6 de abril de 2019

CISÃO NO MUNDO JUDEU

Antes de abordar o tema de hoje, aqui vai, a título de aperitivo, um vídeo que está circulando pelo WhatsApp do cotidiano. É curto, 5:51, bem legendado e onde se lê “esquerda” ou “esquerdismo” recomendo ler globais ou globalismo. Bom proveito!

De volta ao título da matéria de hoje e que sugere a pergunta: “Será mesmo?” A quem achar que essa dissidência é uma hipótese totalmente improvável, quero lembrar que a semente desta mudança já foi plantada com a própria criação do Estado de Israel. Antes disto o objetivo maior era o Governo Mundial Judaico. Agora dá para notar que uma grande parcela dá prioridade à proteção de Israel como estado nacional e etnicamente consolidado. Seu chefe de estado, Netanjahu, amigo de Trump, de Bolsonaro e de Victor Orban - a quem perdoa até mesmo a negação do holocausto -  é hoje um grande inimigo para Soros, judeu húngaro e líder da esquerda globalizante. A eleição, a qual Netanjahu se submete na próxima semana, deverá ser muito elucidativa.

Fato é que os parâmetros políticos estão mudando e isto deveria ser uma indicação para que seus representantes passem a encarar com mais realismo a área em que atuam. Na verdade e sem ter consciência disso, a maioria já fez sua opção, de nada valendo o nome do seu partido (35 no Brasil). Também a qualificação de “esquerda” e “direita” pode induzir a erro. Nem todo esquerdista quer que o seu país deixe de ser soberano, independente; que passe a receber leis, regulamentos, ordens que venham de um ponto obscuro do planeta.  Por outro lado, tenho certeza que muito direitista vem sendo seduzido pela ideia de um mundo sem fronteiras, vivendo a ilusão dos que queriam construir a Torre de Babel, onde todos falassem a mesma língua. Esquecem que o projeto falhou, porque era ordem do criador que cada povo falasse sua própria língua. Aqui pergunto, se isto não quer dizer também, que cada povo deve ter sua própria identidade?
O que talvez impeça muitos de optar pela solução NACIONALISTA, é que a palavra suscita uma prevenção criada ao longo dos anos de forma injuriosa e caluniosa pelos próprios GLOBAIS, precursores dos Soros e Rothschilds de hoje, quando ainda eram simples COMUNISTAS.

Vale lembrar que os comunistas já marcaram presença na Primeira Guerra Mundial, criaram a União Soviética e tiveram decisiva atuação na Segunda Guerra. Seu propósito é, e sempre foi, a INTERNACIONAL SOCIALISTA. O regime que impuseram na URSS não foi exatamente o que se possa desejar ao mundo todo (vide Livro Negro do Comunismo). Como até hoje ninguém me disse o que eles pretendem agora, devo acreditar que seja aquilo que está entalhado no monumento chamado de GEORGIA GUIDE STONES, entre o que destaco a redução drástica da população mundial. Assim certamente  serão obras deles as guerras que estão se desenhando por aí.

Durante a visita agora do nosso presidente a Israel, surgiu uma polêmica em  torno do NSDAP Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores da Alemanha: seria ele um partido de “esquerda” ou não. Portanto se era um grupo político a favor de reformas trabalhistas e sociais. Para dirimir tal dúvida, bastaria pesquisar se algum regime, a qualquer tempo, tenha feito em apenas seis anos tanto, para erradicar a pobreza e em benefício social para o seu povo. Foi importante motivo para que lhe declarassem guerra e o destruíssem.
Vejamos agora como Netanjahu, primeiro-ministro de Israel e nacionalista, vai se haver com as eleições na próxima terça-feira, dia 9.

