5 de novembro de 2019

IMPÉRIO DAS TREVAS

Pelo Whatsapp vem sendo distribuído um Áudio que alerta para a existência de três movimentos que estão transformando o mundo. Cita pela ordem o ISLÃ, NARCOTRÁFICO e SOCIALISMO. Movimentos sociais que estão mudando o mundo. Concordo e espero que tenha a maior difusão possível.

Estes movimentos, como ele os chama, estão em plena atividade a serviço de uma entidade que imaterial, intangível, sem endereço e sem nome, vem através dos tempos adquirindo cada vez mais força e poder. Infelizmente não o faz em benefício da humanidade. Vem sendo conhecida sob apelidos que apenas dissimulam seu objetivo. Nova Ordem Mundial, NOM, NWO, Governo Mundial, Globalismo. Nada que possa assustar. Sabe-se de nomes de personalidades que a promovem e recomendam, entre eles até o Papa. Mas ninguém nos diz quais os benefícios que trariam, porque não os há! É para privilegiar uns poucos, escravizar o resto, depois de reduzi-lo ao necessário. IMPÉRIO DAS TREVAS seria nome mais adequado.

Mas há pedras no caminho dos Imperialistas e elas vêm aparecendo. A força armada com que contaram para dar suporte às suas ideias é o poder militar dos EUA, para o qual nunca houve restrição de recursos, bem como o das forças da OTAN. A WELT escreveu em 1.11.2019: “Caos Global. A Nova Ordem Mundial. Desenvolvimentos que marcam a época abalam o globo: A América se retrai. Europa está profundamente dividida. O mundo, fora dos eixos, está a se reordenar. Um espetáculo no qual forças poderosas estão remodelando o globo político.”

Desde 1989, com o colapso da União Soviética, parecia que a vitória do desumano Império das Trevas passara a ser irreversível. A Europa já estava unida e pacífica começou a derrubar suas fronteiras. Mas sob a liderança de um hábil e diligente Vladimir Putin a Rússia foi colocada em caminho seguro, produtivo e ordenado. Começaram a despertar mentes mais esclarecidas, para a barbárie que estava vindo à tona com as pretensões escusas de poder global expostas por determinadas áreas. Nisto apareceu um nome nos Estados Unidos até então praticamente desconhecido nos meios políticos mundiais: Donald Trump. Candidatou-se à presidência e, por meios incomuns e contra todas as expectativas, foi eleito. Desde então passou a estar sob constante ataque e fustigo dos imperialistas, passando a constituir nova esperança para os que queriam manter o mundo como Deus o criou. Trump já reconhecia nos anos 80 que a expansão militar americana como policial do mundo significaria a derrocada dos Estados Unidos. Em 5.2.2019 ele dizia em discurso à nação, que logo traria de volta para casa as tropas do Oriente Médio e do Afeganistão. Lá seus bravos soldados já estavam lutando há 19 anos. Sete mil tombaram, 52.000 voltaram gravemente feridos e o país gastou ali 7 trilhões de dólares. Na campanha eleitoral prometera mudanças. Grandes nações não fazem guerras que nunca terminam. O momento decisivo aconteceu quando retirou suas forças da Síria. Trump vai deixar que as forças armadas da OTAN se desfaçam, com o que o pretenso Império Global das Trevas perderá o braço militar, com que contavam.

Ficaria o problema de como se livrar dos três movimentos citados no áudio que recebi pelo Whatsapp e que fez a abertura deste artigo.

28 de outubro de 2019

Consequências do Sínodo

Foi-me encaminhado o texto abaixo de autor desconhecido, porém altamente relacionado à matéria que vimos tratando. Tomo a liberdade de reproduzi-lo.
                  - x -

