosto de 2020

MÉDICOS POR LA VERDAD

O mundo começa a dar sinais de que está ficando cansado de aceitar tudo que vem lhe sendo imposto de uns meses para cá, em matéria de comportamento e sacrifícios. Lembro a manifestação grandiosa em Berlim no último sábado. Uma semana antes aconteceu na Espanha um simpósio convocado pela classe médica castelhana, sob o título MÉDICOS POR LA VERDAD. Além de 140 médicos espanhóis, participaram do congresso centenas de cientistas de diversos outros países. Seus fins e resultados são melhor explicados pelo Prof. Dr. Djalma Marques no vídeo abaixo. São pouco mais de nove minutos e pouco, que merecem toda a atenção e mais, a maior divulgação que cada um possa dar à matéria
 
Lamentavelmente vejo-me obrigado a cancelar definitivamente o aceite de comentários 22̣;42

28 de julho de 2020

CRONOGRAMA DO CRIME

Prezado Leitor, devo confessar que ao terminar a tradução fiquei com uma enorme dúvida. Achei que tudo era FAKE, falso e que não deveria publicar. Mas por outro lado havia muita LÓGICA e a realidade vem confirmando muita coisa e acabei decidindo pela publicação. Entretanto fica o alerta: é uma monstrusidade. 
 O plano Covid a seguir foi estabelecido no Rockefeller Institute em 2010: 
O - Desenvolva-se de 2008 a 2013 um vírus muito contagioso com uma mortalidade super baixa que se encaixa nesse plano *linhagem de pesquisa combinando SARS, HIV, linhagem de pesquisa híbrida, no laboratório Fort Dietrich Classe 4, como parte de um projeto de pesquisa para descobrir, por que os vírus corona se espalham tão rapidamente em morcegos, mas não em humanos. Para atuar em sentido contrário, o vírus recebeu 4 inserções de HIV. A chave que falta para infectar humanos é o receptor Ace-2. 
O - Desenvolva-se uma versão mais perigosa do vírus com uma taxa de mortalidade muito maior do que o plano de backup *linhagem Tribit de combate. Pronto para ser liberado na fase 3, mas somente se necessário. *SARS / HIV / MERS linhagem de pesquisa e *linhagem tribit de combat foram desenvolvidos em 2015 no laboratório Fort Dietrich Classe 4. 
O - Transfira-se a *linhagem de pesquisa para outro laboratório da Classe 4, o Laboratório Nacional de Microbiologia em Winnipeg, no Canadá, e se permita que seja roubado e contrabandeado pela China ", Xi Jang Lee, ao único laboratório da classe 4 da China, o Instituto Wuhan de Virologia em Wuhan, China . Para negabilidade plausível adicional e para ajudar a consolidar o script de backup público desejado como algo a que recorrer, se necessário. O script primário é sua origem natural. O script de backup é o que a China o criou e espalhou por um acidente. 
O - Financie-se todos os responsáveis mandatários: Fauci, Birx, Tedros e as instituições: Organização Mundial da Saúde, NIAID, CDC e também a ONU, que estiveram envolvidas em ações de pandemia antes do lançamento planejado da *linhagem de pesquisa, para se controlar o roteiro desejado durante a operação. 
O - Crie-se e financie-se o desenvolvimento de vacinas e se tenha um plano que possa ser implementado globalmente. Gates: A Década de Vacinas e o plano de ação Global Vaccine Action, 2010 a 2020. 
O - Constituam-se e financiem-se protocolos de vacinação, de verificação e de certificação, ID Digital, para implementar o programa de vacinação após a introdução da vacinação obrigatória e sua confirmação. Gates: ID 2020. 
O - Faça-se uma simulação da hipótese do "lockstep" antes da liberação planejada da *Linhagem de Pesquisa com um exercício real, como o último jogo de guerra, para determinar a resposta, cronogramas e resultados esperados. Evento 201 em outubro de 2019. 
O - Libere-se a *Linhagem de Pesquisa no Wuhan Institute of Virology culpe-se o caminho natural de formação (script principal), Wuhan Wet Market, nov 2019. Exatamente o mesmo que na simulação. 
O - A transmissão de humano para humano deve ocorrer o maior tempo possível, para que a *linhagem de pesquisa possa se espalhar globalmente, antes que um país possa responder com um bloqueio para evitar a infecção. 
O - Quando um país registrar infecções, instale-se o lockdown, para impedir a entradas / saídas. Permita-se a maior disseminação possivel dentro de um país pelo maior tempo possível. 
O - Tão logo um número suficiente de pessoas estiver infectado em um país, ou região, imponha-se ali lockdown/isolamento forçado, expandindo lentamente as áreas restritas ao longo do tempo. 
O - A taxa de mortalidade deve ser exagerada, associando a *Linhagem de Pesquisa a mortes que têm pouco ou nada a ver com o próprio vírus, para manter a ansiedade e a obediência no máximo. Se alguém morrer por algum motivo e for encontrado com Covid, deve ser declarado como morte porCovid. E se alguém é suspeito de mostrar possíveis sintomas de Covid, deve ser declarado como morto por Covid. 
O - Mantenha-se as quarentenas gerais o maior tempo possível para destruir a economia da região, criar distúrbios civis, destruir a cadeia de suprimentos e causar o início de uma escassez de alimentos. Além disso, o sistema imunológico das pessoas é enfraquecido por não exercitar seu sistema imunológico, o mundo exterior ou coisas que mantêm nosso sistema imunológico alerta e ativo devido à falta de interação com as bactérias de outras pessoas. 
