20 de fevereiro de 2018

VIDENTE ou BEM INFORMADO?

Com toda certeza a matéria aqui apresentada dá o que pensar. Foi escrita há mais de 100 anos. É extraída e traduzida do livro “Nach der Flut”- (Depois da Maré) – editado em 1918, escrito por WALTHER RATHENAU.

 Walther Rathenau, 1867-1922, judeu, filho do fundador da AEG (Empresa Geral de Eletricidade) Berlim, a partir de 1922 Ministro do Exterior da República Alemã de Weimar. Durante a I.Guerra Mundial dirigiu a economia de guerra alemã.


Era sabedor, um informado! As palavras reproduzidas abaixo, escritas por ele há mais de cem anos, mais parecem um grito de desespero, mas não deixam dúvidas de que a morte do povo alemão e dos povos europeus vem de ser resultado de um plano de há muito tempo elaborado e inexoravelmente perseguido e realizado.

Em seu livro Nach der Flut (Após a maré) - Dezembro 1918 - Rathenau escreveu:
"A maioria ainda não sabe do seu destino. Não sabe que eles e seus filhos são sacrificados. Também os povos da terra ainda não sabem que está se tratando da existência de um povo humano. Talvez nem aqueles com os quais lutamos saibam. Alguns falam: justiça. Outros dizem: represália. Também existem aqueles que alegam: vingança. Sabem eles que o que chamam justiça, represália, vingança, é assassinato?

Nós, que seguimos o nosso destino, mudos, não cegos, mais uma vez elevamos a nossa voz, para que o mundo ouça nosso libelo: Aos povos deste mundo, aos que foram neutros e aos amigos, aos estados livres em ultramar, aos estados jovens que surgiram recentemente, às nações até aqui inimigas, aos povos que hoje são e aos que virão depois, gritamos em profunda e solene dor, na melancolia do partir e em ardoroso lamento gravamos estas palavras em suas almas: estamos sendo exterminados.

A Alemanha tem seu corpo e mente extintos. Milhões de alemães são tangidos ao sofrimento e à morte, ao desabrigo e ao desterro, à escravidão e ao desespero. O lume de um dos povos espirituais da terra se apaga. Suas mães, seus filhos, seus filhos por nascer são mortalmente alvejados. Nós (você), sabendo e vendo tudo, somos aniquilados pelos que sabem e veem tudo. Não como acontecia com os povos da antiguidade, ignorantes e embotados, levados ao banimento e à escravidão. Também não por idólatras fanáticos que acreditam que estão glorificando algum Moloque. Nós somos aniquilados por povos fraternos do sangue europeu, que professam a Deus e a Cristo, cuja vida e constituição são baseadas na moral, que invocam a humanitarismo, o cavalheirismo e a civilização, que choram por sangue derramado, que apregoam a paz da justiça e a Liga das Nações, que são responsáveis pela orbe terrestre. Ai de quem e de sua alma, que se atreva a chamar esse tribunal do sangue de justiça. Tenham coragem, falem abertamente, chamem pelo nome: é vingança.

Mas eu pergunto a vocês, pessoas pensantes de todas as nações, clérigos de todas as confissões e estudiosos, estadistas e artistas; pergunto a vocês, trabalhadores, proletários, cidadãos de todas as nações; pergunto a você, venerável pai e supremo senhor da Igreja Católica, a ti pergunto em nome de Deus: pode um povo da terra ser destruído por seus irmãos, tendo por causa a vingança, mesmo que fosse o último e mais miserável de todos os povos? Pode um povo vivo de pessoas espirituais, europeias, com seus filhos e filhos por nascer, ser privado de sua existência mental e física, condenado ao trabalho serviçal, ser riscado do círculo dos vivos?
Se essa monstruosidade acontece, perante a qual a mais terrível de todas as guerras fora apenas um prelúdio, então o mundo deve saber o que está acontecendo, deixe-o saber o que estão prestes a fazer. Nunca deve lhe ser permitido dizer: não sabíamos, não queríamos. Tem que falar perante Deus e com responsabilidade diante à eternidade clara e friamente: nós o sabemos e nós o queremos ". (Rathenau, "After the Flood", 1918, p.66-68)

Permitam que se chame atenção para:
a) – Rathenau era judeu.
b) – Há 100 anos não havia “nazismo”.
c) – Rathenau foi assassinado em 1922, dois meses depois de ter assinado, em nome da Alemanha, o TRATADO DE RAPALO com a nova República Soviética.


Parece que ouço alguém dizer: “é complicado”.