De facto, sem querer julgar ninguém e analisado friamente os factos, nunca pensei vir a viver uma situação destas na minha Igreja (embora, analisando bem as coisas, já há tempo que tudo se encaminharia para isto, mas tivemos sempre Papas que travaram o que agora parece uma inevitabilidade). Até agora. Temos um papa,que desde o início do seu papado mostrou sempre querer agradar ao poder secular.  Talvez por querer o bem e a justiça social demasiado depressa, se deixou enredar na teia daqueles que, (pensam eles), para atingir esse fim, é preciso semear o ódio contra alguém e usar a violência (não precisa de ser física...) para atingir os fins...pôr Cristo de parte ou impor Cristo pela violência contestatária...Marxismo-Leninismo! A "cassete" e o vocabulário comunista está bem estampada no "manifesto" do Instrumentum Laboris do sínodo da Amazónia, aprovado pelo Papa. A Fé do Papa deve ser fraca, senão nunca teria consentido esta barbaridade e cedido, não em toda a linha (ainda há esperança), mas o suficiente para abrir a "caixa de pandora".

Creio que sem (ele) querer ou ter dado por isso, temos um Papa Marxista-Leninista, antes de ser Cristão (o que seria paradoxal...). Que por outra razão acederia ele a dar a sua bênção a este malfadado sínodo, completamente dominado pelos chamados "progressistas" da Igreja, que há muito A tentam destruir, obedecendo à cartilha vermelha e pondo Cristo de parte? Este Instrumentum Laboris é uma lança demoníaca no Coração da Igreja!

Afinal, nós portugueses, fomos criminosos colonialistas não só no sentido material, mas também, agora, no sentido espiritual! Que ideia criminosa a do Infante D.Henrique em querer espalhar a Fé Cristã!!! Porque raio a Fé Cristã haveria de ser mais importante que as outras? Porque raio haveríamos nós de querer levar a civilização a outros mundos?...Devíamos tê-los deixado viver na idade da pedra e longe de Cristo! Viviam na pureza da sua sujidade, no "equilíbrio" do meio das doenças, do canibalismo, do infanticídio e sacrifícios humanos (formas efectivas de manter o equilíbrio populacional...). É preciso que voltem a essas origens puras e naturalmente harmónicas...pelo menos assim não fazem a população disparar e não contribuem para o aumento do CO2 (parei um pouco para respirar oxigénio puro da minha garrafa, porque o CO2 já me estava a asfixiar...)...Afinal parece que Cristo não só não é o único Caminho, mas há mais, nomeadamente o caminho da Ecologia da deusa Terra e de um Clima Estático!

A ganância e as injustiças perpetradas por alguns colonos não pode apagar todos os feitos heróicos dos missionários e dos civilizadores que levaram Cristo e a civilização a esses mundos. O mesmo se passa hoje: O progresso civilizacional inspirado em Cristo é infinitamente vantajoso e é o caminho a seguir, ainda que alguns ou mesmo muitos desvios tenham criado situações aterradoras e injustiças sociais, mas isto foi porque nas sociedades Cristo se tem perdido e onde a maldade humana tem prevalecido...

Perdeu-se a noção! Agora o que se está a defender não é a melhoria de vida dos povos e a Evangelização, é o enaltecimento da pobreza para aquela gente, como a "cartilha vermelha" impõe, a pobreza e o agnosticismo (neste caso o misticismo) para todos os Amazónicos. De facto, é mais fácil deixá-los no seu estádio pré histórico a adorar os seus deuses, que assim têm o Céu garantido e não conspurcam nem desestabilizam o clima e o meio!!! Assim nem precisam de padres para nada. Por isso nem sei bem para que é esta discussão...(houve um padre que se vangloriou de, em 30 anos, nunca ter baptizado um único índio...)

Pergunto-me como é possível e como foi possível deixarem a Santa Igreja ser infiltrada deste modo, ao mais alto nível?...Talvez isto faça parte de um plano Divino para pôr à prova a nossa Fé e confiança, mas, por outro lado, ainda ontem, no Evangelho de São Lucas ouvimos Nosso Senhor dizer uma das frases mais enigmáticas de toda a Bíblia: «Mas quando voltar o Filho do homem, encontrará fé sobre a terra?»

Estaremos nós a chegar a essa fase, em que nem o Papa confia em Deus e prefere confiar nos homens e (como agora é obrigatório dizer) nas mulheres???

