30 de março de 2016

HILLARY VEM AÍ?

Muita gente deve estar se perguntando o que estará havendo no circuito mundial. Tudo calmo? Pode até ser que continue morrendo gente adoidado, mas o noticiário internacional aparentemente entrou em férias. Por isso começo hoje com uma foto que pode dar motivo para uma boa reflexão. Representa “refugees”, vindos do oriente, todos com intuito de se domiciliar na Europa:

Observem bem, são sete homens, uma mulher e três crianças pequenas. Enquanto os sete homens estão de mãos abanando, é a mulher que carrega duas crianças e está DESCALÇA! São outros usos e costumes, não são? Vai dar o que, misturar tudo?

Vejamos o que mais seria de se notar nessa aparente calmaria. Por baixo do pano está se dizendo que está acabando o dinheiro do Estado Islâmico, o que não deve agradar ao chefe turco Erdogan. Este, por sua vez, curte uma "esfriada" por parte da presidência dos USA que declinou de um proposto encontro entre ambos. Só a alemã (?) Merkel festeja sua lua de mel com o otomano. Os alemães descobriram agora que o tratado, que os dois acabam de firmar, esconde ainda um artigo que, em caso de redução da atual corrente migratória, obriga a Alemanha a relocar diretamente da Turquia para a RFA centenas de milhares de sírios. Surpreendente a notícia de que a Fundação Rockefeller pretende deixar o mercado de combustíveis fosseis. Também os sauditas estão se incomodando muito com o preço ainda baixo do petróleo.

O Brasil então, este está totalmente em compasso de espera. Pior é que não se consegue vislumbrar uma perspectiva animadora para o futuro, qualquer que seja a solução que encontrem. O filósofo Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770 – 1831) já dizia:
Encontram-se mulheres à testa de um governo, o Estado corre perigo. Isto porque mulheres não agem de acordo com o que a generalidade requer, porém conforme sua casual inclinação e opinião”. “Stehen Frauen an der Spitze der Regierung, so ist der Staat in Gefahr. Denn Frauen handeln nicht nach den Anforderungen der Allgemeinheit,sondern nach zufälliger Neigung und Meinung”.

Pois é, e será que o mundo, não apenas o Estado, vai ter que se haver com a Dona Hillary (esposa daquele da estagiária). O Trump, seu concorrente à presidência dos Estados Unidos, está com boas cartas, mas é odiado pela mídia e duvido que aqueles, que querem a Clinton, deixem de impor sua vontade. Assim como Obama foi festejado como primeiro presidente negro, ela vai ser jubilosamente recebida como primeira presidente mulher. E ela representa toda a tenacidade e violência de um sistema e, no caso da Líbia, já mostrou em 2011 a que veio. Devido às suas maquinações, com apoio logístico americano fez com que a OTAN lançasse 9.700 ataques contra a Líbia, sem distinguir, como de costume, objetivos militares e civis. Estes liberais imperialistas não vão parar.

Obama conseguiu enganar a todos simbolizando “esperança”. Buscou representar o pacifista, nunca foi. Foi a favor da matança no Iraque e no Afeganistão e aprovou secretamente o ataque israelense a Gaza, massacre conhecido como Operação Chumbo Fundido. Hoje tem seus drones espalhando terror e morte pelo mundo.

Está no sangue de certa gente promover o MAL. Eles estão no domínio daquela poderosa nação e agem como afirmou Madeleine Albright, secretária de Estado na gestão liberal de Bill Clinton: “Se tivermos de usar a força é porque somos a América. Nós somos a nação imprescindível. Nós estamos no alto. Olhamos mais para o futuro.”