25 comentários:

  1. Tenham calma que o homem provavelmente vai ganhar e para unir os tais nacionalistas que so o sao fora de israel se em causa estiver israel ja nao pode haver nacionalismos, o saco de gatos de nacionalistas esquerdoides comunistas ou neonazis fascistas funcionam todos pela mesma bitola, contra israel, mas o homem ja prometeu no sabado anexar partes da cisjordania ocupada se for reeleito e a extensao da soberania israelita, uma dramatica mudanca de política, aparentemente visando unir a sua base nacionalista interna, ate o trump ja disse que israel tem posse o tempo suficiente para anexar os montes gola. Eu sou favoravel a criacao de dois estados, mas o tempo e o grande mestre, israel fez acordos cedeu terrenos nesses acordos, e houve sempre um movimento que desde 1947 nunca se preocupou em construir o seu proprio pais, mas em destruir e expulsar o outro,ora isso teve consequencias, e o tempo de criacao de dois paises viaveis esta esgotado ou no limite, acho que no futuro muito longe, vamos ver palestinos e judeus num unico pais governado por israel, e a partir dai o surto demografico decidira a futuro de quem manda nesse pais. Israel quer controlar isto, a politica de regresso dos refugiados mas isto nao e controlavel e uma questao de tempo.

    ResponderExcluir
  2. "Cisao no mundo judeu."

    O titulo deste post e muitissimo engracado e e assim que ainda se fomentam fanatismos, "cisao no mundo judeu" e vai se a ver e refere-se a um pais e aos cidadaos desse pais e respectivas eleicoes, aos cidadaos israelitas, e que mundo judeu e outra coisa, sao todos os judeus vivam sejam ou nao cidadaos de israel, podem ser judeus a viver em qualquer estado e ser cidadaos nacionais desse estado, israelitas e outra coisa e sao os cidadaos de israel sejam ou nao judeus.o primeiro ministro israelita e ministro dos israelitas, mas nao de todos os judeus, mas ha quem confunda tudo, judeus com israelitas. Coisas do mundo e do fanatismo.😂😂😂😂😂

    ResponderExcluir
  3. "tenha feito em apenas seis anos tanto, para erradicar a pobreza e em benefício social para o seu povo. Foi importante motivo para que lhe declarassem guerra e o destruíssem."

    Ora essa nao teria havido problema se ele nao tivesse querido recompor o imperio alemao que acabou em 1918, de resto na maior das passividades ninguemse importou com a renania, checoslovaquia, austria, sudetos etc. Mas se pensa que foi pelo factor economico do bem estar do povo alemao que ele supostamente criou, esta bem😀😀😀😀😀nao conheco nenhuma guerra comecada por esse motivo

    ResponderExcluir
  4. Como tinha palpitado o homem venceu, mais uma vez a quinta, ele ira continuar a governar a unica democracia na regiao do medio oriente e a defender o povo israelita e judeu, que tem sido perseguido durante toda a historia.netanyhau ganhou poque israel e um país prospero,poderoso, evoluido e multicultural, e quem vota nas eleicoes de Israel sao os israelitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas corrigindo:

      Uma dúvida que INSISTES em não me responderes. Olha lá, vou perguntar novamente:

      Todas as perseguições e expulsões, mais de centena, que os judeus sofreram, foi o caso de em todas elas estarem os judeus certos e os outros errados?

      Excluir
    2. "Todas as perseguições e expulsões, mais de centena, que os judeus sofreram, foi o caso de em todas elas estarem os judeus certos e os outros errados?"