Estejamos alerta e vigilantes. Estamos a ser postos à prova e não nos deixemos enganar. Temos de rezar muito pelo Papa e pela Igreja para que ela seja extirpada destas metástases  galopantes! É preciso já, chamar os bois pelos nomes e separar o trigo do joio! Agir em nome de Cristo e rogar a Deus para que nos inspire e ilumine nesta missão e para que o Papa se arrependa e penitencie enquanto é tempo...

A.S.


25 de outubro de 2019

O PAPA E O BRASIL

É como se fosse um vírus que vai se espalhando sorrateiramente. Deve ter ficado claro no último post, que o que restou da Alemanha e, por tabela, os demais povos brancos da Europa, tudo está contaminado pelos efeitos produzidos por essa praga que se abateu sobre o nosso planeta. A curto prazo, estimável a de uma ou duas gerações, estão para sucumbir ali valores, tradições, costumes, ciências e ricas economias. É um mal do qual os afetados não se dão conta e não reagem.

Destino semelhante começa a se definir para os fiéis da maior religião do mundo. Enquanto o evangelismo cristão está demonstrando uma inegável e incompreensível disposição em se fundir ao judaísmo, o Vaticano está dando estranhas mostras de estar sob uma direção à qual falta competência para a função, ou de estar mal intencionada. Já começou anos atrás com a deposição ou aposentadoria do papa Benedito XVI. Coisa que, ao que parece, não pode existir. Papa ou morre, ou é papa. Então temos dois papas, um nada faz e outro, bom, aí é que dá margem para desconfiar das verdadeiras intenções. Chamou atenção a sua atuação no caso da “Pedofilia na Igreja”. Qualquer dirigente responsável por uma organização ou empresa empenhar-se-ia em solucionar um problema destes, fazendo o menor alarde possível, justamente para não prejudicar a imagem  da mesma perante o público em geral e, principalmente perante os próprios adeptos. O papa Francisco fez o contrário. Durante longo período insistiu em comparecer à televisão a pretexto de prestar contas, mas dando a maior divulgação ao assunto. Fez quanta gente ficar longe da igreja?

Francisco tem se mostrado o maior incentivador da invasão de “migrantes” na Europa. Não seguiu o exemplo do médico Albert Schweitzer que adquiriu renome, fazendo o caminho inverso, foi á África, montou hospital e prestou ajuda aos africanos necessitados. Mostrou que faz parte daqueles que sempre combateram a igreja, papa Francisco é Globalista.

Quando do incêndio da Catedral de Notre Dame noticiamos aqui neste blog os ataques que igrejas cristãs estavam sofrendo mundo afora. Mas não são só ataques materiais, são sequestros, estupros e massacres. O padre Benedict Kiely, fundador da Nasarean.org, se queixa que a mídia internacional se omite quando o assunto é perseguição aos cristãos. Na Nigéria foram massacrados 200 cristãos. David Curry, da Open Doors, diz que as mulheres cristãs são o grupo mais perseguido do mundo. No Paquistão, na Nigéria e também no Egito milhares de meninas cristãs são sequestradas e forçadas a se converterem ao Islã.
Cristãos sofrem violência por serem cristãos e a grande mídia obedece aparentemente a ordens superiores, pois é unida em nada informar. Governos não protestam e fica tudo por isto mesmo. Até para o papa Francisco, ao menos quanto aos cristãos.

Em compensação convocou o SÍNODO DA AMAZÔNIA. Lá vem  Francisco se aliar a Macron, Merkel, Gretel etc. para se meter em assuntos do Brasil. Estão em pauta os seguintes temas:
-  A complexa situação das comunidades indígenas e ribeirinhas, em especial os povos isolados.
-  A  exploração internacional dos recursos naturais da Amazônia.
-  A violência, o narcotráfico e a exploração sexual dos povos locais.
-  O extrativismo ilegal e/ou insustentável.
-  O desmatamento, o acesso à água limpa e ameaças à biodiversidade.
-  O aquecimento global e possíveis danos irreversíveis na Amazônia.
-  A  conivência de governos com projetos econômicos que prejudicam o meio ambiente.

