4 de dezembro de 2020

TESTE COVID REPROVADO

O estudo de Cornam et alt. que foi a base para criação do TESTE PCR Sars-Cov-2 e no qual o seu desenvolvedor Christian Drosten também desempenhou papel fundamental, foi submetido a um processo de revisão Peer-Review por 22 cientistas de renome internacional. Eles chegaram a um veredito contundente: o estudo contém nove erros científicos graves e três imprecisões menores. O estudo fora publicado somente em 21 de janeiro de 2020, apenas dois dias depois de recebido pelo Journal Eurosurveillance, do qual, ironicamente, o próprio Prof.Drosten é o editor. Os pesquisadores lhe enviaram o pedido de recolhimento do estudo em 27 de novembro último. As críticas são:

1. O design dos primer é inadequado: composição de base imprecisa, conteúdo de GC muito baixo, concentrações muito altas no teste. O único PCR (gene N) cientificamente relevante é mostrado, mas não foi verificado e não é recomendado pela OMS para teste. 

2. A temperatura de conexão é selecionada muito alta, de modo que uma conexão não específica é favorecida, de maneira que outras sequências de genes diferentes das do SARS-CoV-2 podem ser registradas. 

3. O número de ciclos é dado no documento como 45; um degrau até o qual a reação é classificada como genuinamente positiva não é definido para o valor CT. É de conhecimento geral que testes PCR a partir de um número de ciclos acima de 30 regularmente não mais permitem conclusão sobre a contaminação da amostra com o vírus em questão. 

4. Nenhuma validação biomolecular foi realizada, portanto, não há confirmação de que os amplificados são genuínos, de que realmente surgem e de que também comprovam a sequência buscada. 

5. Nem controles positivos, nem negativos foram realizados para detecção de vírus. 

6. Não existem instruções de manuseio padronizadas disponíveis que garantam a repetição do teste em laboratórios de usuários em iguais condições. 

7. Devido à configuração imprecisa da montagem do teste, existe o risco de resultados falso positivos. 

8. Dado o período muito curto entre a submissão e a publicação do estudo, é muito improvável que um processo de Peer-Review tenha ocorrido. Se ocorreu, foi inadequado porque os erros identificados, incluindo erros formais, não foram encontrados. 

9. Existem enormes conflitos de interesse em relação a pelo menos quatro dos autores, adicionalmente à problemática de dois dos autores (Prof. Drosten e Chantal Reusken) pertencerem ao conselho editorial do Eurosurveillance. Em 29 de julho de 2020, dois conflitos de interesse vieram a público: Olfert Landt é Diretor Administrativo da TIB Molbiol, Marco Kaiser é Pesquisador Sênior da GenExpress e consultor científico da TIB Molbiol. Esses conflitos de interesse não foram explicados na versão original do estudo, mas ainda faltam na versão publicada no PubMed. A TIB Molbiol é a empresa que supostamente foi a “primeira” a produzir os kits PCR (Light Mix) com base no protocolo publicado no manuscrito Corman-Drosten. Segundo relato próprio, a empresa já havia vendido os kits de teste antes da apresentação do estudo. 

Victor Corman e o Prof. Drosten deixaram de indicar sua dupla afiliação: eles não só trabalham na Charité, corporação de direito público, mas também no Labor Berlin Charité Vivantes GmbH. Eles são responsáveis ​​pelo diagnóstico de vírus no laboratório, que realiza testes de PCR em tempo real. 

A palavra dos especialistas participantes pesa muito, pois eles concentraram conhecimentos especializados na área em questão. Entre eles estão o ex-chefe de pesquisa da Pfizer Dr. Michael Yeadon, o geneticista Kevin McKernan, principal motor do Projeto Genoma Humano, detentor de várias patentes na área de diagnóstico por PCR, o geneticista molecular Dr. Pieter Borger, PhD, o especialista em doenças infecciosas e medicina preventiva Dr. Fabio Franchi, o microbiologista e imunologista Prof. emerit. Dr. Makoto Ohashi e a bióloga celular Prof. Ulrike Kämmerer. 

27 de novembro de 2020

ADVOGADO X DONOS DO MUNDO


 Mais que preparado, o advogado Dr.Reiner Füllmich, junto com sua equipe do comitê  Corona, entrou agora, em 23 de novembro, com uma ação na justiça alemã, tendo como causa o testePCR desenvolvido por Christian Drosten(foto).

Füllmich também está processando este virologista Drosten  do Charité de Berlim e o veterinário Lothar Wieler, chefe do Instituto Robert Koch em demanda que vai a bilhões em perdas e danos na justiça dos EUA. O sistema legal dos Estados Unidos permite ações coletivas contra pessoas  em outros países. Esclareça-se que já na época, quando apresentou o teste, Drosten foi criticado por cientistas da área.