O - Todos os tratamentos e remédios possíveis devem ser aviltados e depreciados. Repita-se sempre que a única cura que funciona para combater esse vírus é a vacina. 
O - Estenda-se cada vez mais a quarentena em "intervalos de duas semanas" [Existem esses feitiços de duas semanas novamente). É um programa da CIA.] Até que mais e mais pessoas se levantam e protestam. É para provocá-los. 
O - Finalmente termina a fase 1 das quarentenas assim que tenham recebido críticas públicas suficientes, esperadas para junho de 2020. Anuncie-se achar que é "muito cedo para terminar o isolamento, mas, assim mesmo são encerradas. 
O - Quando o público voltar ao normal, deve se aguardar algumas semanas e volte-se a superestimar a taxa de mortalidade da *Linhagem de Pesquisa, de agosto a setembro de 2020, e combiná-lo com o aumento de mortes de pessoas que morrem mais do que o normal, por doenças comuns causadas por um sistema imunológico é severamente enfraquecido por meses de isolamento [deve-se fazer um distanciamento social com as pessoas que usam máscaras regularmente. Porque eles têm um sistema imunológico gravemente enfraquecido.] Para aumentar ainda mais a taxa de mortalidade e promover os próximos lockdowns da fase 2. 
O - Finalmente, as quarentenas da fase 2, de outubro a novembro de 2020, são ainda mais extremas e culpam os manifestantes, especialmente as pessoas que já não confiam em seu governo, como a causa dessa enorme segunda onda, segundo a mídia. are: "Dissemos a vocês. Era muito cedo. A culpa é toda de vocês, só porque queriam cortar o cabelo. Suas liberdades têm consequências." [Se tudo isso acontecer, a eleição nos EUA será adiada, cancelada ou suspensa. Minha opinião. Como fazer para votar com quarentenas? Isso não é possível.] 
O - Fase 2 – Imponham-se quarentenas de forma muito mais severa, aumentando as penalidades pelo seu não cumprimento, substituindo multas por penas de prisão. Viagens são declaradas como não necessárias. O número de postos de controle deve ser aumentado, pode se envolver os militares. Aplicativo obrigatório fará o rastreamento da população. Alimentos e combustivel serão controlados e criação grandes gargalos farão com que as pessoas só tenham acesso a produtos ou serviços essenciais se obtiverem aprovação primeiro. 
O - Os lockdowns da fase 2 serão mantidos por um período muito maior do que os lockdowns da fase 1 e continuar-se-á a destruir a economia global. As cadeias de suprimentos serão prejudicadas, exacerbando-se a escassez de alimentos e afins. Qualquer crítica pública será repelida por meio de ações extremas ou violência e quem resistir será apresentado como inimigo público número um para aqueles que desejam se submeter. 
O - Após um período bastante longo de bloqueio de fase 2, de 6 meses ou mais, implemente-se o programa de vacinação e a certificação de vacinação, tornando-a obrigatória para todos, tendo prioridade aqueles que se submeteram desde o início. Além disso, permita-se que atacem aqueles que são contra e dizendo "que são uma ameaça e a causa de todos os problemas", e "Não podemos voltar ao normal até que todos tomem a vacina". Os que se opõem "violam nosso modo de vida e, portanto, são inimigos de todos nós. [Em outras palavras, eles incitarão as pessoas umas contra as outras.] 
O - Se a maioria das pessoas se inscrever na agenda, permita que essas pessoas entrem no novo sistema, no novo normal, enquanto restringem a minoria que é contra a agenda, dificultando o trabalho, a viagem e a admissão Vida. 
O - Se a maioria das pessoas se mostrar contra a agenda, então será operacionada a fase 3 com *SARS/HIV/MERS linhagem TRIBIT armada. Um vírus com uma taxa de mortalidade de 30% ou mais como um susto final para punir a minoria (sic), tornar-se rapidamente a maioria(sic) e dar um final "Nós lhe dissemos" àqueles que não estavam ouvindo. 
O - Implante-se o novo modelo de economia. Sistema de criptomoeda Microsoft Patent 060606 com dados de atividade corporal com base no comportamento humano e vontade de se submeter.[É uma versão otimizada do Programa de ganhos de 15 milhões de dólares do Espelho Negro, que usa comida, água, moradia e outros itens essenciais como arma para reforçar o novo sistema econômico. Então, basicamente, façam o que queremos e seja recompensado. Ganhe créditos e obtenha mais acesso às coisas que você precisa para sobreviver. Ou vá contra o que queremos e seja punido. Perca créditos e perca acesso a coisas que você precisa para sobreviver. ----------------------------------------------------------------------------------------------- 
Esta é a sua Nova Ordem Mundial: tecnologia em esteróides, onde você não tem escolha a não ser seguir. E se alguém pensa que isso não é verdade, dê uma olhada em algumas partes da China porque o sistema de criptomoeda lá já começou! 
Fonte: https://dasgelbeforum.net/index.php?id=535418