19 comentários:

  1. A agenda talmudista é tão cruenta e inexorável também contra o Cristianismo. Adolphe Cremieux foi um dos exortadores disto.

    http://fab29-palavralivre.blogspot.com.br/2014/03/exortacoes.html

    ResponderExcluir
  2. O que Rathenau não diz, assim como o texto do link abaixo também não diz, é que são os títeres que se disfarçam de "interesses anglo-saxónicos":

    http://robertsteuckers.blogspot.com.br/2014/05/o-tratado-de-rapallo-e-suas.html

    A destruição da Europa e do povo branco (ou caucasiano) passa necessariamente pela Alemanha. A Alemanha é uma espécie de Termópilas, se o inimigo vencer ali, vence o resto, escancaram-se os caminhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vencer? Tão deitando e rolando... Já disseram que não haverá mais movimentos populares até o retorno à enteléquia... Agora é cada um por si pra escapar do game.

      Excluir
  3. "os títeres que se disfarçam de "interesses anglo-saxónicos":

    Que palermice, rathenau o que tentou fazer e ate de certo modo conseguiu foi tentar superar os condicionalismos do tratado de versailhes e virar-se para um inimigo desses mesmos protagonistas de versailhes ao ser o primeiro pais a reconhecer a recem nacao comunista firmando um pacto economico com ela, rathenau temia o isolamento da alemanha pos tratado de versailhes e este tratado de rapallo foi uma resposta a tal tratado, quem foi aos arames foi o primeiro-ministro britanico, lloyd george, qque ficou furioso, e a delegacao francesa ameacou abandonar antecipadamente o encontro. a indignacao geral so se acalmou quando foi revelado que o tratado não continha clausulas secretas. rapallo representou a cooperacao de dois países desfavorecidos, que formaram um contrapeso para voltar à comunidade das nacoes.os aliados viram nisso pela,alemanha como uma traicao ao ocidente,o primeiro pais a reconhcer uma nacao comunista, Isso teve continuidade com o tratado assinado com a uniao sovietica em abril de 1926, pelo ministro alemao dos negocios estrangeiros gustav stresemann e durou ate 1934, quando hitler inverteu, por assim dizer, os princípios da política externa alema, opondo-se a URSS. E logico que neo nazis fiquem toldados pela sua ideologia e nao vejam o essencial, como a politica de rathenau para superar o isolacionismo da alemanha pos versailhes arranjar outro mercado de materias primas e fornecimento tecnologico contornando o tratado de versailhes, isso levou os nacionalistas fanaticos ao seu assassinato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse hasbarah é um malandro...

      A realidade é que tínhamos uma manobra do judaísmo internacional, ou seja, a formação do "Eixo comunista Moscou-Berlim", por isso judeus abundando nas tomadas de decisões URSS e na Alemanha de Weimar.

      Tal tratado foi um dos canais de transferência tecnológica do Ocidente para a URSS! Ao mesmo tempo o país mais comunista do mundo, fora da URSS, era a Alemanha... O quadro era então:

      1 URSS aprimorando tecnologia e recursos (também Lenin fez negociações com o judeu Armand Hammer dos EUA, aproximando a URSS da tecnologia ocidental) e formando o maior exército do Mundo.

      2 A Alemanha de Weimar caia para o comunismo mais e mais.

      3 A iminência da formação do Eixo comunista Moscou-Berlim.

      4 A países do leste Europeu sendo engolidos pelo Eixo comunista Moscou-Berlim.

      5 Simultaneamente o "fabianismo" promovia ininterruptamente o desarmamento no Ocidente, para o "rolo-compressor" URSS-Alemanha tomar o poder, na Europa Ocidental e EUA, ambos impregnados de Fabianismo!

      Mas algo deu "errado" na Alemanha e a coisa não seguiu assim...

      É melhor parar com essa "palermice" hasbarah, por cá no Brasil já temos muitos inúteis borrando a História, como Leandro Karnal e Jayme Pinsky...