      Eu evito responder a desconhecimentos basicos e isso percebes, esses so por ironia. Mas respondo-te e digo-te honestamente e acaba aqui, isto so e compreensivel por quem e licenciado em historia.😂😂😂😂😂, os outros precisam de explicacoes.📚📚📚

      Claro que sim o moco cheio de "titulos escolares" os judeus foram expulsos de muitos paises ate do deles proprio ha milenios, mas entao tu nao conheces o caso da historia de portugal e da matanca da pascoa? nao conheces o caso dreyfuss? E o celebre J' accuse 😀😀😀😀 nao conheces o caso da expulsao dos reis catolicos de espanha o decreto ou edito de alhambra e depois por razoes familiares de portugal com os reis de espanha, o decreto de d. Manuel I ? tambem, nao conheces o famoso caso nazi das leis de nuremberga e depois do holocausto? nao conheces o caso da inquisicao que depois os perseguiu ate no brasil de onde tiveram que fugir e imagina foram fundar a capitalista nova iorque, claro que tu nao conheces nada disto, mas conheces a famosa "fraude" dos sabios de siao, mas tu nao sabes que e fraude,😂😂😂 por exemplo, eles tambem propagavam pragas catastrofes doencas como no caso portugues da celebre matanca, praticavam comercio emprestavam dinheiro e cobravam juros e tinham profissoes de classe media como medicos advogados engenheiros filosofos professores cientistas, profissoes influentes e perigosas,😀😀 apesar de "licenciado em historia"😂😂😂tu nao sabes claro, os teus titulos escolares sao os do i.h.r e outros da f.a. Mas eu explico-te numa simples palavra que todo o historiador conhece mas tu nao, chama-se antisemitismo.😀😂😂😂😂😂😂,isto nao e para qualquer historiador,e se fores para outras etnias chama-se racismo.😂😂😂😂😂😂😂😂 e o teu problema.
      E so dukes

      Excluir
    3. Como o micróbio é o mesmo de outro sítio, o que apliquei lá, serve para o que referes ao meu saber e formação. Em seguida irei ver essa 'apologética' sobre as expulsões.

      Falas aí de que eu uso o Institute for Historical Review, e realmente também estudo eles, é o mínimo para reunir os dois lados da questão, na verdade o IHR é mais o meio termo da história, pois examina os dois lados.

      Paciência é algo que a vida ensina, junto com impulsividade ou prudência quando necessário em cada ocasião. Vou de paciência, não exatamente contigo, mas com a situação.

      Na questão judaica, ou na Segunda Guerra Mundial, se a verdade é almejada, como em todos demais assuntos, eu olho, além do material convencional, também nas fontes primárias o lado judaico, o lado Nacional Socialista, o lado do Eixo, o lado dos Aliados, isso deveria ser o normal, mas o lobby judaico-internacional e sionista não gosta de desse normal, o qual é decorrência do compromisso para com a busca pela verdade. Qual o motivo de medo do lobby judaico-internacional e sionista com um padrão básico de investigação que examina o contraditório? O Institute for Historical Review não vê problema algum nisso, já o tal lobby não pode dizer o mesmo!

      As respostas do lobby judaico-internacional e sionista vem às custas de apelos sentimentalistas sem quaisquer fundamentos investigativos, tal lobby se escora em tais apelos, cuja fonte quase toda é dos postulados de esquerda, mas que ao mesmo tempo que esse lobby tenta se desvincular de seu passado totalmente atrelado à esquerda (criada e alçada na maior parte por luminares judeus) usa dos postulados dela que ainda lhe servem.

      Mas veja, lá, suas bases são a da ADL! E qual o máximo de argumento que até hoje a ADL conseguiu? Respondo já: alegar que nas situações que os judeus abundam em postos decisivos, isso seria decorrência da casualidade. O Foxman em entrevista ao Joel Stein, disse isso, no caso em relação aos 8 estúdios de Hollywood serem judaicos (https://www.latimes.com/archives/la-xpm-2008-dec-19-oe-stein19-story.html ). No seu caso também nunca ultrapassaste isso, mas apenas complementas com ‘lógicas’ bíblicas, de ‘povo eleito’, ao estilo do judeu Blankfein (do Goldman Sachs) que alegou fazer o trabalho de Deus!! (https://www.reuters.com/article/us-goldmansachs-blankfein/goldman-sachs-boss-says-banks-do-gods-work-idUSTRE5A719520091108 ).

