17 de maio de 2017

O COMUNISMO ESTÁ VIVO!

A cada dia se confirma esta tese. A da existência de duas vertentes de forças que pretendem o domínio da população mundial. E a competição entre elas está declarada. Ou não seria isso o que estamos assistindo diariamente através das notícias que nos são servidas sobre a política doméstica americana?

A eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos abriu o jogo. Hoje é possível reconhecer que os vencidos nas urnas desta vez não são apenas um partido doméstico, que sofreu uma derrota normal, que na próxima eleição pode ser revertida. Não é tão simples assim. Quem perdeu essas eleições é todo um sistema, que já fincara o pé em várias regiões do mundo e as domina politica e opinativamente.

O fato de Trump ter sido eleito certamente não se deve a sua performance pessoal. Deve ser uma força ponderável que o levou ao posto e está conseguindo lá mantê-lo, a despeito dos contínuos ataques e acusações que ele vem sofrendo. Acusações estas, por mais absurdas que sejam, vêm sendo endossadas através de serviços de notícias e políticos daqui e dacolá. Ou não seria um disparate querer proibir a um presidente de uma nação, avisar dirigentes de outro país, de que fora informado (por serviço secreto) da intenção de terroristas de derrubar aviões através de bombas escondidas em notebooks. Salvar vidas é alta traição? Ou o outro pecado capital que estão lhe atribuindo, é o de ter pedido ao chefe do FBI que abandone determinada linha de investigação. Então um presidente não pode dar ordens ao seu subalterno? E esse chefe do FBI, demitido, foi se queixar para quem?

Não esperem deste velho blogueiro que ele seja capaz de “dar aqui a ficha”, das forças envolvidas. Com certeza uma delas é a nossa velha conhecida, a dos COMUNISTAS. São os que dizem que querem a redenção do trabalhador, do proletariado, e combatem o CAPITALISMO. Sob essa bandeira e com apoio da União Soviética, essa frente conseguiu estabelecer suas cabeças de ponte mundo afora e ocupar espaços.

É um assunto complexo ao extremo. Organizações secretas, casas reais, grupos eclesiásticos também estão envolvidos, ou com uma, ou com outra frente.

Os Estados Unidos foram alvo especial dos comunistas. Já em 1950 o general, mais tarde senador, Joseph McCarthy notabilizou-se por sua guerra pessoal ao comunismo e em 1958 Cleon Skousen, ex agente do FBI, publicou o livro THE NAKED COMMUNIST, no qual revela as 45 METAS DO COMUNISMO. Posteriormente foram registradas nas atas do Congresso americano. Reproduzo a seguir parte destas metas, da qual se pode dizer que já foi alcançada e não só nos Estados Unidos.

Communist Goals (1963) Congressional Record--Appendix, pp. A34-A35 January 10, 1963

4. Permitir o livre comércio entre as nações, sem que importe sua filiação comunista ou que seja de armas.
7. Reconhecimento da China Vermelha e admissão às NU
11. Promoção das Nações Unidas como única esperança da humanidade.
13. Aviltar juramentos de lealdade.
15. Conquistar um ou ambos os partidos políticos americanos.
16. Usar decisões técnicas de tribunais para enfraquecer instituições americanas alegando que suas atividade violam direitos civis.
17. Obter o controle das escolas. Usar para transmitir socialismo e propaganda comunista corrente. Suavizar o curriculo. Controlar associações de professores. Colocar a linha do partido nos livros escolares.
18. Obter controle dos jornais estudantis.
19. Usar manifestações dos estudantes para fomentar protestos públicos contra programas ou organizações que estão sob ataque comunista.
20. Infiltrar a imprensa. Ganhar controle da indicação de livros, da produção de editoriais, das posições que definem condutas.
21. Ganhar controle de posições chave no rádio, TV e cinema.
22. Continuar descreditando a cultura americana degradando todas as formas de expressão artística. Uma célula comunista foi incumbida de eliminar boas esculturas de parques e edifícios, substituindo-as por deformadas, ridículas e sem nexo.
23. Controlar críticos de arte e diretores de museus de arte. Nosso plano é promover o feio, o repulsivo e o insignificante.
24. Eliminar todas as leis contra obscenidade, chamando-as de censura e violação da liberdade de expressão e da liberdade de imprensa.
25. Derrubar preceitos culturais, promovendo a pornografia e a obscenidade em livros, revistas, filmes, rádio e TV.
26. Apresentar homossexualidade, degeneração e promiscuidade como "normais, naturais e saudáveis".
27. Infiltrar as igrejas e substituir a religião revelada por religião "social". Descreditar a bíblia e enfatizar a necessidade de maturidade intelectual, que não necessita a muleta da religião.
28. Eliminar as orações, ou qualquer forma de expressão religiosa nas escolas, com a justificativa de que violam o princípio da "separação entre igreja e estado".
29. Desacreditar a Constituição Americana chamando-a de inadequada, antiquada, desconexada às necessidades modernas, um obstáculo à cooperação entre nações no sentido global.
30. Desacreditar os Pais Fundadores Americanos. Apresentá-los como aristocratas egoístas que não tinham nenhuma consideração pelo homem comum.
31. Diminuir todas as manifestações de cultura americana e desencorajar o ensino de História americana, dizendo que foi apenas um detalhe de um "grande quadro". Dar maior ênfase à história russa depois que os comunistas assumiram.
32. Dar suporte a todo movimento social para um controle central de toda educação cultural, agências sociais, programas de bem estar, clínicas de saúde mental etc.
36. Infiltrar e ganhar controle de sociedades.
38. Transferir alguns dos poderes de detenção da polícia para agências sociais. Tratar todos os problemas de comportamento como transtorno psiquiátrico, que pode unicamente ser compreendido e tratado por psiquiatras.
39. Dominar a profissão psiquiátrica e usar leis de saúde mental a fim de ganhar controle coercitivo sobre aqueles que se opõem às­ metas comunistas.
40. Desacreditar a família como instituição. Encorajar a promiscuidade e facilitar o divórcio.
41. Enfatizar a necessidade de afastar crianças da influência negativa dos pais. Atribuir danos, bloqueios mentais e retardamento das crianças à supressiva influência dos pais.
44. Internacionalizem o Canal do Panamá.
45. Rechaçar a Reserva Connally para que os Estados Unidos não possam evitar que o Tribunal Mundial absorva jurisdição sobre nações e indivíduos.
Fonte: http://www.rense.com/general32/americ.htm#sthash.VrHNVNTy.dpuf