      Excluir
    2. Ate que nao estava mal mas para isso tinhas que abandonar a palermice novamente e conhecer o pensamento de rathenau e a filosofia politica que estava subjacente ao tratado de rapallo, ele mesmo o expressou onde so se realcava a cooperacao economica e politica com vista a superar as obstrucoes do tratado de versailhes.e nao e que no inicio o proprio nazismo colaborou nessa posicao com a urss e tambem fez um tratado pre guerra,

      Mas dizia rathenau

      "Nós não podemos usar os métodos da Rússia, pois eles apenas provam que a economia de uma nação agrária pode ser arrasada; os pensamentos da Rússia não são os nossos. Eles são, como está no espírito da elite intelectual urbana russa, não filosóficos, e altamente dialéticos; eles são lógica apaixonada, baseadas em suposições não verificadas. Eles assumem que um único bem, que é a destruição da classe capitalista, pesa mais que todos os outros bens, e que pobreza, ditadura, terror e a queda da civilização devem ser aceitos para assegurar aquele único bem."
      "Se dez milhões de pessoas tiverem que morrer para livrar outras dez milhões da burguesia, então esta será uma conseqüência dura porém necessária. A idéia russa é felicidade compulsória, no mesmo sentido e com a mesma lógica da introdução compulsória da Cristianismo e da Inquisição."

      Na sua kritik der dreifachen revolutionele demonstra o seu cepticismo e discordancia da revolucao sovietica, mas um neonazi nao chega la e prefere teorias conspirativas porque sao isso mesmo teorias sem provas, por isso uns fanaticos nacionalistas pensaram o mesmo e assassinaram-no, Q.E.D.

      Excluir
    3. Aqui há o engodo:

      "(...) mas um neonazi nao chega la e prefere teorias conspirativas porque sao isso mesmo teorias sem provas (...)"

      Não é porque não se vê o flagrante de alguém imprimindo uma pegada no solo, que quer dizer que a pegada ocorreu sem alguém que a fizesse, que ocorreu por acaso.

      Vou refrescar tua memória hasbarah! A própria função do Hasbarah é fazer boa imagem e tentar limpar os questionamentos sobre o judaísmo internacional, e até hoje não houve uma formulação melhor para os judeus estarem nos postos de poder que não o acaso, o que só um imbecil leva a sério.

      Tanto é que no contexto de Versalhes, no "Tratado da Paz" tivemos um membro da família judaica Warburg no lado das potencias centrais e outro membro da mesma família no lado da Entente! E associações de hasbarah como a ADL quer que as pessoas pensem que isso é coincidência, sem que os Warburgs gerenciassem qualquer interesse para os judeus em detrimento de um ou outro lado ao qual os membros desta família representavam respectivamente.

      O próprio presidente da ADL (liga anti-difamação judaica) reiterou que quando judeus abundam num ambiente não é algo premeditado, é algo casual, nada melhor foi apresentado até agora eheheheh nem o "Sir" Karl Popper, charlatão judeu, superou isso, ele até cunhou o clichê "Teoria da Conspiração" para tergiversar os questionamentos assim, como a dos judeus estarem nos postos importantes, por mera coincidência...

      Daí a necessidade da censura para sustentar as fraudes judaicas, e daí o porquê usurários subornam comissões e bancadas parlamentares para criarem leis esdruxulas de censura ao criticismo e questionamento ao judaísmo internacional.

      Criticismo legitimo sobre qualquer grupo que atua na política, mas menos para o "povo eleito" eheheheh

      Excluir
    4. "tivemos um membro da família judaica Warburg no lado das potencias centrais"

      Kkkkkkkkk

      Pois e a palermice e evidente, as potencias centrais nao foram tidas nem achadas, mas parabquem nao sabe tudo e informacao, eu tenho um livro para ti de quem viveu os bastidores do tratado de versailhes e todas as quesilias diplomaticas.

      http://www.bonslivrosparaler.com.br/livros/resenhas/o-tratado-de-versalhes-a-paz-depois-da-primeira-guerra-mundial/4205


      Algumas transcricoes

      "Os representantes da Alemanha e de outras nações derrotadas não foram autorizados a sentar-se na mesa da Conferência, assim como a União Soviética, por ter feito um acordo separado em 1917, o famoso acordo de Brest-Litovski. O presidente Woodrow Wilson dos Estados Unidos, o primeiro-ministro Lloyd George da Grã-Bretanha, Georges Clemenceau da França e o primeiro-ministro Vittorio Orlando da Itália dominaram a Conferência. Vocês verão no livro o programa de paz mundial que se formava com base nos Quatorze Pontos, nos Quatro Princípios e nos Cinco Detalhamentos."


      "Esse tratado garantia que a Alemanha não seria desmembrada ou punida, mas sim que manteria intactos a sua integridade e o seu poder. O armistício foi aceito, tendo como base os Quatorze Pontos e mais uma compensação por danos de guerra aos países diretamente envolvidos. Os alemães concordaram em deixar as armas nessas condições.

