4 de setembro de 2018

TAVISTOCK - Cozinha do Diabo


Não, não foi o nosso Ministério da Educação e Cultura, o MEC, quem inventou o “Kit Gay”. Os autores, os que tiveram a ideia, foram outros. Nem são daqui. São os mesmos do “Gender Mainstream’, da Identidade de Gêneros, Violência contra Mulher, dos supremacistas e outros tantos bordões e movimentos, todos com objetivos escusos, os quais perseguem, pretendendo moldar o pensamento das pessoas e a orientação das sociedades. Sugiro que se preste muita atenção à declaração que transcrevo a seguir e que tem um alcance maior do que parece à primeira vista.

Propagando pseudo-atrocidades nos ganhamos a guerra… e é agora que vamos começar com isso de verdade!” - Palavras de Sefton Delmer, ex-propagandista chefe britânico, ditas ao especialista em direito internacional alemão Prof. Grimm, após a rendição alemã em 1945. E Delmer continua: “Vamos prosseguir com essa propaganda aterradora, vamos incrementá-la até que ninguém mais aceite uma boa palavra desses alemães, até que acabe toda simpatia que porventura ainda tenham em outros países e que eles próprios sejam tão confundidos, que não saibam mais o que fazer. Quando isso for alcançado, quando eles começarem a sujar seu próprio ninho, não contra sua vontade, mas solícitos e dispostos a agradar os vencedores, só então a vitória estará completada. Nunca será definitivo, A reeducação precisa ser cultivada cuidadosamente, como gramado inglês. Bastará um momento de negligência, Para que a inerradicável erva daninha da verdade histórica volte a romper à superfície.

Mais importante que fabricar bombas, tanques, foguetes - toda aquela tralha - é FABRICAR OPINIÃO. Para tanto não basta só divulgar um conceito. É preciso que o público-alvo deixe de se dar ao trabalho de desenvolver sua opinião própria. Há que distraí-lo, não deixar que pense, que leia, que se instrua. O livro perdeu mercado para o computador e este para a drogazinha do smart. Dá para estudar pelo smart?

COMEÇOU HÀ MAIS DE CEM ANOS
Em 1913 foi instalada na Wellington House em Londres uma organização com uma incumbência inusitada. Ela tinha que criar e propagar receitas publicitárias, que tivessem por objetivo fazer com que a população britânica desenvolvesse uma OPINIÃO PÚBLICA favorável a uma declaração de guerra contra a Alemanha. A direção foi entregue aos lordes Rothmere e Northcliff e o financiamento inicial foi assumido pela Casa Real, passando mais tarde aos Rothschilds, que, por casamento, tinham parentesco com os Northcliffs.

O público-alvo foi logo estendido também aos norte-americanos, onde os responsáveis passaram a ser Walter Lippmann e Edward Bernays, enquanto Toynbee cuidava dos ingleses.

A Wellington House acabou provando que era capaz de realizar um endoutrinamento em massa, vulgarmente chamado de “lavagem cerebral”. Influenciou assim decisivamente os destinos de Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. Em 1921, portanto logo após a primeira e antes da segunda guerra mundial, foi transformada em TAVISTOCK INSTITUTE OF HUMAN RELATIONS.

Em 1937 o COMITÊ DOS 300 (já foi assunto deste blog em 17 em 29 de maio de 2017 e pode ser acessado) incumbiu o TAVISTOCK INSTITUTE de desenvolver estratégias para criação de uma NOVA ORDEM MUNDIAL sob um governo único. O financiamento coube à Família Real inglesa, aos Rothschilds, ao Milner Group e às fundações Rockefeller.

Certamente já é possível constatar, que “há muito mais por trás do que se noticia, mais do que supõe a vã filosofia”. Mais sobre TAVISTOCK na próxima edição. Enquanto isso PASSE ADIANTE, COMPARTILHE!


9 comentários:

  1. Ah grande delmer.

    Delmer foi contratado para promover a "rádio negra", uma rádio que emitia em onda curta, em alemão ou em italiano, com as mais diversas informações, só que em vez de emitir propaganda anti-nazi, emitia boletins informativos e música, supostamente para encorajar "os camaradas da wehrmacht".

    Na verdade, a sua missão era desinformar: por exemplo, diziam aos soldados alemães que estavam na frente não deviam de se preocupar com as suas esposas, porque os membros do partido Nazi local lhes "providenciariam todas as suas necessidades" .