Estamos processando aqueles que afirmam que o teste de PCR detecta infecções. Estes são, acima de tudo, o virologista Christian Drosten e o chefe da RKI Lothar Wieler. Os processos também visam políticos que confiaram nos conselhos de Drosten e Wieler ” declara Dr.Füllmich.O processo pode se tornar explosivo para Drosten e Wieler. Porque Füllmich é um dos advogados mais renomados da República e, como membro fundador do Comitê Corona, um dos mais violentos críticos das medidas Corona impostas na Alemanha. Há 26 anos ele vem atuando como advogado na Alemanha e na Califórnia.


Dr. Füllmich também trabalha em colaboração com Robert F.Kennedy Junior, conhecido por suas críticas a processos de vacinação e que também foi orador na grande manifestação popular contra medidas restritivas do corona, que aconteceu em Berlim dia 1. de agosto 2020. O processo alemão começou na segunda-feira, 23 de novembro 2020. Outro processo corre em paralelo movido por Robert F.Kennedy Jr. em nome da Children's Health Defense. 
Segundo notícia que acaba de chegar o destemido advogado Dr.Füllmich iniciou ou está para iniciar outro processo referente corona, agora contra a OMS - Organizção Mundial da Saúde por Crimes contra a Humanidade, tendo por base os testes PCR. Incluirá um acordão do Tribunal de Apelação da Justiça Portuguesa da semana passada, que declarou inconfiável o tste PCR.



 

 

13 de novembro de 2020

COMUNICADO

Salve, amigos e frequentadores das páginas deste 

Blog do Toedter. 

Pela primeira vez em 14 anos no exercício desta 

atividade pretendo tirar férias. A situação geral 

está pouco transparente mesmo.

Espero poder voltar depois dos festejos de Fim

de Ano.

                        Saudações a todos 

2 de novembro de 2020

OMS CONFESSA ENGANO

Segundo publica o jornal The GUARDIAN do dia 8/10/2020 a OMS – Organização Mundial da Saúde confirmou o que nós e muitas outras fontes vinhamos dizendo: CORONAVÍRUS não é mais perigoso do que a gripe sazonal. Em reunião especial do Conselho Executivo da OMS, realizada em 5 de outubro, o seu diretor, Dr.Michael Ryan declarou que o vírus não é tão letal quanto havia sido previsto. Àquela altura estaria se estimando o número mundial de infectados pelo Corona em 780 milhões e o de mortos pelo vírus em pouco mais de um milhão. Isto daria ao SARS-Cov-2 um índice real de mortalidade de 0,14%, o mesmo produzido pela gripe comum. O índice que a OMS anunciara em março era 3,4%, portanto 24 vezes maior do que a realidade está demonstrando. Este número elevado fora calculado à base de modelos e justificou os lockdown e demais medidas e políticas draconianas.

Na verdade é provável que, em virtude de os pretensos números de mortes terem sido exagerados, o índice seja ainda menor que 0,14 e por consequência o Covid-19 ser menos perigoso que a própria gripe.

Apesar de tratar-se de comunicação da própria OMS os meios de comunicação parecem não querer tomar conhecimento e nada publicam e as autoridades mantém as medidas restritivas em vigor, ignorando o apelo formal de abrirem suas fronteiras e economias. Dr.David Nabarro da OMS enfatizou este pedido, dizendo que só o que se produziu com os lockdown foi pobreza.

Fonte:

https://off-guardian.org/2020/10/08/who-accidentally-

confirms-covid-is-no-more-dangerous-than-flu


 

27 de outubro de 2020

A GRANDE RENOVAÇÃO

Pois é, amigos, quem diria, ou melhor, quem teria dito um ano atrás que iríamos vivenciar neste ano de 2020 os primeiros sinais da Grande Mudança. Nem imaginável era. Então ainda pensávamos que o nosso mundo era constituído de nações e povos autônomos, cada qual com a sua própria estrutura, constituição, suas leis e suas fronteiras. De repente esse mundo em todo o seu redor é atacado por um vírus, chamado inicialmente de coronavírus e anunciado como altamente contagioso e letal. Prontamente estas quase 200 nações tornaram-se uma só e fomos descobrir seus governantes todos unidos, seguindo os ditames advindos de algum lugar obscuro. Este ataque, esta verdadeira guerra desencadeada contra a humanidade, tinha como origem um plano preparado de longa data, com fundo psicológico rebuscado. Fez lembrar a “guerra psicológica” que se tornara uma ciência durante a segunda guerra mundial (veja neste blog em setembro 2018) e não duvido que o tal Instituto Tavistock de então esteja envolvido outra vez. Só profundos conhecimentos da mente humana podem explicar que hoje tão só e não mais que 5% da população sejam refratários à propaganda oficial e considere o vírus igual a outros que costumam circular pelo mundo, espalhando a gripe, principal dos males transmitidos pela família dos coronavírus. Uma grande maioria acredita piamente nos dados assustadores divulgados diariamente por todos os meios de divulgação e vive em pânico permanente. Usa a máscara até para dormir, ignorando que o uso contínuo da máscara prejudica o sistema imunológico.

Mas talvez o medo se justifique por outros motivos. Sabe você o porquê desta manobra toda, original por todos os meios, nunca dantes assim exercitada?