      Acima está a tua formação! É isso! Aleatoriedade para alguns casos, e determinismo-fanatismo abraâmico para outros. Os dois extremos do infrarracional!

      Excluir
    4. Continuação:

      Mas repare que ‘determinismo-fanático abraâmico’ é adotada por um perfil de massa, a dos religiosos fanáticos, enquanto a ‘aleatoriedade’ é adotada por outro perfil da massa, os materialistas, e tu consegues a proeza de conjugar os dois.

      Calma lá! Não vais morder o próprio rabo!!! Não quero dizer que tu és 2x infrarracional! Pois eis a contradição! A soma de dois polos infrarracionais não lhe torna ainda infrarracional. Lembrando os diálogos Teeteto e Sofista de Platão, quando se evidência que o que está sob a ignorância e passa a se limitar a mera opinião, não consegue só acertos nem só erros, pois entre uma maioria de erros, colhe alguns acertos. Isso ocorre com os adeptos do determinismo-fanatismo abraâmico e os adeptos da aleatoriedade, pois apesar de quase sempre errarem, ainda nos postulados deles há fração de verdade oriunda da remota origem de tais postulados os quais partiam de um ponto seguro para caírem no desvio. Daí acumularem quando justapõe na argumentação de ambos os partidos a parte que ainda há de verdade dentro do todo predominantemente falso.


      Por outro lado, o sofista, revela-se por discernir o caminho da falácia, oferecendo ao ouvinte uma linha ininterrupta de falácias, isto é, de erros, pois deliberadamente conduz o outro interlocutor ao desvio da verdade, e é isto o que fazes, hasbará, selecionando os extremos do infrarracional, através de contorcionismos sofistas, para derramar nos outros do jeito mais conveniente a sua causa, resultando num caudal de mentiras e falácias. Isso é a pura malícia!


      Um jeito divertido de testemunhar esse espetáculo para comprovar isso, é emular dois povos rivais usando o mesmo argumento um contra outro, de que são o povo eleito rsss. Lançado contra ti essa situação, até agora vi recorreres às escrituras ou mais especificamente o postulado de ‘povo eleito’. Foi isso o máximo que conseguiste, mas há um caso histórico disso, conforme segue abaixo.

      Toda sua trupe, a do judaísmo internacional, repudiava que se recorresse à argumentos de escrituras religiosas, notadamente no período do Papa Pio IX, e apelavam às luzes da razão do movimento iluminista, no entanto, agora as luzes da razão fazem mal a sua trupe, o judaísmo-internacional e sionismo, e, numa mudança extrema, apelam aos religiosos cristãos doutrinados ao filo-judaísmo, apelando realmente ao fanatismo.


      Então contra o fanatismo, acho justo o estudo comparado, e juntando certa vocação com necessidade dos tempos, reuni um bacharel e duas licenciaturas, pertinentes a estes temas, mas nesses tempos o lobby do judaísmo-internacional e do sionismo parece preferir massas fanáticas, desde que aceitem alegações que apoiem esses dois lobbys.


      Assim hasbará, lhe agrada mais ouvir os fanáticos completamente leigos, mas que digam aleluia à causa judaica, do que alguém com, no mínimo uma qualificação regular, que exponha e desminta as falácias do judaísmo internacional e do sionismo, usando o proceder histórico e lógico normal, destituído de aleatoriedade e alegações fanáticas, estas duas o recurso final em que se agarram respectivamente os materialistas tanto da direita como da esquerda koscher e os religiosos filo-judaicos.

      Excluir
    5. Continuação:

      Não quero jogar confete sobre mim, eu gosto dos meus estudos, da direção deles, e nem tenho e nem nunca tive pretensão ou desejo algum de ser laureado academicamente, pois exercer as atribuições de tais disciplinas dentro do mediano, mas realmente mediano se comparado com os reais grandes nomes, já faz cumprir o suficiente nas respectivas pertinentes investigações e contra falácias, fanatismos e mentiras, estas três últimas as quais tu hasbará, difundes sob anonimato.


