13 de novembro de 2015

TTIP e a LIBERDADE

Em 1886, tendo como pretexto uma homenagem à independência americana, que ocorrera cem anos antes, a França, que acabara de ganhar um bom dinheiro também com a guerra da secessão dos americanos, doou-lhes a ESTÁTUA DA LIBERDADE. Foi chamada de LIBERDADE ILUMINANDO O MUNDO e reconhecida como símbolo universal de paz e democracia. Aí alguém se enganou, deveria ser INCENDIANDO O MUNDO.


Pois os Yankees gostaram da coisa e logo arrumaram uma guerra contra a Espanha, seguida da primeira guerra mundial e não pararam mais. O fato é que se acham “eleitos” - ou foram escolhidos - para serem os donos do mundo. E não é só através das guerras que conquistam espaço. Lançam mão também de outros expedientes.

Após a II Guerra Mundial os EEUU já representavam metade da economia mundial. Podiam ditar as regras do comércio internacional, sempre em seu benefício. Neste sentido criaram a OMC – Organização Mundial do Comércio. Não lhes bastou. Estão criando agora, em total sigilo, o maior acordo internacional que o mundo já viu e de forma mais insolente e despudorada.

Eles o chamam de OS TRÊS GRANDES Ts a saber: TPP TRANS-PACÍFIC PARTNERSHIP, um acordo que os une com países ao redor do Pacífico; o TTIP TRANSATLANTIC TRADE AND INVESTMENT PARTNERSHIP, através do qual pretendem condicionar a União Europeia; O TSA TRADE AND SERVICES AGREEMENT (Acordo de Comércio e Serviços). Negociações que envolvem sensivelmente o bem-estar das respectivas populações. É surpreendente que todos esses acordos não incluem Brasil, Rússia, Índia, China, nem África do Sul.

São acordos que fazem parte de uma guerra, uma guerra geopolítica. Uma guerra de conquista. As nações pactuantes terão que se submeter aos interesses das grandes corporações multinacionais. Um “detalhe” do TTIP é o ISDS INVESTORS STATE DISPUTE SETTELMENT. Prevê um tribunal internacional secreto que permita a empresas (!) processar estados(!) por qualquer fato ou lei que possam alegar estar prejudicando seus lucros e investimentos. É um novo poder que seria entregue às corporações americanas para processar governos europeus através de um sistema judicial paralelo. Um privilégio ao qual nem povo, nem empresas domésticas, nem governos teriam acesso.

Soberania e democracia dos países membros definitivamente colocadas em risco. Hoje 70% dos alimentos processados americanos vendidos em supermercados contém ingredientes geneticamente modificados enquanto, até agora, a EU vem se defendendo dos transgênicos. Nos EEUU 90% da carne é produzida com uso de hormônios, muitos dos quais, já se sabe, têm efeito cancerígeno em humanos e são proibidos na Europa.

As más intenções dessa projetada PARCERIA ficam evidentes diante do absoluto e severo segredo com o qual tudo, reuniões, textos, anteprojetos, é cercado e mantido longe da análise pública. Se tem vazado alguma coisa é principalmente através do Wikileaks. Nem os parlamentares europeus têm acesso livre às propostas. Se querem ver o texto, são obrigados a ligar para a embaixada americana, a fim de agendar uma visita. Esta só pode ocorrer em dois dias da semana e é limitada a duas horas e a dois por vez. Na embaixada são obrigados a entregar todos os aparelhos eletrônicos para que não possam fazer cópias. Após assegurarem sigilo são levados a uma sala de leitura segura, onde dois guardas supervisionam tudo o que fazem.

O acordo TPP já foi assinado por onze estados a beira do Oceano Pacífico e só falta ser ratificado pelos respectivos parlamentos. O TTIP está sofrendo forte resistência por parte da população europeia. Ainda esta semana a iniciativa cidadã “Stop TTIP” deve ter feito chegar ao Parlamento Europeu em Bruxelas um protesto com mais de três milhões de assinaturas.

Como se pode ver tudo caminha a passos cada vez mais acelerados no sentido da instalação de um GOVERNO GLOBAL, conquistado através dos meios mais diversos seja a FOGO, pela ASTÚCIA, seja pela MENTIRA.

Aqui cabe lembrar que esses mesmos, que hoje se revelam candidatos ao DOMÍNIO UNIVERSAL, a mais de 75 anos atrás espalharam a mentira da ambição germânica ao mesmo objetivo. O tal Roosevelt chegou a mandar falsificar um plano de invasão do Brasil pelas tropas de Hitler. Mobilizaram 53 nações e as fizeram participar de uma guerra sem trégua ao pequeno país. E agora, agora que a VERDADE não mais pode ser ignorada, quem se volta contra a desumana pretensão satânica?

Toedter

4 comentários:

  1. Excelente artigo!

    Estes tramites da política subterrânea não têm como ocorrerem sem coordenação e o mínimo de sentido de unidade e hierarquia, mesmo que seja por interesses egoístas e não por idealismo. Só isso já é suficiente para se questionar sobre quais organizações clandestinas, de bastidores, andam a atuar...

    É muita coordenação para ser algo de meros maçons burgueses...

    ResponderExcluir
  2. E dizem que o ocidente nao gosta de ditadores e banhos de sangue, mas sao os proprios ocidentais e quem comecam a briga, e sao que tambem impoem leis ditadoriais como a lei que proibe o questionamento do Holoconto judeu que aplicaram na Austria e Alemanha, lei que como vimos ja virou ditadura em dois paises democraticos (ou sue se dizem ser)!

    Abracos, Sr Toedter!

    ResponderExcluir
  3. Sem esquecer que um plano assim, como tantos outros anteriores, necessita fundamentalmente do apoio do Jornalismo para desviar a atenção, para negar informações, maquiar, aplaudir e tergiversar sobre o tema ao público em geral.

    Cobalto

    ResponderExcluir
  4. Sobre a simbólica estátua dada aos americanos, lembro-me sempre de um cartum da Mafalda em que ela está brincando de ser a Estátua da Liberdade, ficando na mesma posição desta sobre uma cadeira.

    Daí, chegou o Felipe e perguntou o que ela estava fazendo. Ela respondeu:

    - Eu sou a Liberdade, iluminando a humanidade com sua fulgurante luz...

    Ela abaixa o braço, olha a lâmpada que segura no lugar da tocha e completa, desolada:

    - ...de 15 watts!

    É o máximo que os grandes parasitas nos permitem ter.

    ResponderExcluir

Escreva aqui o SEU pensamento sobre o assunto. É dispensável repetir o que já é de domínio público. A indicação de links deve ser acompanhada de breve descrição do conteúdo. Mensagens anônimas não são bem-vindas, agressões e baixarias não serão publicadas.