Isso não lembra a IDADE MÉDIA? A igreja se metendo em assuntos de Estado. E escolheu o Brasil! Não me lembro de atitude idêntica em relação a outra nação.
Por falar nisso, não vejo nem papa, nem um dos acima citados falar do ÓLEO CRU que vem poluindo a costa nordeste e norte do o Brasil. Da forma em que vem ocorrendo é inusitada. As proporções são muito maiores do que seriam de um simples vazamento de navio. A direção das correntes marítimas na costa brasileira nega que tivesse havido acidente nos campos petrolíferos da Venezuela. As imagens de satélite têm condições de revelar alguma coisa. A falta de um esclarecimento permitirá suspeitar de haver interesses maiores de não revelar as causas.


17 de outubro de 2019

FIM DO REICH

Tem-se a impressão de que a gritaria da Greta e sua exibição exagerada não deu o resultado esperado. Entusiasmaram-se demais, os organizadores da “Rebelião da Extinsão”. Não é deste jeito que funciona. Há um outro departamento do demiurgo do mal, que vem operando há séculos na transformação da vida humana neste planeta. Quer atingir seu objetivo também com “EXTINTION”, mas sem “Rebellion”, exterminando mesmo! Este departamento revelou claramente seu projeto há quase 100 anos através de um indivíduo chamado Richard Nikolaus Conde de Coudenhouve Kalergi. Maiores detalhes podem ser vistos no Google ou neste blog sob novembro de 2017.

Claro que o projeto não era só dele, por isso falo em “departamento”. Mas o plano consiste de uma erradicação da população branca, dos arianos europeus, através sua substituição por uma população afro-asiática de cultura e credo bem estranha à sua, e governada por judeus. Quem acompanha as notícias sabe que a Europa já recebeu milhões destes assim chamados Migrantes, sendo que está prestes a eclodir novo tsunami, tudo com expresso apoio dos respectivos governos, sejam remetentes, sejam recebedores e tudo com aplausos, até ajuda do Vaticano. O que gera suspeita de que algo está sendo tramado contra a própria população nativa, é que, com poucas exceções, os seus governantes parecem coniventes. Não empreendem qualquer medida de proteção aos seus povos.

Para que não falte a necessária matéria-prima, as bombas não param de explodir mundo afora, em flagrante desrespeito aos defensores do clima.  Nunca houve tanta guerra neste planeta, como depois que a humanidade se viu livre daquele “facínora”, chamado Adolf. Este homem teve o desplante de querer, segundo diziam, dominar o mundo. Engraçado é que hoje aqueles que o acusaram e combateram, são os maiores apologistas do GLOBALISMO, da Nova Ordem Mundial, do Governo Mundial. Na verdade chegou até mesmo a ser uma promessa divina a  um deles.

Desculpem, desviei do assunto. Estava falando dos migrantes. Segundo se diz, estão fugindo das agruras que sofrem em seus países. Desconfio que estão sendo enganados e mui provavelmente a EMENDA VENHA A SER PIOR QUE O SONETO. Sem contar o provável confronto entre as poupulações autóctone e alienígena, que dificilmente deixará de acontecer, é de se supor que a economia dos países invadidos não suportará as mudanças. Chama a atenção também uma  palavra que o leitor encontrará destacada no final da minha postagem anterior, quando o missivista ali citado pergunta à destinatária da carta se ela “pretende DESINDUSTRIALIZAR o país”. É um assunto sério. A Alemanha de Merkel decidiu e programou uma transição do suprimento de energia para fontes renováveis. Para tanto suas sete usinas nucleares serão desativadas até 2022. O que o país tem de produção significativa é a industrial, portanto dependente da energia elétrica. Terá como substituir nestes três anos a energia nuclear e a que preço? 

Isto  me faz lembrar que ao final da Segunda Guerra os aliados se preocupavam com a pergunta sobre o que fazer com a Alemanha depois de esta vencida. Ficou famoso o Plano Morgenthau. Foi seu autor o Secretário do Tesouro do governo Roosevelt. Entre outras medidas o plano previa a desindustrialização do país, transformando-o em agrícola e pastoral.
Já se sabe que grandes transformações geopolíticas podem ter sido planejadas com séculos de antecedência. 