      Mas eis o principal, não preciso recorrer ao ad hominem, pois se dum lado você hasbará ANÔNIMO vale-se concomitantemente de aleatoriedade e fanatismo, reunindo os polos do infrarracional, recorrentemente apelando ao ad hominem, por outro lado, eu, na minha identidade real, com um bacharel em farmácia e bioquímica, e duas licenciaturas, história e filosofia, entendo apenas ser o mínimo para poder reunir alguma propriedade nos assuntos em que adentro e emito algum parecer, desde que procedendo respectivamente pelas leis das ciências exatas e biológicas, análise histórica comparada e em fontes, e lógica consolidada, algo que até agora tu te mostras-te completamente incapaz de manejar e até então sem quaisquer qualificações formais (o que é um anônimo nesse caso?).

      Quaisquer quer que sejam minhas medidas, seguindo as chamadas ‘hard sciences’, as suas estão abaixo, e isso não é motivo de orgulho para mim não, afinal, estar acima da nulidade nessa comparação não é vitória alguma, é ponto de partida!

      Excluir
    6. Quanto a questão das expulsões, primeiro vou deixar o publicista judeu Bernard Lazare abrir as honras:


      “Se se quer redatar uma história completa do antissemitismo – abarcando todas as manifestações deste sentimento e seguindo suas fases diversas e suas modificações – há que considerar a história de Israel desde sua dispersão ou, melhor dito, desde os tempos de sua expansão para fora do território da Palestina.

      Em todos os lugares nos quais os judeus, deixando de ser uma nação disposta a defender sua liberdade e sua independência, se têm estabelecido, em todos eles se tem desenvolvido o antissemitismo, ou mais bem, o anti-judaísmo, pois antissemitismo é uma palavra mal eleita, que só tem tido razão de ser em nosso tempo, quando se tem querido ampliar a luta do judeu e dos povos cristãos e dar-lhe uma filosofia ao mesmo tempo que uma razão mais metafísica que material.

      Se a hostilidade e até a repugnância só se tivessem manifestado com respeito aos judeus em uma época e em um país, seria fácil desentranhar as causas limitadas destas cóleras, mas pelo contrário, a raça judia tem sido objeto do ódio de todos os povos em meio dos quais se tem estabelecido. Já que os inimigos dos judeus pertenciam as raças mais diversas, viviam em países muito apartados uns dos outros, estavam regidos por leis diferentes e governados por princípios opostos, não tinham nem o mesmo modo de viver nem os mesmos costumes e estavam animados por espíritos dissemelhes que não lhes permitiam julgar de igual modo todas as coisas, é necessário, por tanto, que as causas do antissemitismo sempre tenham residido na mesma Israel e não em quem os têm combatido.”

      Bernard Lazare, El Antisemitismo – Su historia y sus causas, Ediciones La Bastilla, Buenos Aires, 1974. Traduzido ao espanhol por Marcos Moreno da versão original em francês L’antisémitisme, son histoire et ses causes. Páginas 11-12.

      Excluir
  5. Como dizia o Dr. Enáas: "É falsa a briga entre eles."

    ResponderExcluir
  6. Sapeca iá iá

    https://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,missao-de-israel-para-a-lua-falha-e-espaconave-cai,70002788304

    Apenas aquela brincadeira para dar uma quebrada na tensão aqui no blog! Tranquilos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem piada e que eles nao seguiram a teoria braisleira que ai circula e que nao conceberam os planos para uma terra plana logo a lua tambem tinha que ser plana, esse foi o erro de calculo, como ultimamente andaram muito por ai com a dessalinizacao e busca de vitimas de rebentamentos de barragens foram contaminados nos seus raciocinios, porque ha muita gente por ai que ainda acredita que os americanos nao foram a lua. Por isso eles esqueceram-se de consultar os detalhes dos outros. Como dizia o newton eu vi mais longe porque estava ao ombro de gigantes.😂😂😂😂😂 deixa la os americanos em 2022 ou 24 vao la outra vez a nasa aceitou o desafio do trump e entao os israelitas vao fornecer material tecnologico e aprender com eles. E assim nao e ? So pode com brasileiros naaaaaaa😀😀😀😀😀😀😀

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Eh eh eh! Tudo bem que existem tais teorias, e até em certa maneira vinculas eu ao Brasil, estás correto sim senhor!