      No entanto, o que os alemães e os austríacos não sabiam era que o enviado especial de Woodrow Wilson, o coronel House, representante dos Estados Unidos no “Conselho de Guerra Aliado”, havia feito uma reunião secreta com Clemenceau e Lloyd George e transmitira um comunicado telegrafado, sob forma de “comentário”, para o presidente Wilson em Washington, jamais comunicado aos alemães e austríacos. Nesse comunicado, tiravam todas as vantagens dos pontos anteriormente aprovados, que incluíam o desmembramento da Áustria e Hungria, a perda das colônias alemãs, a separação da Prússia por um corredor polonês e mais as reparações. O tratado não foi baseado na premissa da “culpa de guerra”, mas girava em torno do princípio de “recompensas” aos vitoriosos e castigo aos vencidos.

      Outro ponto abordado por Harold Nicolson foi a catástrofe da desorganização. Não havia nada estruturado. Apenas um comportamento antigermânico que predominava em todo o processo, tanto na substância como na forma. No começo, pensava-se que o Tratado de Paz seria estabelecido pelos aliados entre si e que depois os alemães e seus parceiros apareceriam para negociá-lo. Pois fora exatamente assim que acontecera no Congresso de Viena."

      "Quando finalmente foi permitida a chegada dos Alemães a Paris, descobriram que não negociariam a paz, mas que ela seria imposta. Tendo já concordado com o armistício, tudo agora não passava de um grande embuste. O comportamento de Clemanceau, que insistiu numa punição mais severa aos alemães, era, na verdade, uma pequena vingança à guerra de Bismarck, que humilhara a França em 1871 na famosa guerra franco-prussiana."


      E agoara Vai estudar rapaz.

      Excluir
    5. Quanto as alegadas "teorias da conspiração" acho que o que disse basta. Régua passada nisso.

      Mas achas que intermediações dos Warburgs em ambos os lados, se tu não conhecias isso agrava mais ainda teu lado, são meras coincidências?

      E mais uma vez atuas como agente hasbarah e não como agente da busca pela verdade.

      Vou lhe "refrescar" a goela:

      “De todas as coletividades cujos interesses foram promovidos na Conferência, os judeus tinham, talvez a mais engenhosa e certamente os mais influentes expoentes. Lá estavam judeus da Palestina, da Polônia, Rússia, Ucrânia, Romênia, Grécia, Grã-Bretanha, Holanda e Bélgica; mas o maior e mais brilhante contingente foi mandado pelos Estados Unidos."


      Emile Joseph Dillon, The Inside Story of The Peace Conference, editora HARPER & BROTHERS PUBLISHERS – NEW YORK AND LONDON, 1920, pág. 12.

      “Pode parecer surpreendente para alguns leitores, mas não é menos que um fato que um considerável número de delegados [representantes das nações participantes da Conferência da Paz] acreditavam que as reais influências por trás dos povos anglo-saxões eram semitas” .

      Emile Joseph Dillon, The Inside Story of The Peace Conference, editora HARPER & BROTHERS PUBLISHERS – NEW YORK AND LONDON, 1920, pág. 496.

      E com uma articulação, uma força, chamada pelo nazismo de Judaísmo Internacional, se intromete na política mundial... só tolos acham que isso é coincidência!

      És ingênuo se achas que não estou em prontidão contra mentiras de hasbarhas!

      Excluir
  4. Pois é... já são 100 anos de extermínio, a morte do povo europeu será lenta e dolorosa. Ainda restam ilhas como Hungria e Polônia, mas não vai demorar, vão extermina-los pela guerra se necessário.

    ResponderExcluir
  5. https://www.youtube.com/watch?v=XlhAVPHfJUg President Roosevelt's Record of Lies and Lawlessness in the `Good War'


    https://hollowhoax.wordpress.com/2017/10/05/zionist-claims-of-holocaust-unfounded/

    ResponderExcluir
  6. A destruição da Alemanha significa a extinção dos povos Caucasianos e determina o fim realmente da civilização Grego-Romana.

    Mas eu acredito que isso não vai acontecer, tenho que acredita?!...a guerra continua..

    ResponderExcluir
  7. Onde posso ver o documentario " a noite caira" em ingles "night will fall" alguem sabe??:-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Jewllywood, por que?! Mas tenho outra sugestão mais realista, menos fantasiosa para você. Veja "In the Shadow of Hermes", mostra o crime dos judeus terem assassinado mais de 40 milhões de europeus, e está tudo bem documentadinho.