    Quando emitia em italiano, Delmer informava todos os italianos que a lira ia ser desvalorizada, o que promoveu uma corrida desenfreada aos bancos, e que os aliados estavam a criar uma "zona de paz" no norte da Itália, junto à fronteira com a França, e que os aliados não fariam bombardeamentos aéreos nessa zona. Mussolini logo desmentiu os rumores e prometeu um castigo exemplar aos italianos que fossem para lá. É claro que a "rádio negra" aproveitou a ocasião para difundir à exaustão o recado de Mussolini, para que os italianos ficassem cientes da qualidades do seu líder.

    Joseph Goebbels declarou que iria distribuir víveres pelos operários fabris, Delmer anunciou através da Radio Negra que essa comida tinha Pervitin, para aumentar a produtividade.

    Quando as crianças das famílias bombardeadas em Hamburgo iam ser evacuadas para leste, para campos supostamente mais seguros, a rádio noticiou:

    "O doutor Conti, (ministro da saúde do Reich) felicitou os oficiais médicos dos campos para crianças (...) pela exemplar dedicação com que trataram da epidemia de difteria que se manifestou nas crianças a seu cargo. Manifestou ainda a esperança de os ver triunfar sobre a trágica penúria de medicamentos e assim se reduzir a taxa de mortalidade para uma média de sessenta mortes por semana."

    Os hospitais de campanha enviavam todas as semanas para Berlim telegramas com a relação dos soldados que morriam nos seus hospitais. Esses telegramas incluiam nomes, moradas, localidades, e mais importante de tudo, eram emitidas em sinal aberto, o que permitia que os aliados conseguissem interceptar esses telegramas.

    Quando esses telegramas chegavam a Berlim, eram enviados para as delegações dos partidos em toda a Alemanha, para que essas delegações fossem às casas dos soldados e dessem a notícia às famílias. Esse procedimento demorava, desde a chegada a Berlim até às casas das famílias pelo menos uma semana.

    Delmer juntou uma série de pessoas que dominavam o Alemão e começaram a escrever cartas às famílias, para chegarem antes da notícia dada pelos Nazis, e essas cartas seriam escritas por uma suposta enfermeira ou um suposto colega, e que diziam todas aquelas coisas normais: ele era um bravo, grande amigo, etc. Mas deixavam uma frase enigmática, uma frase revoltada: ele foi morto pelos médicos, com uma injecção letal, porque o Partido Nazi dera ordens para racionar os medicamentos: apenas seriam medicados os soldados que pudessem voltar a combater.

    As tropelias que Sefton Delmer durante a guerra foram tantas, que Delmer teve de publicar um livro, terminada a guerra, para desmistificar algumas coisas, que eram desinformação criada pela Doublecross.

    ResponderExcluir
  2. Caro toedter voce e um autentico idiota. Lol censure mais kkkkkk e os que publica servem para abrir os olhos a gatitos kkkk

    ResponderExcluir
  3. Enquanto isso na Alemanha de Merkel:
    https://actualidad.rt.com/actualidad/287618-alemania-cerrar-caso-migrante-violar-compañero

    ResponderExcluir
  4. E na Alemanha tinham a escola de Frankfurt que Hitler mui corretamente fechou.

    Smart, tablet, iphone, games ... sem falar na azucrinante ego-mania dos fúteis auto-retratos (os selfies) , é outra distração medonha. O que se aprende com selfies?

    -----------------------------

    Bittere Steingart-Prognose: 2021 ist AfD stärkste Partei, gefolgt von Union, dem großen Nichts und dann der SPD:

    https://www.focus.de/politik/experten/gastbeitrag-von-gabor-steingart-europas-nessie-heisst-italien-wie-sich-europa-ein-pleite-ungeheuer-maestet_id_9533001.html

    Cobalto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra quem acha que as estratégias à lá Taviskosk não são usadas no Brasil ...

      O jornalista e economista J. Carlos de Assis faz inquietantes questionamentos às Forças Armadas, em especial ao general da reserva Mourão (maçom): “Onde estão esses militares, sobretudo os da reserva, com suas espadas brilhantes que dão suas costas para a privatização fatiada da Petrobrás, o maior patrimônio público do país, e a projetada entrega a estrangeiros da Eletrobrás? Por que nada falam? Continuam dando prioridade à caça de comunistas? Quais seriam esses perigosos comunistas, general, se a totalidade deles decidiu aceitar o jogo parlamentar, participar de eleições e do exercício regular da democracia? Falo aos da reserva, pois o melhor que os ativos podem fazer, para a estabilidade do país, é ficarem calados!”, escreve.