      Mas é preciso explicar, se possível desenhar aqui!

      Como indo-europeu em ideal, e em ancestralidade também, me identifico mais com a tradição e povo indo-europeu que com o Brasil, que apesar de ser meu país natal e que poderia estar bem melhor, todavia, não é um país predominantemente indo-europeu, mas insisto, minha identificação é acima de tudo com os indo-europeus.

      Mas apesar de meu compromisso com a busca pela verdade e com a imparcialidade, me permiti a brincadeira acima eheheh!

      No entanto, vejas só, tens uma semelhança tua aí comigo, por incrível que pareça, pois da mesma maneira tu tens algum vínculo com o sagrado Portugal, mas obviamente seu vínculo essencial é o judaico, por isso não fiz a piada com Portugal, mas sim com o foguete 'meia boca' de Israel/Judeia, o local de sua identificação essencial e verdadeira, claro dentro de toda ladainha de 'povo eleito'.

      Portanto, ao disparar em mim, não dispare contra o Brasil, pois nessa questão da corrida nas estrelas, rsss, meu alinhamento é com o pessoal de Peenemünde. Sem essa turma o Ocidente estaria ainda vivendo o que as esdrúxulas teorias que mencionaste afirmam. Mas não, fico com os desenvolvimentos de Peenemünde e seus derivados, por sinal, saqueados...

      Excluir
    4. Já que essa sequência aqui tem uma espaço para humor, fica a pergunta:

      Seria a lua antissemita? Pois a tentativa de Israel de anexar a lua não foi bem sucedida?

      Eheheh

      Excluir
  7. "É falsa a briga entre eles."

    Como todas as brigas em paises que sao democraticos, a briga e entre o governo e a sua politica e a oposicao e a sua politica. Somente isto que a oposicao esquerdoide ja veio confirmar, ganhou mas vamos lhe fazer a vida negra. Quem acha que a briga se refere aquilo que certas cabecas pensam, esses tambem acreditam no pai natal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Benny Gantz Exposes What Israelis Think of Jews the World Over
      Mondoweiss

      https://mondoweiss.net/2019/03/benny-exposes-israelis/

      Israeli politician Benny Gantz raised the specter of dual loyalty of Jews in other nations when he said yesterday [March 25], "If there is one Jew in danger, anywhere in the world, then our mission is unfinished." / ... Gantz (and most Israelis) believe it is the duty of Israel to engage anyone, anywhere, in order to save Jews. Conclusion: Israel does not recognize the sovereignty of other nations; or, at least, sees that sovereignty as imperfect, as it considers its right to violate it in the case of Jews. Conclusion: Israel risks Jews not living there by perpetually raising the specter of Jews holding "dual nationality." ... He explicitly says that Israel owes loyalty to those non-citizens - and implicitly, that they owe loyalty to it.

      Excluir
    2. Netanyahu Isn't The Problem. The Israeli People Are
      Gideon Levy - Haaretz (Israel)

      https://israelpalestinenews.org/levy-netanyahu-isnt-the-problem-the-israeli-people-are/

      ... Simply put, the people are the problem. Netanyahu has voters. There are those who vote for his kind ... There are those who believe they are the chosen people and therefore deserve everything. There are those who think that after the Holocaust, they are permitted to do anything. There are those who believe that Israel is tops in the world in every field, that international law doesn't apply to it, and that no one can tell it what to do. There are those who think Israelis are victims - always victims, the only victims - and that the whole world is against us ... The problem is the atmosphere, the spirit of the times, the values and outlooks that have become ingrained here during decades of Zionism. Netanyahu did not sow them and they will not be uprooted when he goes. Racism and xenophobia are deeply entrenched here, far more deeply than any Netanyahu.