Será esse o fim do REICH DE MIL ANOS?

8 de outubro de 2019

EXTINCTION REBELLION

I N C O N C E B I V E L ! Acabamos de testemunhar uma ocorrência absurda.  Não posso crer que ainda há poucas décadas tivesse sido possível impregnar milhões, ou bilhões de mentes ao mesmo tempo com uma ideia descabida, sem nexo, carente de qualquer comprovação lógica. Ontem, dia 7 de outubro, houve o lançamento mundial do insano movimento “Rebelião da Extinção”. Durante duas semanas de “desobediência civil”, o Extinction Rebellion chama os ativistas do mundo inteiro à rebelião pacífica e prometem paralisar, principalmente, o tráfego de grandes metrópoles, para exigir mudanças urgentes, porque estamos todos ameaçados de morrer com  o aquecimento global. Atos estão previstos em mais de 350 cidades de 60 países.
Isso é coisa do TAVISTOK (veja neste blog:  setembro 2019), ou melhor, é armação dos GLOBALISTAS. Coincide que veio a ter às minhas mãos cópia de carta dirigida pelo Dipl.-Chem.Dr.rer.nat. Hans Penner à Chanceler alemã Dr.Angela Merkel, figura dirigente do movimento em prol do  Governo Global. Passo a traduzir a epístola.
Prezada senhora Dra.Merkel,
Sua política energética está errada porque causa danos econômicos exorbitantes. O novo relatório da McKinsey sobre a transição energética confirma seus erros. Nenhum país do mundo adota sua política energética como modelo:
A senhora aceita ser aconselhada por crianças, porque lhe faltam os conhecimentos básicos de física atmosférica:
- A senhora não sabe que o clima muda constantemente desde quando existem nuvens.
- A senhora não sabe que o clima é regulado pela atividade solar e não por automóveis.
- A senhora não sabe que no país da Clima-Greta desde o seu nascimento a temperatura média não aumentou.
- A senhora não conhece o correspondente relatório da enquete do Bundestag (parlamento), que constatou que as emissões de dióxido de carbono são inofensivas, porque a absorção de 15µm da radiação da superfície da terra está saturada há muito tempo.
- A senhora não sabe que emissões de dióxido de carbono não são danosas, uma vez que sensibilidade do CO2 ao clima fica abaixo de 1ºC, como afirmam respeitáveis cientistas do clima.

Uma publicação da Universidade de Heidelberg (https://www.phisi.uni-
heidelberg.de/-dubbers/energiewende/text.pdf) confirma a nocividade da sua política energética.
- Embora a senhora tenha sobrecarregado os cidadãos com cerca de 500 bilhões de euros, a emissão de dióxido de carbono não diminuiu nos últimos dez anos.
- Apesar dos enormes subsídios, as fontes de energia eólica e solar contribuem com apenas 4,3% para o suprimento de energia do país, a energia nuclear entretanto com 6,5%. A senhora não tem projeto de como substituir a energia nuclear após sucateamento das valiosas usinas.
- 80% da nossa energia é gerada por combustíveis fósseis. Esses 80% a senhora pretende descartar! O que então vai restar da nossa indústria?
É um escândalo que um consenso de inúmeros cientistas não seja acatado. Suas petições contra a hipótese de uma catástrofe climática são simplesmente engavetadas:
Petição Richard Lindzen 2017, mais de 300 cientistas
Oregon Petition 2018, mais de 30.000 cientistas
Petição de Cientistas Italianos 2019, 90 cientistas 
Petição Berkhout 2019, mais de 500 cientistas

Como o seu governo transformou a Alemanha? Cidadãos responsáveis e independentes são de opinião fundamentada e convincente de que a senhora pretende DESINDUSTRIALISAR a Alemanha.
Com preocupadas Saudações