Madeleine Albright é militante apaixonada da candidatura Hillary Clinton.
Toedter



17 de março de 2016

EUROPA COM PROBLEMAS

Por várias vezes este blog fez referência aos problemas criados pela MIGRAÇÃO INDUZIDA que está ocorrendo na Europa. Com certeza a Alemanha é o país mais atingido e mais visado, mas hoje o leitor é convidado a assistir a este depoimento que nos vem da cidade de Calais na França. (Convém aumentar a imagem para "Tela inteira" ou Full screen)
video

Essa transferência em massa de populações e culturas com destino certo é, como já foi mostrado aqui em dezembro p.p. sob título GUERRA INACABADA, uma operação de guerra planejada, com o silente beneplácito da ONU – Organização das Nações Unidas. Recordo que só recentemente foi revelado o seu estudo denominado “Replacement Migration” (Migração Repositória), elaborado na virada do século. Ele prevê a transferência em massa de africanos e asiáticos para países europeus e outros, incluindo o Japão (o estudo completo pode ser procurado sob ST/ESA/SER A./206). Bom, um estudo destes é para uso interno, atrás dos bastidores. Para uso externo existe a seguinte RESOLUÇÃO mais recente:
Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos das Populações Nativas.
A resolução A / 61 / L.67 e aditivo 1, 61/295, foi aceita pela Assembleia Geral da ONU (sem referência a um Comitê Principal) em 13 de setembro de 2007 como "Declaração das Nações Unidas sobre os direitos dos povos nativos!"
Artigo 8: 1) Os povos nativos e os indivíduos têm o direito de NÃO serem submetidos a uma assimilação forçada ou a destruição de sua cultura. 2) Os Estados devem colocar à disposição um mecanismo eficaz que impeça medidas que possam subtrair aos povos autóctones, como povos distintos, sua integridade e seus valores culturais e identidade. Toda forma de transferência forçada da população que tenha como objetivo ou consequência violar ou contornar esses direitos deve ser impedida pelo Estado. Isto inclui toda forma de assimilação ou integração forçada.
Artigo 9: Os povos ou indivíduos nativos têm o direito de pertencer a um grupo étnico ou nação autóctone.
O texto completo pode ser visto sob:


E o que fez a ONU para impedir ou reverter essa ocupação territorial que acontece na Europa? O mesmo que fez em relação à Palestina. NADA! O mundo está entregue a um poder oculto. Já o disse Getúlio Vargas. A voz do povo e o seu interesse nada mais significam. Acabamos de comprovar isto aqui. No último domingo milhões de brasileiros foram às ruas para dizer que querem um novo governo. Não foi golpe, não foi revolução. Foi tudo pacífico, mas muito claro. Se os mandantes tivessem autonomia – não quero duvidar do seu caráter – teriam deixado o cargo na segunda-feira. O mesmo acontece na Europa. É mais do que evidente que a intransigente MERKEL obedece a ordens. Não se sabe de quem. É o poder oculto. Ficou claro aonde leva a política que ela iniciou – e é inflexível quanto à sua manutenção - de favorecer e incentivar a imigração de incontáveis massas de gente de origem ignorada. Não se pode mais duvidar de que está ocorrendo a REPLACEMENT MIGRATION da qual fala o estudo da ONU e que "subtrairá aos povos autóctones (europeus), como povos distintos, sua integridade e seus valores culturais e identidade", ocorrência que a mesma organização mundial alegadamente quer impedir.


A senhora de Calais, França, que no vídeo nos conta da sua aflição, merece toda a nossa comiseração, mas não esqueçamos: É O MUNDO QUE ESTÁ SENDO MUDADO.

Toedter

8 de março de 2016

MORAL E CÍVICA

Educação Moral e Cívica, qual teria sido o motivo para que se eliminasse essa matéria do currículo escolar? Talvez por que tivessem considerado mais importante a “Educação Sexual” para crianças de nove anos, com todos os detalhes e variantes. Não foi só o MEC brasileiro que eliminou aquela disciplina, aconteceu mundo afora. E depois o mundo mudou. Claro que não foi só porque não se ensinava mais correção, honestidade, integridade na escola. Mas o mundo mudou. Cito dois exemplos:

A esquerda temos o PRESIDENTE da Câmara dos Deputados do Brasil, Eduardo Cunha. Há meses convive tranquilamente com a acusação de ter recebido PROPINAS graças à sua função pública. Fala-se em dezenas de milhões de dólares. Há os que o acusam e os que o defendem. E a diferença entre os míseros reais que ganham os seus eleitores e o resultado da ganância desmedida se dilui no tempo e no espaço.