      Excluir
    3. La vem o doutor da meia duzia a envolver-se nas mant(r)as dos outros.😁😁😁😁

      O doc tenho duas perguntas para ti.nao e preciso citares mantras so utilizares o teu cerebro

      1-Os palestinos reconhecem o estado soberano de israel ?

      2- o hamas e fatwa sao movimentos terroristas?

      Pois e doc, quem escolhe para os governar terroristas tem consequencias, se para eles pode ser bom, para os outros nao e. O internacionalismo judaico que tu te fartas de citar sem saber o que e, funciona enquanto os palestinos funcionarem assim, e o eretz israel de hertz vem a caminho

      Esse tal general fundou um partido, esta a fazer politica caseira😂😂😂😂

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Como eu havia colocado duas respostas na mesma postagem e a caixa de texto do blogger e curta, o texto da segunda parte não saiu como eu gostaria, então segue ele como gostaria:

      1ª Parte:

      Israel já foi governada por um membro do Irgun! Grupo terrorista!

      Já falei isso e tu malandramente te fizeste de desentendido.

      Quanto aos palestinos estarem envolvidos em práticas terroristas eu não duvido que excessos deles tenham resultado nisso, contudo, é mais consequência de pressão enorme neles por, agora ei o ponto central, terrorismo deliberado judaico. Haganah, Irgun, e seus antecessores russos. Enfim, esse terrorismo judaico tem antecedentes nos zelotes aí 2000 mil anos atrás, e não é improvável ter antecedentes 4000 mil anos atrás sob as ondas dos habiru.

      Poderia lhe devolver a colocação que fizeste acima: "quem escolhe para os governar terroristas tem consequencias", e a população judaica seria imediatamente culpada nisso, mas é uma questão complicada se vista através da longa história do povo judeu, todavia agora após uma uniformização dos judeus sob o 'mantra' sionista resulta em paulatina formação de uniformidade da população judaica, especialmente em Israel em aderir ao extremismo judaico, justamente o que ocorre conforme o artigo de Gideon Levy - Haaretz (Israel).

      https://israelpalestinenews.org/levy-netanyahu-isnt-the-problem-the-israeli-people-are/

      - - -

      Excluir
    6. Segunda parte:

      Então, quando lhe dei fontes judaicas, já que para ti meu parecer não valia, disseste que ando a me valer de "mant(r)as dos outros".

      Conheces lógica aristotélica hasbará? É diferente da sua lógica de hasbará rsss. Pois bem, na lógica aristotélica temos o 'terceiro excluído', quando não se pode ser opção 'A' e 'B' ao mesmo tempo, porém é onde tu recais muitas vezes.

      Vou desenhar, não para ti, que és malicioso, mas para os outros verem eu me intrometer no front hasbará que seus amos lhe designaram. Isso mesmo, eu me intrometo nisso! Afinal, as questões políticas são em grande parte públicas! Ou não são?

      Vamos admitir uma opção A e uma opção B.

      A opção 'A', no caso, é a de eu emitir meu próprio parecer.

      A opção 'B', no caso, é quando emito o parecer de especialistas.

      No nosso debate, conforme em várias postagens do Sr. Toedter, quando emiti meu parecer, isto é, me vali da opção ‘A’, segundo tu, ela não foi válida, simplesmente por ser meu parecer. Eis a prova nas suas palavras:

      “Moco, voce nao entende nada de politica internacional nem do que escreve, o que tu dizes e citas vale zero sobre o estado de alma que levou o trump [...]”
      https://www.toedter.com.br/2019/03/de-nova-iorque-christchurch.html

      “Isso es tu que dizes moco, queres dizer que o trump e um pau mandado. Pode ser mas e a tua opiniao,que eu ja disse esta contaminada por mico judaico [...]”
      Esta é do mesmo assunto, mas em outro sítio: http://fab29-palavralivre.blogspot.com/2019/04/valores.html

      Me sobrou a opção 'B'.