20 de julho de 2020

FRAUDE QUE MATA

Devidamente autorizado, sinto-me honrado em poder abrir espaço para as palavras importantíssimas deste cientista de Portugal. 

 A HISTÓRIA DA CORONA-FRAUDE 
 “A censura "democrática" eliminou-me o post onde eu tinha publicado esta minha "memória", post esse que contava com mais de 500 partilhas..Já não o encontro. Por isso, volto a publicá-lo:

CORONA 
Vou-vos contar uma história. Verídica, apesar de já saber o que os programados covídicos, tanto clínicos como leigos, vão dizer… Nos idos de 1989, até ao Outono de 1990, trabalhei como consultor informático (análise de sistemas, dados e programação) para a JNICT, em colaboração com dois médicos, um de Medicina Interna e outro de Genética, que estavam a estudar as implicações do Projecto Genoma (sequenciamento informático do genoma humano, então em curso, internacionalmente). Uma das aplicações que partilharam comigo, no âmbito da colaboração, era a ideia que certos investigadores estavam a desenvolver de utilizarem vírus – especialmente de gripe comum – como vectores de vacinação para outras doenças. A ideia geral era a de alterarem geneticamente esses vírus, incluindo-lhes sequências genéticas dos vírus das doenças para as quais queriam fazer a vacina, e de os espalharem na população, que depois de passada a gripe, estariam teoricamente “vacinados” contra a doença em causa… Ou seja, uma espécie de vacinação geral não consentida. Um dos vírus selecionados foi da família Coronavirae, mais propriamente os Coronavírus gripais humanamente transmissíveis, que já eram bem conhecidos desde a década de 1930, e que eram responsáveis por cerca de 20% das gripes sazonais de gravidade reduzida. Assim, em laboratórios dos EUA, Holanda e de um terceiro país que, pelos vistos, não é de “bom tom” mencionar, foram criadas por alteração genética três estirpes diferentes do Coronavírus, introduzindo-lhes sequências genéticas do vírus HIV do SIDA, que na época estava a disseminar-se com relativa rapidez. Como a teorética “pandemia” do HIV não se realizou como os catastrofistas previam, a questão foi deixada “no frio” (literalmente), tanto mais que o Genoma Humano ainda não estava sequenciado na totalidade (apenas uma parte relativamente pequena) e não se previam quais as consequências de uma dispersão desse vector viral usado como “vacina”… Contudo, tudo leva a crer que houve disseminação em populações de “teste”, e que essas estirpes se tenham disseminado um pouco por todo o Mundo. Mas, como a Natureza é sábia, os vírus mais agressivos provocam picos epidémicos restritos no tempo, por rápida mutação, ao contrário dos menos agressivos. Ainda mais no que se refere aos vírus alterados em laboratório. Os Coronas assim alterados mutaram para estirpes menos agressivas, e a coisa “caiu”...