Hans Penner

27 de setembro de 2019

QUEM é QUEM

Apesar dos pesares, foi uma semana de esclarecer muita coisa. Já na segunda, na Convenção do Clima, a porta bandeira do combate ao “aquecimento global” perdeu o controle. A Greta fez careta e chamou todo mundo de fdp, ou algo semelhante. Soube que tem 16 anos e parece ter oito. Na hora das palestras não deixaram o nosso ministro do meio ambiente falar, a pretexto de não ser chefe de governo, mas outros, simples representantes, falaram.
BOLSONARO
Veio o dia seguinte, quando começou a Assembleia Geral da ONU e foram obrigados a escutar o Brasil. Ao nosso Presidente é dado, por tradição, fazer o discurso de abertura. Pois acho que o homem supreendeu, falou bem e deu início a um processo de marcar as posições de Patriotas em meio àquela multidão de comunas, desculpem, Globalistas e maria-vai-com-as-outras. Sobre a Amazônia, Bolsonaro faz referência ao posicionamento do presidente da França, Emmanuel Macron, a respeito da política ambiental do seu governo: “É uma falácia dizer que a Amazônia é patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a nossa floresta é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias, um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa, com espírito colonialista.” Bolsonaro enalteceu nosso patriotismo e afirmou que não abdicamos da soberania.
TRUMP
Depois veio o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump que deixou claro: “Sim, eu sou Nacionalista”. Traduzo aqui um trecho do seu discurso: “ O mundo livre deve voltar a se conscientizar dos seus fundamentos nacionais, que não podem ser rejeitados. Quem quer liberdade tem que ter orgulho do seu país. Quem quer democracia deve dar valor central à soberanidade. Quem quer paz deve amar o seu povo. Dirigentes ajuizados sempre deram o maior valor ao bem estar da própria nação, da própria terra. O futuro não pertence aos globalistas. O futuro pertence aos patriotas. O futuro pertence a nações soberanas e independentes, que protegem seu cidadãos, respeitam seus vizinhos e dignificam as diferenças que fazem de cada país algo especial e sem par. Por este motivo iniciamos nos Estados Unidos um programa estimulante de renovação nacional.”
REAÇÃO
Até a bem pouco tempo aqueles que querem um Governo Mundial tiveram um caminho mais ou menos desimpedido. Abandonaram a experiência da União Soviética, uma vez que já haviam fixado o pé em outras regiões, principalmente nos Estados Unidos. Sua política de infiltração funcionando com perfeição, bem como sua defesa contra o adversário natural, os que defendiam o Estado nacional. A eleição de Donald Trump foi um exemplo clássico. Quase todos os veículos de comunicação tradicionais foram contra ele, e são até hoje. Agora a campanha pelo “impeachment”.
Jair Bolsonaro no Brasil enfrentando um processo semelhante de parte da imprensa, além da tentativa de assassinato em pleno período eleitoral.
Na Itália temos Matteo Salvini, que contava com amplo apoio popular e no auge da carreira foi derrotado pelos políticos globalistas.
Para a União Europeia é imprescindível que o Reino Unido não realize o BREXIT, ou seja, permaneça na União, apesar de terem os britânicos decidido em consulta popular deixar a UE. Boris Johnson substituiu a primeira ministra Thereza May, que protelara a saída durante anos, e prometeu atender à vontade popular e deixar a União até 31 de outubro próximo, custe o que custar. Seus colegas de parlamento estão lhe causando as maiores dificuldades. Johnson é Nacionalista.
SIONISMO  
Devem existir mais mandatários da estirpe dos patriotas mundo afora, mas eu quero concluir este escrito de hoje com um nome que talvez meus leitores não esperassem sair deste teclado. É até possível que, igual Boris Johnson, não esteja mais muito firme no seu posto. Falo de Benjamin Netanyahu, grande apoiador de Trump e amigo de Bolsonaro. Deveríamos reconhecer aqui, ser lícito supor que hoje existem dois tipos de judeus. Um, aquele internacional, resultante dos movimentos da diáspora que tiraram o judeu do seu ambiente cultural e fez com que se domiciliasse em grande número de regiões e países. Outro é aquele que seguiu a Theodor Hertzel, considerado o pai do Sionismo. Este, um autêntico patriota e que hoje quer ser cidadão de uma nação chamada Israel. Propósito que foi apoiado também  por Hitler. Portanto é provável que parte dos judeus, ou seja os internacionais, apoiem, ou até sejam os promotores do Globalismo e outra parte, os sionistas sejam a favor do Nacionalismo. Explicaria muita coisa.