      Continua: “Você, que parece ser muito valente contra a esquerda, não se pronunciou sobre a venda de patrimônio público por este governo, incluindo águas, pré-sal e terras na Amazônia, ou contra a infame reforma trabalhista.”
      https://www.esmaelmorais.com.br/2018/05/forcas-armadas-nem-ai-com-a-soberania-nacional-segundo-j-carlos-de-assis/

      Repito: PURGA JÁ! Não temos Exército, é uma força de ocupação e paga por nós, um deboche. Essa é a verdade.

      https://www.google.com.br/search?q=Lava+Jato+querbrou+o+Brasil+Petrobras&oq=Lava+Jato+querbrou+o+Brasil+Petrobras&aqs=chrome..69i57.9052j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8 ... lembrando que Moro é maçom.

      https://www.google.com.br/search?q=ma%C3%A7onaria+desfile+7+setembro&tbm=vid&source=lnms&sa=X&ved=0ahUKEwic5pP0jqndAhWCUJAKHRkoAJMQ_AUIDCgD&biw=1152&bih=753&dpr=1

      Sabiam que a sede da Maçonaria no Brasil é Londres? Talvez em Wellington House:
      https://www.youtube.com/watch?v=ciNkEPBGc-o

      "Independência ou Morte!" supostamente gritou um desavisado. "Nem um nem outro, é escravidão" determinou Rothschild que por acaso também é maçom.

      Fora Maçonaria!

      Cobalto

      Excluir
  5. Você tem alguma informação imparcial sobre o "massacre de Herero e Nama"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja no meu livro OUTRA FACE DA NOTÍCIA, edtado em 2012, Editora e Livraria do Chain, página 43 : O LEVANTE DOS HEREROS.

      Excluir
  6. A imigração em massa atua quase como um manto invisível que mascara os que estão por trás do terrorismo demográfico perpetrado contra o povo europeu.
    (...)
    Um povo unido por uma identidade compartilhada, uma cultura compartilhada e uma história compartilhada pode ser mobilizado para defender seus próprios interesses e identificar mais facilmente grupos externos hostis entre eles. Uma nação que tem muitos grupos diferentes residindo dentro de suas fronteiras significa que é mais difícil para aqueles que não sabem dela identificar quem está puxando as cordas.

    As massas de imigrantes de diferentes continentes, com diferentes culturas, também se tornam uma cortina de fumaça para um certo grupo minoritário se esconder atrás. Não há mais apenas um ou dois grupos minoritários facilmente reconhecíveis, existem vários. Ela permite que esse grupo minoritário se torne apenas um grupo minoritário entre muitos e apresente seus próprios interesses como sendo os interesses de todos os chamados grupos minoritários. Se há críticas a esse grupo em particular, eles inventam uma narrativa de vitimização e apresentam essa crítica como sendo um ataque a todos os grupos minoritários, trazendo assim outros grupos para se oporem àqueles que fazem as críticas.

    Os globalistas querem uma situação em que os europeus possam ser combatidos em nossas próprias nações por não-europeus. Eles querem que os europeus se enfraqueçam a ponto de serem incapazes de se unirem para interesses especificamente europeus. Eles querem ser capazes de mobilizar não-europeus (como já fazem) contra os europeus, apresentando - por meio de suas vias tóxicas de influência sobre a consciência pública - os interesses europeus como sendo racistas e odiosos.
    (...)
    http://www.smashculturalmarxism.com/globalistsdestroyingthewest/

    Cobalto

    ResponderExcluir
  7. Daniel Estulin regressa agora para revelar ao mundo a pior e mais aterradora conspiração a nível mundial de controlo mental jamais vista! Quase ninguém sabe o que é o Instituto Tavistock: o maior centro de controle mental, uma sofisticada organização criada com o intuito de controlar o destino de todo o planeta e alterar para sempre o paradigma da sociedade contemporânea. Neste livro revolucionário, Estulin desvenda a origem e o modus operandi do Instituto, quem está por detrás desta organização, quais são os seus objetivos e como nos afeta a nós, as vítimas, no nosso quotidiano. Mas aprenderemos também a combater os seus métodos tenebrosos. Depois de ler este livro, nada será como antes.
    https://www.fnac.pt/O-Instituto-Tavistock-ESTULIN-DANIEL/a676367

    ResponderExcluir

Escreva aqui o SEU pensamento sobre o assunto. É dispensável repetir o que já é de domínio público. A indicação de links deve ser acompanhada de breve descrição do conteúdo. Mensagens anônimas não são bem-vindas, agressões e baixarias não serão publicadas.