      Excluir
    2. Julgo que entendeste, eu quero ver esse.
      Onde posso ver o documentario " a noite caira" em ingles "night will fall" alguem sabe??:-) tu nao sabes rapaz :-(

      Excluir
    3. E entao talvez alguem mais sabedor me possa esclarecer onde posso ver em jewllywood " o homem decente" atencao nao confundir com indecente, :-)

      Excluir
    4. "mostra o crime dos judeus terem assassinado mais de 40 milhões de europeus, e está tudo bem documentadinho."

      Nao me digas andas a ler os livros negros das ditaduras. La nisso estatisticamente ainda estao imbativeis. Comunismo fascismo nazismo. Kkkk tantos ismos. Estes tambem responderan com um livro do capitalismo,mas esse dizem que matou indirectamente. Kkkk sempre somos mais simpaticos para quem se porta mal.por isso gostam tanto de nos eheheh

      Excluir
  8. "A realidade é que tínhamos uma manobra do judaísmo internacional, ou seja, a formação do "Eixo comunista Moscou-Berlim", por isso judeus abundando nas tomadas de decisões URSS e na Alemanha de Weimar."

    bem ha aqui um rapaz com coisas na cabeca a falar que na alemanha nos anos 20/30 era tudo comunista, ate tem razao,se ha um grupo que colaborou mais com os nazis / fascistas, como nenhum outro, foi a turma dos comunistas,a alemanha de weimar tinha solidas relacoes diplomaticas com a uniao soviética desde 1919 que usou para fazer pressao sobre os aliados para tentar renegociar as indemnizacoes, ate redundar com o famoso tratado de rapallo, de 1922, em que o reichwehr, o exercito alemao, nao somente treinaria suas tropas em territorio sovietico, como as indústrias belicas alemas produziriam as armas na rússia. nas eleicoes de 1932, o partido comunista alemao tacitamente apoiou o partido nazista, recusando-se a apoiar os sociais democratas e isolando-os politicamente, garantindo plena maioria aos nazistas nas cadeiras do reichstag. Um ano depois, hitler, que ate entao se dizia anticomunista, nao somente manteve os lacos com a uniao sovietica, como fortaleceu esses vínculos, enviando adidos militares alemaes para inspecionar o esforco militar . a gestapo, a famosa polícia política nazista, teve solidas relacoes de amizade e mesmo de orientação do nkvd soviética. no grande terror de 1936, quando estalin expurgou milhoes de militantes do partido comunista, o nkvd capturou e entregou varios comunistas alemaes, entre os quais, muitos judeus, para a gestapo como o caso mais famoso foi do casal buber-neuman. heinrich e margareth buber-neumann eram militantes do partido comunista alemao, na epoca da republica de weimar. foragidos na uniao sovietica, depois da ascensão do nazismo, heinrich foi acusado de ser espiao alemao e executado em 1937. proezas do nkvd um judeu transformado em espião nazista, sua esposa, margareth, foi enviada para o famoso arquipelago gulag, o temível sistema de campos de concentração sovieticos. depois do pacto ribentropp-molotov, o nkvd, por camaradagem, entregou a comunista judia alema para as autoridades nazistas e ela foi enviada a um campo de concentração nazista, ravensbruck. coincidentemente, ravensbrück foi a morada de sua amiga, a comunista olga benario prestes. margareth buber-neumann sobreviveu para contar o horror de ter vivido em dois sistemas concentracionários muito bem amiguinhos e solidários.

    e e assim rapaz amigos e inimigos mas sempre ditaduras, sao so factos, aprende que eu nao duro sempre. vai la estudar vai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade que nazis tinham esperanças de que com Stalin, após a queda de Trotsky, o sovietismo fosse se desjudaizar, isso até ocorreu em parte, mas depois Stalin foi engolido pelo próprio judaísmo na chamada "conspiração" dos aventais.

      Ademais é inegável a transferência de tecnologia ocidental para a URSS ter suas mais de 500 divisões militares, em grande parte motorizadas. E tal implementação tecnológica foi viabilizada com acordos na República de Weimar, algo que Hitler, anti-bolchevique, rompeu!

      Depois foi a vez do ocidente judaizado (EUA, Inglaterra e França) apoiar o leste judaizado (URSS), contra o único lugar não judaizado (III Reich), fica claro essa coordenação, e há imbecis dizendo que esquerda e direita são inimigas... foram totalmente solidárias contra os nacionalismos!

      Excluir

Escreva aqui o SEU pensamento sobre o assunto. É dispensável repetir o que já é de domínio público. A indicação de links deve ser acompanhada de breve descrição do conteúdo. Mensagens anônimas não são bem-vindas, agressões e baixarias não serão publicadas.