Por DUAS vezes, pelo menos, segundo me disse recentemente um desses médicos (que não vou aqui nomear por motivos óbvios), houve tentativas de “reavivar” o programa, com os conhecimentos derivados do sequenciamento completo do Genoma humano. A primeira vez, foi em 2007-2008, que provocou uma epidemia de gripe muito forte e algo “estranha”, que causou muitas mortes, mas que quase ninguém atribuiu ao Corona, muito menos nas versões “recauchutadas”. Mais tarde, em 2011, desencadeou-se outra epidemia, porventura por introdução de outra estirpe “recauchutada”, que, conjugada com outras gripes sazonais ainda mais graves e as condições de habitação precárias de muitas pessoas, causou em Portugal, na PRIMEIRA QUINZENA de Janeiro, quase 7.000 mortos (em 15 dias!). No resto do Mundo, os números ainda foram mais aterradores. Mas ninguém decretou “estado de emergência” ou “calamidade pública” por causa de uma gripe com uma mortalidade mesmo assim muito inferior à das grandes epidemias do início do Século XX…No início de 2018, voltou – de permeio com as gripes sazonais - outra gripe “estranha” que, desencadeando muitas vezes pneumonias atípicas, matou em Portugal mais de 3.700 pessoas. Muitos dos afectados ficaram temporariamente com perda parcial do olfato (aposmia) e do paladar (anosmia), tosse persistente e dores nos brônquios e pulmões. Alguns desenvolveram pneumonias, muitas delas provocadas por bactérias oportunistas, como os Streptococcus pneumoniae, e tratadas com azitromicina ou claritromicina… Curiosamente, tanto os sintomas como o tratamento de muitas das pneumonias resultantes coincidem com os do actualmente apregoado “covid-19”… Conheço pessoalmente casos destes, em que a tosse e as dores duraram meses, apesar do tratamento… Mas, como disse acima, a Natureza é sábia, e os sistemas imunitários das pessoas que não os tinham deficitários, desencadeou-lhes uma imunidade dita “de grupo”, melhor do que todas as das supostas “vacinas”… 