Na outra foto vemos a VICE-PRESIDENTE do Bundestag alemão, que nada mais é do que a câmara dos deputados da República Federal da Alemanha. Chama-se Claudia Roth, é do Partido Verde. Ela foi vista(*) recentemente participando de uma manifestação de rua da AntiFa, na qual se escandiam em coro os bordões “Deutschland, du mieses Stück Scheisse” (Alemanha, seu mau pedaço de merda) e “Deutschland, verrecke” (Alemanha, morra). - Aqui talvez caiba abrir um parêntese para esclarecimento. AntiFa (AntiFascismo) é uma ONG que atua em toda a Alemanha, colocando seus membros na rua para anular, impedir ou enfrentar manifestações ou reuniões que possam ser consideradas “rechts” (de direita). Consta que é subsidiada pelo governo. - Voltando à deputada, é de se perguntar que povo é este? Que país é este? Um mundo que ensinava Moral e Cívica não era obrigado a assistir a tamanho despudor.

Tudo isto não é despropositado. Tem plano e logística. É desconstrução. Tem um sistema por trás disto e a política se faz de servidora deste sistema. É o sistema que está organizando a Nova Ordem Mundial.

O leitor Marcelo de Porto Alegre, a quem agradeço pelo comentário que fez ao meu último ensaio, achou a matéria interessante, porém muito distante da realidade brasileira. Tenho que discordar. Tudo que acontece hoje no mundo diz respeito também ao Brasil. A tal Nova Ordem Mundial não passaria de uma utopia, não teria qualquer chance de ser entronizada, se tivesse que enfrentar nações verdadeiras, estados organizados, povos saudáveis, gente satisfeita com o status quo. Para chegar ao seu objetivo tem que acabar com tudo isso, tem que criar o caos. Então o que está se observando nos últimos cem anos é uma sistemática desnacionalização dos países, desestruturação da sociedade, fragilização das economias e, paralelamente, a desestabilização dos estados. O processo mais recente começou com as duas guerras mundiais, que na realidade foi uma só. Culmina agora com o fim da Europa, ou dos seus povos, que já é previsível. Na África e no Oriente Médio alcançaram todos os objetivos definidos concomitantemente ao Onze de Setembro.

Perguntar-se-á sobre Rússia, China e todo aquele Leste asiático. Não deve estar fora do planejamento e o mesmo acontece com a América do Sul. Não precisa ser hoje, nem amanhã. O que torna difícil reconhecer que está havendo um projeto em execução é o espaço de tempo que abrange. É possível encontrar indícios de que até a Revolução Francesa, que aconteceu há 226 anos, já tenha sido parte do programado. Mas é indiscutível que os motivos que foram apresentados para desencadear todas as carnificinas, todas as destruições que têm ocorrido, não eram realmente plausíveis. Portanto a verdadeira razão foi outra. Roguemos para que este sistema, que aí está agindo, sofra alguma interferência e que seus planos sejam abortados antes que chegue ao nosso país. É preciso que o dissenso político, atualmente aqui em estado crítico, chegue rapidamente a uma solução. Como está é um convite para que alguém mande uma tropa de mercenários para se juntarem a um ou outro lado. Aí a coisa desanda…

Conscientes e unidos, menos atentos aos smartphones e mais aos interesses da nação, ignorando provocações deletérias que a mídia vendida vem nos impingindo, talvez nos seja dado poder enfrentar com honra os males que o futuro possa estar nos reservando. Moral, civismo e bons costumes não fazem mal a ninguém.
Toedter
(*) - Bayernkurier – 4.12.2016