14 de novembro de 2017

MUDANDO O QUE DEUS CRIOU

Lá a três anos atrás eu postei aqui uma matéria com este título. Já a removi e hoje faz parte do meu livro “Pobre Mundo Novo”. Mas é mesmo o que de mais dramático está acontecendo agora neste pobre mundo. Falam tanto em CLIMA, em SALVAR A NATUREZA, em CO2 e os quibau, mas sobre isso os noticiários se calam, comentários não existem.

Será que esqueceram que a espécie humana faz parte da natureza e que quem a criou, Deus, ou quem, ou o que quer que você acredite, o fez sob critério supremo, com sapiência absoluta, inquestionável, muito menos discutível! Assim a vida, seja a da fauna, seja a da flora recebeu o seu lugar onde viver. Certas espécies só vivem em certas regiões do mundo.

Colocamos as árvores NATIVAS sob proteção, preocupados com a preservação do nosso verde. É que plantas que não são nativas não vicejam em qualquer lugar.

Nós, a espécie homem, também nos originamos NATIVOS em diversas regiões do planeta. São populações que se diferenciam pela cor da pele, pela estatura, pelas habilidades. Criaram costumes diversos e diferente também foi o seu desenvolvimento. Deve haver uma razão natural, ou superior para isso.

Então é de se perguntar qual a razão desse absurdo processo de mestiçagem étnica que está em andamento a toque de caixa e, disparate ainda maior, não encontrando resistência. Os povos vítimas parecem coelhos paralisados pelo olhar da cobra. As explicações das autoridades transbordam de fajutices. Acolhimento de refugiados, humanitarismo! Humano teria sido não envolver em guerras e destruir um país atrás do outro. A ordem agora seria reconstruir e não causar mais miséria e destruição. Não nos iludamos, o que está ocorrendo na Europa vai acabar em sangue e pobreza.

Estou cada dia mais convencido de que isto tudo vem sendo planejado de longa data. Coudenhouve-Kalergi talvez tenha sido apenas uma etapa.

Os europeus geralmente têm sido vistos como exploradores das riquezas naturais dos outros continentes. Mas, pensando melhor, eles também levaram alguma forma de desenvolvimento para as suas colônias. Penso agora especialmente nas africanas. Sim, não se discute aqui o descalabro da escravatura, entretanto superada esta fase aconteceu automaticamente a transferência de conhecimentos, tecnologia, organização, enfim os colonizadores tinham interesse em adequar suas “filiais” ao seu modo de vida.
Certo, houve rebeliões – muitas vezes incentivadas por concorrentes – e correu também muito sangue. Confesso que não estou familiarizado com a história do período da África colonial. Mas, imagino eu, seria natural que se desenvolvesse alguma forma de progresso geral.

De repente, na primeira metade do século passado, como que orquestrado, houve uma descolonização geral, toda África teve que voltar a andar com as próprias pernas. África do Sul demorou um pouco mais. Será que estavam preparados?

Entre os estados mediterrâneos, a Líbia aproveitou bem a chance, tornou-se um país próspero e rico. Por isso mesmo foi inclementemente bombardeada e mandada de volta aos tempos de antanho. O continente está cheio de problemas. Teria sido esse o propósito do abandono quase coordenado das colônias? Lá impera a penúria, quando não a fome propriamente dita. Formou-se um exército de refugiados, disponível para participar da invasão do continente europeu e consequente extermínio da população NATIVA.

Este blog já apresentou várias matérias a respeito do assunto e que podem ser consultadas no arquivo ao lado sob:
MERKEL COMETE ALTA TRAIÇÃO - Setembro 2015
EUROPA INVADIDA - Outubro 2015
O MAIOR GENOCÍDIO DA HISTÓRIA - Fevereiro 2016

EUROPA COM PROBLEMAS - Março 2016

6 comentários:

  1. "(...) o fez sob critério supremo, com sapiência absoluta, inquestionável, muito menos discutível!"

    Sr. Toedter, com todo respeito, foi o senhor que escreveu isso? O sr acredita nisso?

    ResponderExcluir
  2. "Este blog já apresentou várias matérias a respeito do assunto e que podem ser consultadas no arquivo ao lado"

    e nada como a realidade para desfazer historinhas.

    MERKEL COMETE ALTA TRAIÇÃO - Setembro 2015

    e desde entao em 2017

    Merkel ganha eleições na Alemanha com 32,9% dos votos, 2017

    http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/merkel-ganha-eleicoes-na-alemanha-com-329-dos-votos-212423


    EUROPA INVADIDA - Outubro 2015

    e desde entao, I. S. I. S. acabado e

    Refugiados iniciam o caminho de volta para casa 2017

    https://brasil.elpais.com/brasil/2017/10/24/internacional/1508861396_484669.html


    O MAIOR GENOCÍDIO DA HISTÓRIA - Fevereiro 2016

    na europa sim foi

    Holocausto – 1942-1945

    https://top10mais.org/top-10-genocidios-mais-brutais-da-historia/


    EUROPA COM PROBLEMAS - Março 2016

    casa onde nao ha pao todos ralham e ninguem tem razao, mas desde entao.