Depois, veio o “grande golpe” globalista: aquele que designaram como do “NOVO Coronavírus” (para dar a impressão de que era um vírus novo e desconhecido), depois “mutado” para uma sigla-mantra, repetida até à náusea pelos media, numa campanha de intoxicação psicológica (uma Psy-Op) das populações nunca vista na História: o “COVID-19” que, segundo me comunicaram, seria uma sigla: “Covert Operations in Viral Infectious Diseases – 2019”…A decisão de lançarem no Mundo as três estirpes laboratoriais de 1990-95 do Coronavírus, possivelmente “melhoradas” geneticamente para facilitarem o contágio e a sua disseminação, foi tomada a 18 de Outubro de 2019 (daí o “19” da sigla) em Nova York, no “Event 201”, um “exercício pandémico de alto nível”, realizado pelo “Johns Hopkins Center for Health Security”, em colaboração com Fórum ECONÓMICO Mundial e a “Bill and Melinda Gates Foundation”, que detém a “GAVI – The Vaccine Alliance”, alegadamente para “ilustrar áreas onde as parcerias público/privadas seriam necessárias durante a resposta a uma pandemia grave, de modo a diminuir as consequências socio-económicas em grande escala” (e, muito provavelmente, também para as provocar, com objectivos globais bem determinados). Chegaram inclusivamente a entregar aos participantes uma “lembrança”, na forma de um coronavírus em peluche, com a etiqueta do “Event 201”Apareceram então os primeiros casos da gripe programada em Novembro de 2019, em Itália (Vale do Pó, propício à propagação, pela poluição industrial) e em Wuhan, na China (uma zona com níveis de poluição aterradores, e inúmeras doenças pulmonares na população). Logo a seguir, nas zonas industriais de Espanha. E, depois, nos EUA. Sempre em zonas de maior poluição industrial.Curiosamente, a estirpe do corona que apareceu em Itália era DIFERENTE da de Wuhan, e diferente da de Espanha. Nos EUA, apareceram as três, possivelmente as três originais de 1990-95, devidamente “recauchutadas”, já que apresentam todas material genético do HIV, como as originais. Ou seja, a transmissão quase instantânea de estirpes DIFERENTES da China para Itália e para Espanha é altamente IMPROVÁVEL, tendo a contaminação sido feita, quase de certeza, por outros meios, usando, por exemplo, os “planos de vacinação”. 

Como os globalistas controlam a maior parte dos governos mundiais, fácil lhes foi convencerem o governo comunista chinês para a “experiência”. A troco de quê, não sabemos… Apenas se sabe que as estirpes para isto vieram via Holanda…Então, em finais de Janeiro de 2020, os media encetaram a operação de intoxicação das populações, com total despudor, repetindo de forma absolutamente demente a sigla “NOVO COVID-19”. Depois, a 11 de Março de 2020 (uma data muito “querida” dos globalistas), a Organização Mundial de Saúde (OMS), pela voz do seu director Tedros Adhanom Ghebreyesus, (ex-guerrilheiro da violenta “Frente de Libertação do Povo Tigray da Etiópia”), declara a “pandemia” mundial, como uma catástrofe eminente.  Depois, um a um, muitos governos mundiais, infiltrados pelos globalistas, começam a decretar “medidas” cada vez mais totalitárias, sem bases REAIS sólidas, ignorando brutalmente as opiniões de muitos especialistas de renome e silenciando por ameaça (despedimento, corte de fundos, ou pior) todos os que não aderiam ao “pensamento único” a ser imposto. Os exageros, as mentiras descaradas, as imposições absurdas sucederam-se a um ritmo alucinante, secundadas pela tal operação de intoxicação psicológica das populações pelo medo. Com o “confinamento” obrigatório das populações (como se os países estivessem em guerra – e alguns fantoches como o Macron e outros também aqui, atreveram-se a dizer que estavam “em guerra”), os suicídios dispararam, os hospitais “reservados” quase na totalidade para o “COVID-19” a recusarem o atendimento de doentes com patologias graves ou mesmo mandando embora doentes internados e, afinal, a ficarem em grande proporção VAZIOS (como se tem confirmado um pouco por todo o lado), as empresas a falirem, com milhões de pessoas a ficarem sem sustento no Mundo inteiro, com as economias em queda livre, está criado o “trauma” programado para a imposição de um estado policial totalitário, com o varrimento brutal dos direitos e liberdades dos cidadãos, incluindo os da prática religiosa, a destruição do que resta das soberanias e a implementação de um governo único mundial, brutal e tirânico, que quer controlar e vergar tudo e todos, injectar-lhes “vacinas” com objectivos mais do que duvidosos (“Leave no One Behind”, é o lema da GAVI para “vacinar” toda a população mundial), ao pé do qual o regime de Hitler pareceria benévolo…