Sim, a VACINA! A vacina que, segundo os mandantes, acabará com a pandemia. Só a vacina fará tudo voltar à normalidade. Acho que é uma estória contada de trás p’ra frente. Não se trata de uma vacina para prevenir uma doença, mas muito mais uma doença para provocar uma vacinação! Uma vacina que já deve estar pronta e desenvolvida, talvez só falte ser produzida na quantidade desejada. Ouso afirmar isso, porque soube que vacinas levam em média 7 anos para serem desenvolvidas, isso quando se as consegue. Algumas nunca chegaram a ser produzidas. Estariam os mandantes dispostos a manter a humanidade sob ameaças de lockdown até quando?

Finalizando chamo atenção para um detalhe: Querem que ela seja obrigatória! Nessa altura começam a piscar todas as luzes de advertência.

O Great Reset, uma mudança que não parece muito promissora.


 

23 de outubro de 2020

VACINA FORÇADA

ÁUSTRIA tem pronta a "Carteira Digital de Vacinação” e abre caminho para as vacinas obrigatórias.



Isto foi agora anunciado pelo seu Ministério Federal de Assuntos Sociais, Saúde, Cuidados e Proteção ao Consumidor. A base jurídica para isso é criada através de uma emenda à Lei de Telemática de Saúde, que entrou em vigor em 15 de outubro de 2020, bem como as regras recém decretadas, sobre a proteção de dados necessária e que definem os padrões técnicos e organizacionais a serem usados.A CDV informará automaticamente as vacinas obrigatórias, não se podendo cancelar a inscrição, nem havendo também a opção de “desistência”. O governo federal alemão mentiu ainda recentemente, em resposta a um pedido de informação sobre o cartão de imunidade, exigido por Jens Spahn (Ministro da Saúde), afirmando que não tinha conhecimento de tais planos em outros países. Os planos na vizinha República Federal já foram calorosamente debatidos naquela época.As críticas, entretanto, não cairam em solo fértil.

Agora está ficando sério, como se deduz da comunicação do ministério Anschober: O objetivo do projeto-piloto é numa primeira etapa substituir a documentação em papel por documentação eletrônica. Com a vacinação contra a gripe, a aplicabilidade, aceitação e funcionalidade das primeiras soluções técnicas deverão ser testadas na prática. Essas experiências devem fluir para o desenvolvimento contínuo. Outras etapas de implementação técnica, como a integração no software do médico ou o desenvolvimento da interface do usuário para os cidadãos (por exemplo, usando uma solução de aplicativo), já estão sendo examinadas em paralelo. Ao incluir as vacinações contra a Influenza como parte do piloto, informações valiosas podem ser obtidas em tempo hábil para a vacina COVID-19 esperada para 2021. Quando totalmente complementado, o novo documento deve oferecer uma disponibilidade mais rápida de informações de vacinação por meio do registro completo das vacinas, obedecendo aos mais rígidos requisitos de proteção de dados. As valiosas descobertas sobre a cobertura de vacinação irão melhorar ainda mais a gestão de surtos e crises. Assim que todas as vacinas puderem ser abrangidas pela Carteira Digital de Vacinação, ela substituirá o atestado de vacinação em papel e suas desvantagens associadas. Além disso, trará valor agregado para os cidadãos através da planejada função de lembrete.

Ministro da Saúde, Rudolf Anschober: “A carteira eletrônica de vacinação é um instrumento importante que antecipamos devido à crise Corona. Há amplo consenso sobre essa importância - não apenas federal, estados e o sistema de seguridade social, mas também entre a população, a classe médica e a maioria das linhas partidárias. Agora criamos os requisitos legais para a pilotização, cabendo a todos os envolvidos trabalhar duro na implementação e levá-la adiante. Só assim podemos transformar um grandioso projeto piloto em um documento eletrônico de vacinação completo funcional, amigável, amplamente aceito, antes da chegada das vacinas COVID-19".

Isso deixa a porta dos fundos totalmente aberta para vacinações obrigatórias. O Chanceler Federal Kurz enfatizou repetidamente que não haverá retorno à plena liberdade de viagens enquanto não houver vacina disponível. Com o documento eletrônico de vacinação, o controle é simplificado e, portanto, oferece possibilidades inéditas, que trazem especialmente à indústria farmacêutica grandes lucros.

16 de outubro de 2020

VAMOS ACORDAR GENTE!

Uma doença que NUNCA antes existiu (levou agora o nome de Covid 19), está aí virando o mundo às avessas. Comércio e indústria vêm sendo sacrificados como nunca dantes o foram. Escolas, universidades, estádios, teatros, parques, balneários são fechados. Alunos e estudantes perdem ano e chefes de família perdem renda. Rara unanimidade impera entre os políticos, bem como entre os meios de comunicação. Direitos humanos e constituições são desrespeitados. Nós obrigados por lei a usar máscara que pode causar hipercapnia (Wikipédia).


Tudo coroado por um verdadeiro festival de TESTES, seja em enfermos ou sadios, só para acusar um enigmático "positivo" ou "negativo".


Isto ao redor do planeta. Não seria hora de desconfiar de que algo está errado?