      Na opção 'B', no caso, é quando emito o parecer de especialistas, recurso que também uso, mas tu denominas isso como "mant(r)as dos outros", isto é claro, quando lhes desmentem.

      Então o que fazes? Tu pedes para mim 'utilizar meu cérebro', o que significa eu formular meu próprio parecer, isto é, significa eu usar a opção A, a qual tu tinhas me censurado, me exortado a não usá-la, tornando-se a opção A se eu for considerar o que me disseste primeiro um procedimento 'inválido', mas que seria agora certa, pois, ao eu expor o parecer de analistas, isto é, me valer da opção 'B', e ela lhe incomodou, ela foi ‘enquadrada’ por ti como um 'mantras dos outros'!

      Chegamos ao terceiro excluído, pois tu colocas algo que é ao mesmo tempo certo e errado se formos nos deter pela lógica aristotélica.

      Eu emitir um parecer seria certo e errado ao mesmo tempo, isso conforme sua conveniência! Rssss

      Vamos refletir, os postulados da opção 'A', os meus, são na realidade fundados não na sua conveniência, mas nos fatos, e não podem como tu queres, serem errados e certos ao mesmo tempo, mudando entre o certo e o errado ao teu gosto, um procedimento que posso admitir ser a lógica hasbará, a qual funciona com ambiguidade, resultando na utilização do terceiro excluído' aristotélico, funcionando como duas coisas contraditórias ao mesmo tempo (e deve ser registrado duas coisas contraditórias não são o mesmo que complementares ao mesmo tempo).

      Seria esse seu procedimento ‘lógico’ de hasbará a lógica talmúdica ou abraâmica?

      Excluir
  8. "Como todas as brigas em paises que sao democraticos, a briga e entre o governo e a sua politica e a oposicao e a sua politica."

    Mais carga sobre o hasbará!

    Que a wikipédia é plataforma judaica é óbvio para quem minimamente apura a apologética judaica nas entradas que envolvem polêmicas na questão judaica.

    Fica a pergunta: Por que não tem a 'tag' supremacismo judaico na entrada 'Ben-Zion Gopstein'?
    https://en.wikipedia.org/wiki/Ben-Zion_Gopstein

    Por muito menos tem logo na primeira linha da wikipedia:

    "David Ernest Duke (born July 1, 1950) is a prominent American 'white supremacist', white nationalist politician, white [..]"

    Patética a wikipédia, e só confirma a falsa oposição judaica, seja em Israel ou no judaísmo internacional, o fato de permitirem seguir em frente um Ben-Zion Gopstein, e ainda com justificativas:

    Jewish supremacist: Burning churches legitimate under Jewish law

    https://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4688289,00.html

    Well well well... puro terrorismo, mas é mais do mesmo, o de sempre, tem de se registrar!

    ResponderExcluir
  9. Russia: US Golan Heights decision ‘colossal strike’

    'The US decision to recognise Israel’s territorial claim to the occupied Syrian Golan Heights is “a colossal strike” at the international legal basis, Russian Foreign Ministry spokeswoman Maria Zakharova said Thursday, Anadolu Agency reports'

    https://www.middleeastmonitor.com/20190404-russia-us-golan-heights-decision-colossal-strike/

    ResponderExcluir

Escreva aqui o SEU pensamento sobre o assunto abordado pela postagem. É dispensável repetir o que já é de domínio público. A indicação de links deve ser acompanhada de breve descrição do conteúdo. Mensagens anônimas, agressões e baixarias NÃO SERÃO PUBLICADAS