Mas, como escrevi atrás, os vírus “recauchutados” provocam epidemias de curta duração, e os milhões de pessoas que já apanharam estas estirpes do Corona em 2008, 2011 ou 2018, adquiriram imunidade parcial ou total, e a maior parte dos casos são assintomáticos, ou muito ligeiros. Restam as pessoas com outras patologias graves, com sistemas imunitários deficientes, que têm sucumbido à GRIPE. Quando esta deriva em pneumonias atípicas, aplicam-lhes os ventiladores (em vez de os aspirarem e manterem a oxigénio, como habitualmente), que lhes vão rebentar os alvéolos pulmonares fragilizados e matarem cerca de 99% destas pessoas (quem o diz não sou eu, mas especialistas na matéria). Contudo, muitos médicos acreditam nos protocolos da OMS, e não pensam ou investigam por eles próprios, e dão livre curso a este negócio vergonhoso dos ventiladores, e a esta matança por estes provocada (embora muitos já tenham verificado o erro e optado pelas vias clássicas). Mas, verificando-se o “phasing-out” da epidemia, e a imunidade de grande parte da população (apesar dos “confinamentos”, destinados a impedir uma imunidade ainda em maior escala), os mentores deste crime contra as populações insistem na agenda sinistra, numa teimosa “fuga para a frente”, apertando ainda mais a pressão e as ameaças contra as populações, intensificando a propaganda de medo (para usarem o “efeito rebanho” como escudo), inventando novos “surtos” e dizendo que se “estão nas tintas para as Constituições”, e impondo censuras ao pensamento próprias de totalitarismos soviéticos… 

E, nos media vendidos, já não há notícias, apenas "covid". O cenário negro que montaram desagrega-se por todos os lados, muito graças às redes sociais que, apesar de censuradas em grande parte, lhes escapam ao controlo total que têm sobre os outros media… E vários líderes mundiais já denunciaram esse plano diabólico e estão presentemente a combatê-lo. Mas esta é a fase perigosa para a Humanidade. Não por causa dos vírus “recauchutados” em laboratório, que têm provocado muito menos mortes reais do que as habituais gripes sazonais (apesar das falsificações grosseiras do número de mortes, em que classificam de morte por COVID a maior parte das mortes por outros agentes), mas por causa do desespero destes ditadores em potência, que desejam agradar aos “donos” e participar na escravidão da Humanidade. Poderão ainda tentar, em desespero de causa, uma acção armada, com centenas ou milhares de mortos civis, aplicando a receita sinistra do 11 de Setembro…

Cabe a todos nós lutar por todos os meios ao nosso alcance contra este monstro dos modernos Frankensteins que nos querem impor, com a desculpa de uma gripe-papão feita peste. Uma das formas é informar sem descanso, desmontando as mentiras da propaganda do medo, e resistindo sempre que pudermos às imposições totalitárias e ilegais dos desgovernantes – que já estão completamente fora da Lei – invocando o Direito de Resistência a qualquer acção que for iníqua, ilegal e lesiva das nossas vidas, dos nossos lares e da nossa sociedade. Lembremo-nos de que um “estado de emergência” ou de “calamidade” não suspende a Constituição, pelo menos no Direito Português. Nenhum governo trabalha para o nosso bem, mas apenas para as suas agendas, partidárias e/ou impostas de fora… Com isto, os trolls vão-me apelidar de “negacionista”, conspiracionista” ou outros termos ridículos da “novilíngua” Orwelliana que adoptaram… Mas que importa… Sinto que cumpri um dever de informar, dentro das minhas limitações, para contrariar a onda de treva que nos querem impor. Para que Portugal renasça para a Luz, livre de oportunistas, trastes com agendas anti-nacionais e anti-populações, e demais traidores. 

Tenhamos Fé!   Por Portugal, SEMPRE! 

Carlos Sebastião e Silva   

NOTA: Quando esta loucura terminar, para os "sobreviventes mentais" da incrível "lavagem ao cérebro" da Psy-Op covídica, quem vai sair muito prejudicada é a credibilidade dos desgovernantes (a que resta), dos media, e da própria classe médica que pactua com isto...