    Comissão Europeia melhora previsões de crescimento para a Zona Euro 2017

    http://www.jornaldenegocios.pt/economia/europa/uniao-europeia/detalhe/comissao-europeia-melhora-previsoes-de-crescimento-para-a-zona-euro.

    e a vida habituem-se.

    ResponderExcluir
  3. "Confesso que não estou familiarizado com a história do período da África colonial."

    ora e a mesma historia de outros locais, os mais poderosos e desenvolvidos apoderam-se do que outros la tem e possivelmente nao usam ou dao valor, os espanhois dizimaram incas para lhe tirar riqueza que para eles nao tinha valor, os americanos fizeram o mesmo aos indios por causa de ouro e terras, e por isso a ocupacao de africa resultou numa primeira fase de reinvindicacao historica, os primeiros que tinham la chegado , nao era necessario a posse efectiva a ocupacao populacional territorial, mas isto veio a ser posto em causa na conferencia de berlim no seculo xix em que se exigia a posse efectiva populacional e meios de defesa, começou entao a epoca colonial com cidadaos a serem enviados para ai como colonos, antes so os degredados, alias foi assim que nasceu a australia. este periodo durou ate a segunda guerra mundial em que no ano de 1941, a inglaterra e os estados unidos aprovaram a carta do atlantico, na qual constava o princípio de autodeterminacao dos povos, alem das diretrizes a serem seguidas pelas nacoes no pos-guerra e definicao de diversos princípios, os países que formavam o bloco dos aliados tambem concordaram com o conteudo da mesma carta. no ano de 1945, vinte e seis nacoes ratificaram as diretrizes ao assinarem a declaração das nacoes unidas. de acordo com o conceito da autodeterminação, entre os anos de 1946 e 1960, povos de trinta e sete países novos tornaram-se livres da categoria de colonias no continente asiatico, no medio oriente e na africa. mas tambem aqui se estendeu a guerra fria, com cada bloco saido do pos guerra a apoiar os seus movimentos independentistas, e portugal foi afectado com esta declaracao de principios de autodeterminacao dos povos, pois a sua constituicao e leis falavam em colonias, para resolver o problema legalmente mudou-se as leis e passou-se a falar em provincias ultramarinas, semelhantes a divisao adminstrativa que havia em portugal continental, estas eram igauis embora separadas fisicamente. teve conflitos os eua nao apoiavam mas a coisa la foi rolando ate ao impossivel. e claro que os colonizadores criaram riqueza transformada nas colonias pontes estrdas barragens cidades etcetc, mas nunca a pensar nos originais nativos que sempre eram postos a margem e assumiam outra cidadania. muitas das materias primas vinham das colonias alimentavam as fabricas europeias e os produtos voltavam depois a africa, era uma altura em que os paises tinham grandes marinhas mercantes.

    ResponderExcluir
  4. A Libia servia de escudo contra os imigrantes da africa, por isso eles a destruiram(alem do petróleo libio tambem,lógico). Só não ve quem não quer(ou os golems de sião), é tudo muito claro, o plano é mestiçar a Europa. Mais muitos europeus estão lutando e enfrentando a repressão dos governos escravos de judeus da Europa. Vejam blocco studentesco, hogar social madrid, nordic resistance movement e outros, e tantos alemães que estão presos por denunciar os vermes sionistas.

    ResponderExcluir

  5. "Será que esqueceram que a espécie humana faz parte da natureza e que quem a criou, Deus, ou quem, ou o que quer que você acredite, o fez sob critério supremo, com sapiência absoluta, inquestionável, muito menos discutível! Assim a vida, seja a da fauna, seja a da flora recebeu o seu lugar onde viver. Certas espécies só vivem em certas regiões do mundo."

    caramba que resmas de sabedoria, baseada no naturalismo e jusnaturalismo,pena que se desconheca que o animal homem supera isso e nao esta, ( salvo excepcoes catastroficas sob o jugo da natureza, por isso o erro crasso, )mas molda-a, cria e modifica o meio onde vive, adapta-se a ele e por isso e o unico animal que vive em quase todo planeta.e socializavel criou regras de etica e moral de certo modo universais ao contrario dos outros animais que vivem em estado de natureza, muitos gostariam que se aplicasse o darwinismo social aos seres humanos, mas ser humano e precisamente contrariar a animalidade da natureza humana

    ResponderExcluir
  6. Realmente estamos vivendo em tempos difíceis, o mundo acabou depois da queda do Terceiro Reich, aqueles que comandam o mundo não estão interessados em preservarem a vida humana, natureza e muito menos preservarem os valores tradicionais de cada povo, o mundo deveria está como Todo-Poderoso criou e preserva toda sua existência. Hitler deixou bem claro que se a Alemanha perdesse a guerra os judeus e toda elite não iriam ter piedade do povo alemão e muito menos da humanidade. Admiro muito Hitler, ele era um homem perfeito para liderar a humanidade e todos deveriam seguir seu exemplo de carácter, ele tinha bons planos, mais infelizmente não deu certo e hoje é difamado, porém, ele veio como profeta para mostrar quem são os verdadeiros inimigos da existência humana.

    ResponderExcluir

Escreva aqui o SEU pensamento sobre o assunto. É dispensável repetir o que já é de domínio público. A indicação de links deve ser acompanhada de breve descrição do conteúdo. Mensagens anônimas não são bem-vindas, agressões e baixarias não serão publicadas.