É respeitável o que conseguiram realizar nestes cinquenta ou sessenta anos. Respeitável também é a relação de nomes que fazem parte desta frente. Basta ver os que estão procurando derrubar o novo presidente dos Estados Unidos ou se manifestam contrários a ele. Não devem faltar também aqueles que jogam nas duas posições.
Toedter


4 de maio de 2017

$ORO$ - O HOMEM QUE COMPRA MENTES

Ele tem importância até no nome… Só mais recentemente se ouve falar dessa figura com mais frequência, apesar de há muito estar agindo nos bastidores. Por isso começo com uma de suas, talvez a principal, comparsas.

Quem assistiu cenas da visita que a bruxa Merkel fez ao presidente Putin viu como esta mulher é descarada. É visita em outro país e ousa reclamar que ali falta liberdade de expressão e que a repressão às manifestações devia ser repensada. Isso dito por quem em casa não permite liberdade de expressão alguma. Putin só respondeu que o seu país não se imiscui em assuntos de outros países e espera que os outros façam o mesmo em relação ao seu.

ALEMANHA

É de se perguntar quem é essa coisa, que tem o título de Chanceler da Alemanha. Ser humano não pode ser, porque pelo menos a “cara é de pau” mesmo. O país que ela gerencia, a RFA, ou República Federal da Alemanha, nem país é. É uma empresa, uma SA, e ela foi eleita pelos “acionistas”. A opinião pública é eficientemente orientada pela mídia e pelas ONGs alimentadas pelo dinheiro distribuído pelo GEORGE SOROS a mando dos Rothschild.


Essa empresa tem um Superior Tribunal Constitucional, 
mas não tem CONSTUIÇÃO. Tem uma Lei Fundamental que foi imposta à empresa pelos “acionistas” há 72 anos. PARTIDOS POLÍTICOS? São os Departamentos que executam as ordens da direção. O único que deixaram ter alguma voz é o chamado A ESQUERDA. Se alguém insinuar que simpatiza com ideias de direita, lhe ensinam logo que pode no máximo vegetar no ostracismo e tem que ficar sob controle da ANTIFA. Se é empregado, perde o emprego. Agora, se é extrema direita vai para a cadeia! Pois é essa mesma gerente desta empresa, a que sai pelo mundo afora querendo dar lições de democracia.

Alemanha também vai enfrentar eleições neste ano, mas nada que possa preocupar o Soros e seu patrão. Para os seus planos vai dar tudo certo. Um partidinho de direita já está ameaçado de proibição pelo tribunal, do qual falei acima, e outro, que quis levantar a cabeça, teve a diretoria decomposta.

FRANÇA
Outro país, outrora soberbo e orgulhoso de suas tradições, que agora proporciona a impressão de que se tornou empresa e que obedece à política definida por acionistas estranhos, é a França. O seu povo francês ainda preserva um pouco do seu orgulho étnico e nacionalista. Não é lobotomizado quanto o alemão. Aqui o atual gerente Presidente Hollande, também judeu como sua colega na Alemanha, não conseguiu aprovação dos franceses. Seu candidato já está fora do segundo turno das eleições que acontecem nos próximos dias. Enquanto os dois partidos, tradicionalmente mais fortes, foram reprovados, surgira, em surpreendente ascensão, uma candidatura dita da extrema direita, a de Marine Le Pen.

Marine Le Pen está há tempos batalhando na política à testa do seu partido Front National e agora ameaçava efetivamente vencer nestas eleições. Tinha que ser impedida. Soros, em nome do seu patrão Rothschild, logo arranjou um antídoto: Emanuelle Macron, jovem, boa aparência, sabe falar, ex-diretor de um banco do Rothschild. Injetaram em sua campanha os recursos necessários e lá está ele, à frente nas pesquisas! Vejamos o que vai dar.

A verdade é que Soros está em todas, também do outro lado do Atlântico.

ESTADOS UNIDOS
Aqui ele pegou um osso mais consistente. Quem acabou eleito foi Donald Trump, que é de outra facção. O patrão do Soros queria que a Clinton vencesse. Agora estão esperneando o que der e arranjando um problema em cima do outro para o presidente eleito. Ali parece que começou a ficar claro que existem dois grupos disputando o mando mundial. Segundo afirma o blog HenryMakow.com, um seria o da esquerda, dos comunistas, também chamados de Globalistas. A este pertenceriam, por exemplo, Obama e Hillary que perderam as eleições, apesar de apoiados por Soros. São rothschildianos que querem um mundo só, tudo igual, sem fronteiras, menos gente, uma classe reinante e uma trabalhadora. O Trump venceu, não porque é mais simpático, mas porque está do outro lado, o dos Sionistas. Também eles ambicionariam governar o mundo, mudariam algumas fronteiras, mas, em geral, mantendo os países indiretamente sob o seu controle.

Acho que este último parágrafo poderia nos dar um certo alento, uma vez que sendo dois os pretendentes, podem eles se desgastar e o mundo voltar a ter esperança de dias melhores.

Toedter