23 de setembro de 2019

SOLUÇÃO PARA O CLIMA

Reconheço que eu estava errado. Pensei que aquele alarido, feito por Macron e Merkel em torno da Amazônia, tivesse a ver com um possível plano de internacionalização da área. Realmente fez parte de um plano, mas não chegou a isto, pois ela viria com a própria globalização. Não, o que ficou claro é que essa estória do “clima”, do combate ao efeito estufa e ao gás que o origina, por mais absurda e inconcebível que seja, de fato está seguindo uma estratégia e logistica de Estado Maior.

Como não podia deixar de ser, este Estado Maior desenvolve suas atividades na ONU. Nações Unidas, donde têm partido iniciativas que não apenas parecem ser de gente que não têm o que fazer, ainda produzem efeitos contrários aos que prometem . Cito como exemplo os seus 30 Direitos Humanos, que aguaram os direitos que já conquistáramos. Sua Agenda 21 trouxe as ONGs e suas ações clandestinas. Seu Pacto de Migração, também conhecido como Acordo de Marraquexe, em lugar de proporcionar ajuda local aos paízes pobres desencadeou um movimento migratório de milhões de necessitados e refugiados econômicos, cujo resultado final ninguém pode prever.

Assim inventaram a ameaça de um “Aquecimento Global”. Como tudo o que fazem, não é o que dizem, esconde outros propósitos. Se escondem, é porque não seria bem recebido. Não se importam com assertivas do mundo científico, que negam a existir tal ameaça. Simplesmente vão em frente. Em 2015 reuniram mais de 180 países em Paris e os fizeram assinar o ACORDO DO CLIMA. Agora dramatizaram a coisa com o fogo na Amazônia, muito bem-vindo(!) aos seus propósitos. Imagens aterrorizantes dominaram os noticiários ao redor do planeta. Atitudes e palavras de governos estrangeiros sugeriram responsabilidade do brasileiro. Organizaram como protesto e reinvindicação de medidas para “salvar o mundo” o FRIDAY FOR FUTURE, mobilizando manifestações em massa, servindo-se principalmente de crianças e adolescentes.

Hoje acontece na ONU em Nova Iorque a CONFERÊNCIA DO CLIMA (um dia antes da assembleia do organismo). E já começam a pipocar novas medidas e leis com o destino de implementar o combate ao “aquecimento global”. A primeira que veio a público foi a da Merkel da RFA. Vai trazer aumentos de preços. Mas se é para mexer com o clima,  acho estranho que não tenham lembrado outra solução:  No meu livro “Outra Face da Notícia” à página 69, há uma matéria que escrevi em fevereiro de 2011 e da qual vou extrair dois parágrafos:

    Esta ionosfera parece ser uma área interessante. É o que sugere o fato de terem as forças armadas americanas criado um projeto científico sob a sigla HAARP – High Frequency Active Auroral Research Program, o que quer dizer: Programa Ativo de Alta Frequência para Pesquisa da Aurora Polar. Para tanto montaram no Alasca 180 antenas, que ocupam uma área equivalente a vinte campos de futebol. Mas não serve só para “estudar” o fenômeno celeste. A palavra Active fornece a pista de que é também para criá-lo. Segundo a revista “Der Spiegel” de 7 de outubro de 1996 isto já foi conseguido.
    A english.pravda.ru complementa agora dizendo que o sistema americano HAARP está em condições de desencadear catástrofes climáticas, tais como enchentes, secas e tornados. Zbigniew Brzezinski, conselheiro e assessor de vários presidentes americanos, diz em seu livro "Between Two Ages": “Graças a novas tecnologias (...) poderão ser adotados procedimentos para alteração do clima, provocando períodos duradouros de seca ou tormentas.”


O sistema deve funcionar, pois hoje já existe mais uma instalação HAARP na Noruega e outra na Rússia. Podem fazer chover, fazer frio ou calor, podem provocar terremoto. Deixem o DIÓXIDO em paz!